A cultura do café continua a alimentar a esperança em Caquetá, na Colômbia

O renascimento da cultura do café de alta qualidade está a proporcionar aos agricultores colombianos um futuro mais risonho.

quinta-feira, 7 de maio de 2020,
Por Jack Neighbour
O renascimento do café em Caquetá continua
O renascimento do café em Caquetá continua

As origens ancestrais de Fernando Pedreros Muños estão profundamente enraizadas nas montanhas remotas da Colômbia. O cultivo do café nesta região não é pera doce. É necessário dominar o vento e a vegetação local. E o complexo processo que leva os grãos à chávena requer um trabalho e uma resiliência tremendos. Mas o esforço é compensador, já que este terroir único (humidade elevada, altitude média e temperaturas baixas) possui as condições ideais para cultivar os Arábicas, uma das espécies de café de maior qualidade do mundo. Para Don Fernando, a produção de café na sua quinta de Caquetá, localidade onde foi criado, foi muito mais difícil do que o habitual.

Durante cinco décadas, esta região florestal do sul da Colômbia esteve envolva em conflitos internos. A luta armada quase deixou os produtores de café de Caquetá sem acesso ao resto do mundo, com as restrições ao comércio e as preocupações de segurança a levarem muitos deles a mudar para culturas diferentes ou até mesmo a abandonar as suas quintas. Don Fernando foi um dos poucos que permaneceu até que a assinatura de uma acordo de paz histórico em 2016 permitiu que o cultivo do café começasse, lentamente, o seu renascimento.

Don Fernando, um agricultor de Caquetá, continuou a produzir café apesar de viver numa região assolada por conflitos. Restabelecida a paz, tem vindo a colaborar com a Nespresso para reconstruir a cultura rica do café nesta região.

Fotografia de Rena Effendi

Para ajudar os produtores de café de Caquetá a recuperar a cultura de café de forma sustentável, a Federação Colombiana de Produtores de Café (conhecida em espanhol como FNC) estabeleceu uma parceria com a Nespresso e com o programa AAA Sustainable Quality™, para ajudar os produtores a desenvolver a qualidade do seu café, reforçando a produção e obtendo um acesso mais vasto ao mercado global. 

Cerca de um milhar de produtores de Caquetá estão a participar no programa, que fornece assistência técnica, prémios adicionais para o café da melhor qualidade e suporte permanente por engenheiros agrónomos, um dos quais é Julian Andres Velásquez, que ajuda os agricultores desta área. Desde que chegou à cidade, Julian verificou mudanças positivas na qualidade de vida das pessoas e do café em geral. Julian considera que este sucesso se deve à criação de relações próximas com esta comunidade. "Passo a noite em casa dos produtores, conheço os filhos deles, às vezes até os pais… criamos esta ligação e sinto que as pessoas me veem como um amigo," dia Julian. “São relações que ultrapassam o negócio, são uma parceria para continuarmos a trabalhar juntos... criando um futuro melhor para todos.” Este futuro melhor parece estar materializado, já que Julian reparou que as pessoas da comunidade parecem estar mais confiantes no investimento no café como meio de subsistência.

A região de Caquetá na Colômbia é considerada uma porta de entrada para a Amazónia. As suas condições climatéricas, a altitude e o solo contribuem para um café Arábica distintivo de sabor único em todo o mundo.
 

Fotografia de Rena Effendi

Só no último ano, Don Fernando registou um tremendo melhoramento da sua produção. Trabalhar com o Julian e com a Nespresso permitiu-lhe aceder a infraestruturas como máquinas de descasque e de fermentação do café, bem como a formações sobre como as usar de forma eficaz. Além disso, pela primeira vez, foi capaz de pensar no futuro, adquirindo uma segunda plantação de café. O Julian está a ajudá-lo a preparar-se para produzir café de alta qualidade daqui a dois ou três anos. O sucesso cada vez maior que Don Fernando está a alcançar tornou-o numa espécie de exemplo para os outros produtores no que diz respeito à adoção de novas práticas. Agora, é conhecido na comunidade como um símbolo de sucesso e incentiva outros produtores a aderir ao programa. "As pessoas sabem tudo o que o Don Fernando alcançou. E consideram-no uma parte importante do programa Nespresso. Procuram-no para pedir conselhos", diz Julian. 

Parece claro que, tendo atravessado tempos tão difíceis na sua dedicação à cultura do café, os produtores de Caquetá têm agora os meios e o apoio para expandir, melhorar e planear o seu futuro. Podem acreditar que o café, pelo menos nesta região, voltou para ficar.

SAIBA MAIS

Continuar a Ler