Glossário de Plásticos, de A a Z

O que são microplásticos? E o que são remendos de lixo? Este glossário ajudará a clarificar termos relacionados com a poluição por plásticos.quinta-feira, 24 de maio de 2018

Por Elizabeth Atalay, Laura Parker, Heidi Schultz
As Filipinas são o terceiro maior responsável pelos plásticos encontrados no oceano. Aqui é onde o plástico é separado.
Este artigo faz parte da campanha da National Geographic, Planeta ou Plástico?—o nosso esforço para alertar sobre a poluição dos plásticos em todo o mundo. Saiba o que pode fazer para reduzir a sua utilização de plásticos de uso único, e assuma este compromisso.

O mundo dos plásticos contém muitos termos confusos. Foi o que constatámos ao fazer a reportagem e investigar sobre o tema para nossa edição de junho da revista National Geographic. Até mesmo o mais bem-intencionado consumidor de plásticos pode ter dificuldade em distinguir os "bons" plásticos dos maus. Foi por isso que preparámos um breve glossário para ajudar a clarificar alguma terminologia.

ADITIVOS

Químicos adicionados durante a produção de produtos plásticos para torná-los mais resistentes, seguros, mais ou menos flexíveis e propagar um conjunto de outras características desejadas denominadas de aditivos. Entre os aditivos mais comuns, incluem-se os repelentes de água, os retardadores de chama, os endurecedores, os amaciadores, os pigmentos e os inibidores de UV. Alguns destes aditivos podem conter substâncias potencialmente tóxicas.

BIODEGRADÁVEL

Um produto biodegradavel deverá dividir-se em materiais naturais por micro-organismos durante um período de tempo razoável. "Biodegradar" é mais rigoroso que "desagregar" ou "degradar" — quando se diz de muitos plásticos que se "desagregam", está-se tão-somente a dizer que se tornaram pedaços mais pequenos de plástico. Não existe numa regra amplamente aceite para rotular um produto de "biodegradável", o que significa que não há uma maneira totalmente clara para definir o que isso significa; no entanto, é um termo utilizado constantemente pelos fabricantes. Alguns estados dos Estados Unidos estão a abolir o termo até que se chegue, de comum acordo, a uma regra.

BIOPLÁSTICOS

Este termo bastante abrangente é atualmente associado a todo um espetro de plásticos, que inclui desde plásticos feitos a partir de combustíveis fósseis e biológicos, que são biodegradáveis, e outros plásticos biológicos que não são biodegradáveis. Por outras palavras, não existe nenhuma garantia de que um "bioplástico" seja feito a partir de uma fonte não-tóxica ou fontes de combustiveis não-fósseis ou que é biodegradável. Neste gráfico da European Bioplastics, estão listados muitos tipos de bioplásticos.

COMPOSTÁVEIS

Para um objeto ser considerado compostável, tem de ser capaz de se decompor nos seus elementos naturais (ou biodegradar) dentro de um "meio razoavelmente compostável", o que é variável. Alguns plásticos são compostáveis, ainda que a maioria não se decomponha numa pilha de composto para uso tradicionalmente doméstico. Para a sua compostão, é necessário que sejam expostos a um calor bastante mais elevado durante uma duração específica para que biodegradem totalmente.

De acordo com Rhodes Yepsen do Instituto de Produtos Biodegradáveis,  "existem normas e certificações para plásticos compostáveis (ou seja, os que se biodegradam num meio de compostão), mas a maioria só está certificada para uma compostão de escala industrial, que atinge, pelo menos, 130 graus... Os plásticos compostáveis são parte integrante de programas de compostão de restos de comida provindos de residências e de espaços comerciais, programas estes desenvolvidos em grandes cidades como São Francisco, Seattle, Minneapolis e Nova Iorque, mas são programas que não estão disponíveis em todo o lado, e alguns compostores aceitam apenas comida, temendo contaminações."

REDES/PESCA/EQUIPAMENTO FANTASMA

O equipamento de pesca — a maioria de plástico — que foi abandonado, deixado para trás ou perdido é normalmente chamado equipamento de pesca fantasma. Inclui redes, linhas, armadilhas, âncoras e outros materiais.  Estes detritos podem enlear e matar espécimes da vida marinha, incluindo tartarugas, baleias, tubarões, golfinhos, focas, peixe e aves marinhas  Podem também sufocar corais. De acordo com uma estimativa efetuada, todos os anos são abandonados nos oceanos centenas de milhares de toneladas de equipamentos de pesca.

MICROPLÁSTICOS

Os microplásticos são partículas de plástico que medem menos de cinco milímetros na parte maior da sua constituição. Existem dois tipos de microplásticos: primários e secundários.

Os microplásticos primários incluem pastilhas de resina do tamanho de uma ervilha — denominadas nurdles — que são derretidas para serem usadas na produção de produtos de plástico, e grânulos que são adicionados a produtos cosméticos, sabonete e pasta de dentes, no âmbito dos abrasivos. Os microplásticos secundários resultam da fragmentação de itens de plástico de maiores dimensões. As microfibras são filamentos de plástico individuais que são interligados entre si para fazer tecidos como o poliester, o nylon, o acrílico, entre outros. O desgaste normal e as lavagens das roupas nestes tecidos libertam microfibras para o ar e para a água

REMENDOS DE LIXO NOS OCEANOS

Devido à ação das correntes oceânicas, os detritos marinhos acumulam-se normalmente em giros oceânicos (ver abaixo), formando aquilo que se conhece por "remendo" de lixo. Nos giros maiores, estes "remendos" podem chegar aos milhões de quilómetros quadrados. A maioria dos materiais que ali se encontram são plásticos.

O termo "remendo" pode levar a acreditar que se trata de outra coisa que não o que realmente é, já que sugere que o lixo é de tal maneira tanto e espesso que faz lembrar uma ilha. Mas, na verdade, o remendo assemelha-se mais a uma sopa juliana, porque a maioria dos detritos são microplásticos e porque o lixo é encontrando ao longo da coluna de água, e não apenas a flutuar à superfície. Uma das maiores concentrações de detritos marinhos chama-se The Great Pacific Garbage Patch (Grande Remendo de Lixo do Pacífico) e localiza-se entre a Califórnia e o Havai, a norte do Oceano Pacífico.

GIROS OCEÂNICOS

São cinco, os maiores giros existentes no planeta Terra , e são grandes sistemas de rotação de correntes oceânicas criados por ventos mundiais e marés: os giros do Pacífico Norte e Sul, os giros do Atlântico Norte e Sul, e os giros do Oceânico Indico. Os giros acumulam e concentram detritos marinhos em grandes remendos delixo. Os principais giros têm todos remendos de lixo e são frequentemente encontrados novos remendos em giros mais pequenos.

PET

PET, ou politereftalato de etileno, é um dos polímeros ou plásticos mais usados em todo o mundo. É um plástico claro, resistente e leve que pertence à família do poliéster. É usado para fabricar itens que se encontram em todos os lares, tais como fibras, tecidos, embalagens de bebidas e boiões de comida.

POLÍMEROS

Os plásticos, também chamados polímeros, são produzidos pela ligação de pequenos blocos de construção ou células unitárias. Estes blocos de construção, que os químicos chamam monómeros, são feitos de grupos de átmos que derivam de produtos naturais ou da síntese de químicos primários, como sejam o oléo, o gás natural ou carvão. Para alguns plásticos, como é o caso do polietileno, a unidade de repetição pode ser apenas um átomo de carbono e dois átomos de hidrogénio. No caso de outros plásticos, como é o caso dos nylons, a unidade de repetição envolve 38 ou mais átomos. Uma vez montada, as cadeias de monómeros tornam-se mais fortes, com mais luz e mais duráveis, o que os torna tão úteis — e tão problemáticos no momento em que perdem utilidade e são deitados fora.

RECICLAGEM DE FLUXO ÚNICO

É um sistema através do qual todos os recicláveis — jornais, cartões, plásticos, metais, vidros — são colocados num único contentor para reciclagem. Os recicláveis são separados no centro de reciclagem por máquinas e à mão e não pelas próprias pessoas em casa. Esta modalidade tem prós e contras. Os apoiantes dizem que aumenta a participação na reciclagem, mas os detratores dizem que leva a uma maior contaminação — fazendo com que alguns recicláveis acabem por chegar aos aterros — e tornam o processo mais dispendioso.

PLÁSTICOS DE UTILIZAÇÃO ÚNICA

Os produtos de plástico que são concebidos para serem usados uma única vez, como é o caso dos sacos de plásticos finos dos hipermercados e a película aderente utilizada para vedar tudo, de comida a brinquedos, são designados plásticos de uma única utilização. Cerca de 40% dos plásticos sem fibras produzidos são utilizados para embalagens. Os ambientalistas incentivam, frequentemente, as pessoas a reduzirem a sua utilização de plásticos de utilização única e, em vez disso, a optarem por itens multiusos mais duráveis, como garrafas de água de metal ou sacos de pano.

+ sobre o plástico

Continuar a Ler