Pneus Usados: Saiba Como Podem Beneficiar o Ambiente

Os pneus usados podem ter um impacto positivo no planeta. Conheça os benefícios ambientais do seu reaproveitamento.

Wednesday, April 29, 2020,
Por National Geographic
Os pneus velhos são empilhados perto da chaminé da Oxford Energy Company, que os utiliza para ...

Os pneus velhos são empilhados perto da chaminé da Oxford Energy Company, que os utiliza para abastecer centrais elétricas como esta em Connecticut. A empresa também opera fábricas em outras zonas do país.

Fotografia de Joel Sartore/National Geographic Creative

Estudos realizados apontam que um pneu demora, em média, até 600 anos a decompor-se. O seu consumo ainda não é feito de forma consciente e a sua inutilização desadequada gera consequências ambientais.

Uma das soluções em prol do meio ambiente passa pela reciclagem dos pneus. Esta ação, para além de se refletir no planeta, reflete-se na vida de cada um de nós.

Do fim de vida à reutilização dos pneus usados
Um pneu desgastado atrapalha a estabilidade do carro, colocando em risco a segurança dos ocupantes e não só. No entanto, são muitos os pneus usados que podem ser reutilizados ou, até mesmo, recauchutados, voltando a estar disponíveis no mercado para o mesmo fim.

O reaproveitamento de pneus usados pode ir desde a possibilidade mais original, como elementos decorativos de residências ou ambientes comerciais, à separação dos seus componentes, para utilização noutros produtos, graças às suas vantagens e durabilidade.

Inteiros ou fragmentados, os pneus usados podem ainda servir como combustível alternativo para produção de energia, devido ao seu poder calorífico, que constitui uma energia eficaz, barata e renovável. Esta utilidade reduz e evita o consumo de combustíveis naturais não renováveis, diminuindo as emissões obtidas pela combustão da biomassa constituinte do pneu.

De ressaltar que é proibida a combustão de pneus sem recuperação energética, nomeadamente a queima a céu aberto.

Consequências da inutilização de pneus usados
São várias as consequências associadas ao descartar incorretamente os pneus usados. O elevado tempo de deterioração causa poluição no solo e contaminação das áreas. Quando expostos à luz solar e às chuvas, começam a desfazer-se tanto em líquidos como em gases, contaminando ecossistemas e a atmosfera.

Com o acumular de água e sujidade, que contamina o solo, podem ainda causar infeções nos animais. Os que se alimentam de recursos naturais contaminados pelos resíduos químicos da consistência dos pneus, poderão levar essas mesmas infeções até à população.

Os pneus usados descartados incorretamente comprometem a saúde pública, podendo tornar-se num problema sério a uma escala mais abrangente. Tal conduta leva, igualmente, a uma maior despesa pública, que incide sobre a remoção constante destes materiais de florestas, rios, lagos, etc.

Os pneus usados podem seguir 4 processos diferentes:
Reutilização:
o pneu ainda se encontra em condições de voltar a ser colocado de novo no mercado, como pneu usado.
Recauchutagem: processo pelo qual um pneu já utilizado é reconstruído, de modo a permitir a sua utilização para o mesmo fim.
Reciclagem: processamento de pneus usados para qualquer fim, que não o inicial. Pode servir de matéria-prima a incorporar em outros produtos como têxteis, aço, etc., para diversas aplicações como pisos de parques infantis, relva sintética, entre outros.
Valorização energética: processamento de pneus usados por combustão, para recuperação energética.

A energia gerada através da reutilização dos pneus é uma das grandes vantagens ambientais que existem. Nos últimos 15 anos, o consumo total de energia primária evitada pela valorização dos pneus usados em Portugal foi de cerca 686.467 (MJ/ton).

Na reciclagem dos pneus usados existem, pelo menos, dois processos:
Processo mecânico
: consiste na trituração mecânica dos pneus. A borracha é fragmentada numa série de trituradoras e moinhos. O granulado de borracha é dividido em várias gamas, consoante a sua granulometria.
Processo criogénico: consiste na utilização de azoto líquido para congelar a borracha, permitindo a fragmentação da mesma e a produção de granulado de borracha fina. O pneu sofre uma primeira trituração mecânica e, no final do processo, o aço e o têxtil do pneu são separados da borracha através da separação magnética e por aspiração, respetivamente.

A quem compete a gestão dos pneus usados?
Esta é uma pergunta frequente, colocada à Agência Portuguesa do Ambiente. O responsável pela recolha, transporte e destino final adequado dos pneus usados é o produtor de pneus novos.

A palavra de ordem é o reaproveitamento
Se não tiver por objetivo utilizar os pneus usados do seu carro, já sem utilidade, para outros fins, saiba que poderá entregá-los num dos Centros de Recolha para o efeito, disponíveis por todo o país. Desta forma estará a contribuir para a preservação do meio ambiente.

 

Continuar a Ler