Viagem e Aventuras

10 Coisas para Fazer no Japão

Numa nação tão culturalmente rica, pode ser difícil planear o que fazer e, principalmente, o que visitar no Japão. Estes são apenas 10 dos nossos favoritos, mas existem muito mais.

Por National Geographic Travel

1 - VISITE OS LOCAIS ANTIGOS DE QUIOTO

A capital do Japão de 794 a 1868, está banhada em história. O mais emblemático que resta do passado imperial da cidade é Kinkaku-ji, antes um local para onde se aposentavam os militares e agora um templo zen budista. Situado na margem de um lago sereno, Kinkaku-ji lança uma reflexão dourada muito famosa sobre a água. Tal como cativantes são os locais de menos ostentação de Quioto, como por exemplo o minimalista e enigmático jardim de “paisagem seca” em Ryoan-ji. Ao todo, Quioto possui 17 sítios considerados Património Mundial (Kinkaku-ji e Ryoan-ji incluídos), mas com cerca de 2.000 templos e santuários em toda a cidade, sem mencionar os inúmeros jardins, eles representam uma fração do património sedutor de Quioto.

2 - PASSAR A NOITE NUM TEMPLO

O Monte Koya tem sido um local de peregrinação desde que o monge Kobo Daishi se inspirou para fundar a escola de budismo Shingon por meio dos seus cedros antigos no século IX. Entre os destaques de uma visita — para além de vaguear pelo estranho, quase primitivo cemitério Okunoin e a multidão de templos construídos em honra de Daishi — está a oportunidade de ficar entre os monges num dos templos de Koya no cimo da montanha. Eko-in é um dos quase 50 locais abertos a convidados e oferece uma experiência típica de Koya — uma sala espartana e tranquila com tapetes tatami, um jantar vegetariano com vários pratos requintadamente apresentados em loiça “lacquerware” e a oportunidade de se juntar aos monges e peregrinos para orações de manhã.

3 - GALERIA HOP NA “ILHA DA ARTE”

Com três galerias principais e muitos locais de arte menores, a pitoresca Naoshima no Mar Interior de Seto é o destaque no panorama contemporâneo da arte no Japão. As melhores galerias ficam no Tadao Benesse House, um hotel elegante e galeria que alberga obras de artistas como David Hockney, Bruce Nauman, e Frank Stella. Mas a arte não é restrita a espaços convencionais em Naoshima. Dezanove deslumbrantes instalações estão localizadas junto ao mar de Benesse, enquanto na aldeia piscatória de Honmura, várias construções antigas de madeira foram transformadas em instalações de arte permanentes. Mesmo os banhos públicos I Love Yu da ilha sofreram uma reforma em pop-art. Naoshima foi apelidado de “Ilha da Arte” por uma boa razão.

4 - SKI NISEKO

Esta cidade de estância de ski em Hokkaido ostenta o melhor do país e tem três grandes estâncias de ski para confirmar: Niseko Village, Niseko Annupuri e Grand Hirafu/Hanazono.

Para lá dos resorts, o fascínio surge principalmente pela paisagem e as várias oportunidades para escalada do gelo, fazer esqui e embarcar pela neve virgem. Também não é mau durante o verão, quando as atividades de inverno dão lugar aos favoritos do verão, tais como rafting por águas claras, bicicleta de montanha e canoagem. Niseko é um destino para todo o ano — fontes termais ricas em minerais, perfeitas para dar conta das dores de um dia nas pistas.

IMAGENS DRAMÁTICAS MOSTRAM COMO A EXTRAÇÃO DE AREIA AMEAÇA UMA FORMA DE VIDA NO SUDESTE ASIÁTICO

5 - EXPERIÊNCIA TRADICIONAL DE HOSPEDAGEM

O aroma suave do tatami, a elegância dos interiores, o serviço meticuloso, os banhos termais ao ar livre, a refeição de vários pratos de produtos locais de época, o silêncio calmante — tudo combina para tornar a noite numa pousada tradicional Japonesa, ou ryokan, numa experiência inesquecível. Inesquecível, mas não barata, com estadia e refeições pode chegar aos ¥100,000 por noite. Felizmente, o Japão tem tudo pensado — a mais pequena e menos formal minshuku, que proporciona uma experiência tradicional semelhante, mas menos luxuosa, custa geralmente menos de ¥10,000 por noite.

6 - MERGULHE NAS ÁGUAS TERMAIS NATURAIS

Há algo especialmente japonês em mergulhar nu com estranhos. Na verdade, os japoneses têm vindo a utilizar onsen comunais ou fontes termais naturais, para relaxar e curar durante séculos — a mais antiga menção remonta a 1.300 anos atrás com os banhistas em Dogo, Shikoku. Dogo continua a ser um dos resorts onsen de renome do país. O grande, de três andares, Dogo Onsen Honkan no centro do resort é uma jóia da arquitetura do século XIX completado com uma casa de banho (embora não utilizada atualmente) reservada para a família imperial. Não que seja preciso aventurar-se até Dogo para um bom mergulho — há milhares de banhos públicos e ryokans com onsen no país, todos onde vale a pena despir-se

7 - EXPLORE O OLD EAST SIDE DE TÓQUIO

Sensoji, um templo budista em Asakusa, é tão turístico como fica em Tóquio. Rode a cabeça para qualquer direção e os turistas irão dizer-lhe em breve onde fica esta parte da capital que nunca se afastou muito do seu estatuto de pré-guerra como principal distrito de entretenimento da cidade. Mais representativo disso é o pequeno Hanayashiki Amusement Park, lar dos passeios retro que incluem a primeiro (e possivelmente mais calma) montanha-russa do país. Por perto fica Rokku Broadway, onde teatros históricos como Engei Hall têm em cena comédias e histórias cómicas. Não é surpreendente que a área esteja repleta de bons locais para beber — tal como o Bar Kamiya, onde as bebidas locais são uma mistura de brandy, gin e curaçao apropriadamente chamado Denki Bran (Electric Bran[dy]), primeiramente misturado no anos de 1880.

8 - CAMINHADA NOS ALPES DO NORTE

Os picos de tirar o fôlego dos Alpes do Norte do Japão são considerados os principais nas caminhadas. E há uma boa razão para isso — desde a pequena cidade de Kamikochi, a porta de entrada para a área, os visitantes têm a opção de fazer a caminhada de um dia fácil ou aventuras de uma semana que desafiam os mais aptos dos caminhantes. No pico do verão, as rotas mais populares podem ser feitas com os caminhantes de fim de semana, mas se for num dia da semana ou no outono os visitantes poderam experienciar picos irregulares de quase 10.000 pés dos Alpes do Norte e florestas virgens como a natureza pretendeu — intocadas pelas multidões.

9 - TOUR PELO MEMORIAL PARK E MUSEU DE HIROSHIMA

Dedicado às vítimas da bomba atómica de 6 agosto de 1945, o Memorial Park e Museu são monumentos comoventes e móveis sobre os horrores das armas nucleares. O quadro desfigurado do Memorial da Paz de Hiroshima, um dos pucos edifícios no centro de Hiroshima a sobreviver à explosão, serve como recordação da destruição que se abateu sobre a cidade. Outras partes do parque são igualmente evocativas — nenhum mais do que o Monumento da Paz das Crianças. Construído em memória de todas as crianças que faleceram de leucemia como resultado da tragédia, é sempre decorado com garças de origami de esperança enviados por crianças em todo o Japão.

10 - EXPERIMENTE A “B-GRADE GOURMET”

O Japão é conhecido pela sua boa cozinha como sushi, tempura e kaiseki, mas mesmo a sua cozinha low-cost (“B-grade gormet, como os japoneses lhe chama) é de ficar com água na boca. O melhor desta comida é o macarrão, que é omnipresente, saciante e uma espécie de obsessão nacional — algumas lojas são referenciadas o suficiente para formar filas de horas. Nem que seja assim tão bom. Alguns, como as máquinas de venda automática de cachorros quentes ou lojas de conveniência de sanduíches de noodles fritos deveriam ser rotuladas de “Z-grade”.

Continuar a Ler