Viagem e Aventuras

Descubra as Sepulturas de Vampiros e as Criaturas Mágicas Deste País

Desde dragões lendários a fantasmas que assombram castelos, descubra a rica tradição popular da Polónia. Segunda-feira, 26 Março

Por Abby Sewell

Todos aqueles que visitam a Polónia são surpreendidos pela história emocionante, e por vezes sangrenta, de dinastias reais, guerras e ocupações do país. Mas igualmente ricas são também as suas lendas populares de feitiçaria, assombrações, heróis e monstros.

Estas tradições ganharam novo fôlego recentemente, graças ao célebre videojogo The Witcher, baseado numa série de romances de fantasia do autor polaco Andrzej Sapkowski. Quer seja, ou não, um fã da obra ou do jogo, a Polónia oferece a todos os apreciadores do universo da magia e do sobrenatural inúmeros pontos de interesse. Eis alguns dos nossos favoritos.

Enterros de Vampiros

Diversas sepulturas um pouco por toda a Polónia apresentam vestígios de práticas destinadas a evitar que o morto se voltasse a erguer. Aqueles que morriam sem causa aparente ou que tiravam a sua própria vida, eram considerados como vítimas preferenciais para o vampirismo. Certas características físicas, como o ser esquerdino, eram também consideradas fatores de risco. Numa escavação de um cemitério dos séculos XVII e XVIII, na povoação de Drawsko, foram encontrados diversos vestígios de práticas antivampiros, incluindo cadáveres com foices de ferro colocadas em torno do pescoço e pedras sobre a garganta. Da mesma forma, foram descobertos os restos mortais de seis mulheres sobre a praça do principal mercado de Cracóvia, que tinham, aparentemente, sido sujeitos a um tratamento contra o vampirismo. Duas tinham sido decapitadas, e as cabeças separadas dos corpos, e uma outra tinha sido sepultada sobre o estômago, com as mãos atadas com corda. Poderá saber tudo sobre os enterros de vampiros, bem como sobre uma variedade de outras descobertas arqueológicas, no Museu Subterrâneo do Mercado de Cracóvia, localizado, justamente, sob a praça do mercado.

O Castelo Real de Wawel e o Dragão de Cracóvia

O majestoso castelo de Wawel, em Cracóvia, ergue-se numa colina pontuada por cavernas e fendas. Segundo a lenda, nos primórdios da cidade — durante o reinado do sei fundador, o rei Krak — uma destas cavernas foi habitada por um dragão que aterrorizava a cidade, devorando donzelas e gado.

De acordo com a versão mais antiga da lenda, os filhos do rei enganaram o monstro, dando-lhe a comer peles de gado recheadas com enxofre, o que lhe incendiou as entranhas, provocando-lhe a morte. Esta versão da história tem um fim sombrio, com o invejoso príncipe mais novo a matar o seu irmão e a culpar o dragão. Outras versões põem o próprio rei, ou um sapateiro astucioso, a derrotar o monstro.

Qualquer que seja a sua versão preferida, não se esqueça de ver o Covil do Dragão durante a sua visita ao castelo de Wawel, passando pela escultura do dragão no seu exterior, que, a espaços, cospe fogo verdadeiro.

A Dama de Branco

A Polónia encontra-se repleta de castelos e casas senhoriais históricos, muitos dos quais, acredita-se, são visitados pelos espíritos dos seus antigos ocupantes. Um dos mais célebres é o castelo de Kórnik, próximo da cidade de Poznań, no oeste da Polónia. O castelo, construído em 1430, sofreu diversas modificações ao longo dos anos — e, reza a lenda, é assombrado por um fantasma. No salão de jantar do castelo está pendurado um retrato da aristocrata Teofila Szołdrska-Potulicka, Działyńska de nascimento (1714-1790). Conta-se que, durante a noite, Teofila desce do quadro como uma “dama branca”, e que vai cavalgar pelos terrenos do castelo, acompanhada por um cavaleiro misterioso.

As Bruxas da Montanha Careca

A Montanha Careca é um dos locais do popular jogo The Witcher, mas é também um lugar real na Polónia, com um passado cheio de história. Łysa Góra (ou Montanha Careca), é um pico na serra de Świętokrzyskie (ou Santa Cruz), no sul da Polónia, que foi um centro do culto pagão na época da ocupação romana e início da Idade Média, tendo ganho a reputação de local de encontro de bruxas, que, segundo a lenda, ali se reuniam para celebrar o seu sabbath. No século XII, foi erigido um mosteiro beneditino — mosteiro de Święty Krzyż ou de Santa Cruz — no local, possivelmente, na esperança de apagar o seu passado pagão. Łysa Góra foi também palco de um acontecimento sangrento mais recente. Os alemães usaram o mosteiro durante a Segunda Guerra Mundial, como campo de extermínio dos soldados soviéticos capturados.

Os Anões de Wrocław

Os anões, ou krasnale, são uma tradição firmemente arreigada na cultura popular polaca, mas os anões de Wrocław, pelo contrário, têm uma história bem mais recente. Nos anos 80, os ativistas da Alternativa Laranja, que se opunham ao regime comunista, apoiado pelos soviéticos, que governava a Polónia na época, começaram a pintar graffitis de anões nos edifícios das principais cidades polacas, como símbolo de resistência, começando por Wrocław.

A primeira estátua de um anão, em comemoração do movimento, foi erigida na Rua Świdnicka, em Wrocław, em 2001. Desde então, as estátuas de anões multiplicaram-se, transformando-se numa atração turística. Existem atualmente 165 destas estátuas, com um website e mapa próprios.

Continuar a Ler