Sete Destinos Próximos Para Visitar de Carro

Fazer férias não implica ter de apanhar um avião. Conheça 7 destinos internacionais que pode facilmente descobrir de carro.terça-feira, 9 de outubro de 2018

Por National Geographic

Se é daqueles que não gosta de andar de avião, então temos boas notícias: há vários destinos internacionais aos quais pode chegar de carro! Escolhemos destinos no país vizinho, Espanha, bem como em Andorra, Marrocos e até Gibraltar. Alternativas não lhe faltam. Seja para fins de semana prolongados, férias mais longas ou roadtrips de aventura, confira os sete destinos próximos para visitar de carro que lhe propomos!

Entre Trilhos, Museus e Pistas de Ski: Andorra

O principado de Andorra é o sexto menor país da Europa. Em menos de quinhentos quilómetros quadrados, encontra 20 museus (o país com mais museus por quilómetro quadrado), 90% do território sob a forma de montanhas, bosques, rios e prados, 300km de pistas de ski, e mais de 40 capelas, igrejas e monumentos que lhe contam a história de Andorra desde o século XII.

Uma viagem a Andorra tem opções para todos os gostos. Na capital, Andorra-a-Velha, encontra uma complexa mescla de arte, tradição e inovação: museus e monumentos entrelaçados com grandes centros comerciais e mais de mil lojas.

Além disso, sabia que pode percorrer todo o principado a pé? Andorra tem mais de 60 rotas de montanha, e 29 refúgios para aqueles que querem passar a noite na natureza. Existe ainda um parque de diversões, para todas as idades, perfeito para quem quer aliar o turismo familiar ao turismo ativo. Este é um destino próximo de Portugal, que não tem só planos para o Inverno!

À Procura dos Oito Apelidos pelo País Basco

A Comunidade Autónoma do País Basco é uma região lindíssima no nordeste de Espanha, com uma história e língua intrigante, e uma das comunidades mais pequenas de Espanha.

Apesar de parecer longínquo, é bastante perto, e é possível conhecer as principais cidades em poucos dias. A nossa sugestão é que comece a visita por Vitória, a cidade capital da comunidade e da província de Álaba. Esta cidade não tem uma praia elegante como San Sebastián nem um museu Gugenheim como Bilbao, e por essa razão é muitas vezes esquecida. Mas sabia que Vitória (ou Gasteiz, em Basco) foi considerada uma das melhores cidades para viver? Com um anel verde que rodeia a cidade, um centro histórico medieval, museus e praças, catedrais e ruas relaxadas, Vitória tem imenso para descobrir.

Visite também o Parque Natural de Gorbea, a meia hora de Vitória. Siga depois para Bilbao – a viagem leva menos de uma hora. Bilbao é tudo aquilo que imagina: a cultura, a arte, a vanguarda, o alternativo; percorra a cidade de uma ponta à outra, descubra os pintxos, e não deixe de dar um salto a Portugalete, para ver a “ponte suspensa”.

Ainda em Biscaia, siga para Guernica y Luno, a menos de uma hora de Bilbao. Depois de conhecer As Juntas e A Árvore de Guernica, rume a norte, à floresta de Oma. Esta floresta, em que as árvores estão pintadas, é uma obra de arte que não vai querer perder.

A paragem seguinte é San Sebastián, ou Donostia, em Basco. Ver o pôr do Sol em San Sebastián, na majestosa praia banhada pelo Atlântico Norte, é qualquer coisa de fascinante. Mas depois do Sol se pôr, há muita vida nas ruas estreitas e cheias de bares do centro. Não deixe de, enquanto estiver por perto, visitar Hondarribia! Esta pequena cidade a meia hora de San Sebastián é um mimo para os olhos: as casas são muito coloridas, tornando as ruas alegres e divertidas.

Ao todo, tentando seguir pela costa o máximo possível, este percurso tem cerca de 250km, o que representa cerca de 7 horas a conduzir; acrescentando o troço de regresso a Vitória, terá mais 150km e hora e meia de viagem, pelo que pode fazer esta visita ao País Basco num fim de semana prolongado. Se tiver mais tempo, não hesite em cruzar de novo a fronteira e visitar outro destino próximo e primo deste: o País Basco francês!

Pela Natureza Frondosa da Galiza

Um dos melhores destinos próximos de Portugal é a Galiza, e não só pela proximidade física, mas pela partilha histórica e cultural. O nosso conselho é que comece a visita à Galiza por Caminha: terá que atravessar o rio Minho de ferry que tem preços muito convidativos até para viaturas.

Chegará ao outro lado, a La Guardia, ou A Guarda, em galego. De A Guarda, siga para Baiona, uma cidade costeira histórica a 20km de Vigo. Apesar de haver muito para ver, Baiona é uma cidade pequena, pelo que no fim da sua visita, siga para Vigo.

O centro histórico de Vigo é muito bonito, e esta é uma cidade pequena, bastante calma, mas muito cosmopolita. Se estiver em Vigo em Maio, não deixe de fazer uma pequena paragem em Cans, uma vila que alberga um festival de curtas metragens, sim, o Festival de Cans.

Depois de Vigo, é tempo de subir e conhecer Pontevedra, que é, segundo a ONU, uma das melhores cidades europeias para viver. Em Pontevedra delicie-se com as belíssimas pontes da cidade, e aproveite a qualidade de vida que só na Galiza poderia encontrar. Antes de deixar a província de Pontevedra, passe por Sanxenxo; esta vila tem praias lindíssimas!

De Sanxenxo a Santiago de Compostela são menos de 80km de estrada, e no caminho passará por pequenas vilas típicas galegas, e paisagens verdejantes. Em Santiago de Compostela, a capital da Galiza, compreenderá porque é que a cidade foi considerada património da Humanidade pela UNESCO. Não deixe de visitar o Centro Galego de Arte Contemporânea, que foi desenhado pelo português Siza Vieira.

A próxima paragem é na Corunha, mas antes da cidade, visite o cabo Finisterra – aquele que muitos consideram como o verdadeiro fim do caminho de Santiago. De Finisterra à Corunha são cerca de cem quilómetros, aos quais pode acrescentar cerca de cinquenta, se decidir fazer o percurso seguindo o mar. Nesta cidade vai ser transportando no tempo, já que é evidente a presença celta, sempre com o mar no horizonte. Daí até Ferrol são 50km e cerca de uma hora, e aconselhamos que dedique pelo menos um par de horas a esta vila – tem mesmo que visitar o bairro Magdalena!

Terceira província a visitar é Lugo, com paragem na cidade com o mesmo nome. Esta cidade é de origem romana e a mais antiga da Galiza. Em Lugo, deambule pelas ruas pedonais dentro da muralha, prove umas tapas na Rua dos Vinhos, e conheça a Queijaria Artesanal Praza do Campo.

A 65km de distância para norte está Monforte de Lemos, que deve visitar nem que seja para uma refeição, e um passeio pelas ruas do centro histórico e uma fotografia na Ponte Vella que cruza o rio Cabe. Siga depois para Ourense, bela cidade conhecida pelas pontes e pelas águas termais.

Para regressar a Portugal, aconselhamos a que o faça por Tui, pela Ponte Internacional que liga Espanha a Valença do Minho.

Fim de Semana Fora: Salamanca

Se o seu tempo é limitado, um destino mais próximo talvez seja uma boa hipótese. Assim sugerimos-lhe Salamanca para passar o fim de semana prolongado.

A cidade dos estudantes, património da Unesco e Capital de Castilla y León, espera por si a menos de duas horas da fronteira. Esta cidade geminada com, como não poderia deixar de ser, Coimbra, tem duas catedrais belíssimas, a Nova e a Velha, que escondem segredos na sua fachada.

Também a rua Tentenécio esconde uma curiosidade, que tem de descobrir! O que não está escondido são os mais de vinte palácios e palacetes espalhados pela cidade, e as muitas mais igrejas e capelas.

E se achar que são poucos incentivos, acredite que muda de ideias assim que provar um hornazo, umas patatas meneadas ou uma perrunilla.

Pela Costa Andaluza: Sol, Mediterrâneo e Flamengo

A comunidade de Andaluzia tem oito províncias, em que quatro são costeiras. A rota que lhe propomos inclui as quatro províncias da costa, Sevilha e Granada.

Comece a visita em Sevilha, a capital da Andaluzia e um marco da região. Depois de uma caña e uma tapa, sugerimos-lhe que procure o astronauta na fachada da catedral.

De Sevilha, siga rumo a Granada, a cidade da famosa Alhambra. Mas não se fique por aí, porque a Sierra Nevada está ali ao lado.

O terceiro destino é Almeria, com o seu Deserto de Tabernas – se sempre sonhou ver-se num spaghetti western, Almeria é o sítio certo para tal: nas décadas de 60 e 70 rodaram-se vários filmes do género aqui.

Continue viagem, e a próxima paragem é Málaga: a terra que viu Picasso nascer. Aqui, terá que escolher o que fazer, já que entre imensos jardins, um centro histórico carregado de vida, praias belíssimas e jazigos arqueológicos.

De Málaga a Cádis são pouco mais de 250km, e cerca de três horas, que valem muito a pena! Cádis é anfitriã de um museu onde pode ver sarcófagos fenícios, de praias concorridas, e de várias adegas onde pode descobrir como se produz (e provar) o típico xerez.

Um par de horas mais, e estará em Huelva, via Sevilha. Esta cidade, a apenas 50km da fronteira portuguesa é o local perfeito para se despedir da Andaluzia – sabia que Huelva é a cidade europeia com mais horas de Sol? Por isso mesmo, aproveite as praias quilométricas que Huelva lhe disponibiliza, os jardins e parques e a reserva natural Marismas del Odiel, as muitas capelas e igrejas e um destino lindo, afastado de massas turísticas.

Este percurso, com saída e chegada a Tavira, inclui 1350km, e um total de 15 horas a conduzir. Aconselhamos a que fique um dia em cada cidade.

Reino Unido na Península Ibérica... Quase! Em Gibraltar

No extremo sul da península ibérica está um pequeno território, com apenas cerca de seis quilómetros quadrados, que não é Espanha nem Portugal. É Gibraltar, um território britânico ultramarino.

Aqui, a língua oficial é o inglês, mas grande parte da população fala espanhol. E o que pode haver num sítio tão pequeno? Ficará surpreendido ao saber que Gibraltar tem imensos museus e galerias artísticas, sinagogas, um templo hindu, uma mesquita, quatro praias espetaculares, parques naturais e grutas, e várias igrejas, capelas e catedrais.

Além disso, o clima é bastante quente no Verão, e os Invernos são suaves. A menos de quatro horas de Tavira, é de aproveitar!

Em Busca da Inspiração por Entre Azuis e Azulejos

Sendo num outro continente, este destino próximo de Portugal e Espanha é perfeito para quem quer mudar de ares. Chega-se facilmente a Marrocos atravessando o estreito de Gibraltar de ferry boat e, sim, pode levar o carro!

O ponto mais próximo de Portugal para apanhar um ferry é em Tarifa. A viagem dura mais ou menos uma hora e meia e o preço oscila entre os 20 e os 50 euros por pessoa, dependendo da hora do dia. Para levar o carro, acrescente cerca de cem euros.

Chegado a Tânger, vai sentir-se como um escritor ou uma estrela de rock que se refugia numa cidade lindíssima. Pode visitar os cafés antigos, como o Café Hafa, regatear nos belíssimos e coloridos mercados, perder-se nas ruas da medina, e subir ao Kasbah. Não deixe de provar um Tajine, prato típico bem conhecido, uma Pastilla e, claro, o pão achatado de Marrocos ao pequeno almoço.

 

Artigo atualizado a 13 de novembro de 2018 por motivos editoriais.

Continuar a Ler