Dez Viagens Panorâmicas de Comboio Para Desfrutar

Rume à época natalícia em grande estilo numa destas festivas viagens de comboio pelos Estados Unidos.quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

As viagens de comboio de todos os géneros — desde os passeios pela floresta numa locomotiva a vapor até às longas viagens que atravessam o continente do Amtrak Superliner — são mais populares na época estival. Mas apanhar um comboio no inverno pode ser ainda mais arrebatador. As montanhas cobrem-se de branco, e, em vez de observar a paisagem em movimento a partir de uma carruagem com ar condicionado, poderá admirar os campos cobertos de neve e as pequenas estalactites de gelo que pendem dos ramos das árvores do conforto aquecido do seu vagão. Entre o Dia de Ação de Graças e a passagem de ano, multiplicam-se as viagens de comboio temáticas que oferecem diversão garantida, em particular, para as famílias. Todos a bordo!

O POLAR EXPRESS: POR TODO O PAÍS

The Polar Express, o livro infantil galardoado com a medalha Caldecott e filme com Tom Hanks, é recriado em 40 viagens do Expresso Polar espalhadas por 24 estados (mais oito comboios no Canadá e em Inglaterra), atraindo mais de um milhão de passageiros por ano. A história é lida e representada a bordo por atores, enquanto o Pai Natal, os seus gnomos e chefs dançarinos que servem chocolate quente e guloseimas dão ainda mais cor e alegria à viagem rumo ao “Polo Norte.” A maioria dos trajetos percorrem ferrovias históricas por locais pitorescos como o Grand Canyon, o monte Rainier e as Catskills.

AURORA WINTER TRAIN: ALASCA

Este comboio panorâmico sazonal, que parte de Anchorage em direção a norte, é tão popular que foram acrescentadas viagens pelo quinto inverno consecutivo. Do Comboio de Inverno poderá observar o monte Denali coberto de neve, o pico mais alto da América do Norte — e, com alguma sorte, um alce ao pé da via. Após três horas de viagem, poderá desembarcar em Talkeetna sob um céu nórdico na sombra do Denali, ou seguir viagem durante mais nove horas até Fairbanks, para se maravilhar com a aurora boreal, uma vez que Fairbanks é a cidade norte-americana mais a norte. Algumas das viagens a meio da semana, entre o Dia de Ação de Graças e março, permitem regressar alguns dias depois; as viagens de regresso acontecem também todos os domingos.

CHRISTMAS FEAST TRAIN: ESTRASBURGO, PENSILVÂNIA

Os entusiastas dos comboios sabem que Strasburg é a ferrovia de linha curta mais antiga dos Estados Unidos, em funcionamento desde meados do século XIX, mas é também aquela que oferece uma das ementas mais natalícias dos comboios festivos norte-americanos. A linha atravessa o território rural holandês da Pensilvânia no condado de Lancaster e, em homenagem à tradição amish de celebrar o Natal com um série de jantares sumptuosos, os Comboios do Banquete de Natal de sexta-feira servem presunto caramelizado com mel, peru, bolachas de gengibre e eggnog, um licor cremoso de ovo. As excursões festivas também incluem Comboios do Pai Natal, o Comboio do Estranho Mundo de Jack e um Comboio da Árvore de Natal — com uma paragem para carregar um pinheiro escolhido por si num vagão-plataforma.

SANTA TRAIN: VALE DE NAPA, CALIFÓRNIA

Não se ouvem birras de crianças a bordo do elegante Comboio do Vinho do Vale de Napa quando este se transforma no Comboio do Pai Natal. Estão demasiado ocupadas a brincar e a cantar canções de Natal com o Pai Natal e o seu grupo vestido a preceito. Enquanto se deliciam com bolachas com pepitas de chocolate acabadas de sair do forno e cacau quente, a mãe e o pai degustam cabernets e champanhes. O vale vinhateiro vai correndo do outro lado das janelas das carruagens Pullman de 1915 e de uma carruagem panorâmica. Os comboios do Jantar de Ação de Graças e do Jantar de Véspera de Ano Novo contam-se entre as excursões do Comboio do Vinho.

SKY TRAIN: COLORADO

O Comboio do Esqui é um delírio mesmo para quem não pratica o desporto. O comboio de dois andares liga a estação de 1914 em estilo Beaux-Arts de Denver à área de esqui do Parque de Inverno. Embarque na deslumbrante Union Station de Denver, para, duas horas depois, chegar aos seu destino, a 30 metros de um teleférico do Parque de Inverno. E que viagem essa! Começando com uma vista das Flatirons e, à medida que atravessa Boulder, mais paisagens, enquanto o comboio serpenteia por entre a Rockies, antes de atravessar a divisória continental, através de um túnel de quase dez quilómetros. Os comboios operam de 4 de janeiro a 31 de março aos fins de semana.

AMTRAK CALIFORNIA ZEPHYR: CHICAGO E SÃO FRANCISCO

Os amantes dos comboios de longa distância veneram o Zephyr em qualquer estação, mas o inverno tem o encanto da neve açucarada do outro lado da janela, enquanto atravessa a grande velocidade as Rockies e as Sierras — e, de entremeio, o Red Rock Country no Utah. Com partidas diárias durante todo o inverno, tanto de Chicago como de São Francisco, a odisseia de 51 horas oferece um serviço de hotel num quarto ou suite, com casa de banho privativa e duche. Ou, vá intervalando a viagem com paragens para dormir (e esquiar) em Denver ou em Salt Lake City.

COMBOIOS DE ÉPOCA FESTIVA: ARKANSAS E MISSOURI

As viagens de comboio da A & M a bordo de carruagens-salão e vagões antigos englobam dez excursões festivas temáticas, no noroeste do Arkansas e sudoeste do Missouri. Entre elas, contam-se desde viagens de uma hora a bordo do comboio do Pai Natal, até viagens de três horas de pijama em comboios noturnos — ou mesmo comboio de desfile de Natal no início de dezembro, com uma paragem de duas horas para observar os carros alegóricos que iluminam a noite. Esta companhia ferroviária também oferece viagens panorâmicas de três horas até às montanhas de Boston (pertencentes às Ozarks), e em pontes ferroviárias sobre a bacia do rio Arkansas.

 

COMBOIOS DO CANYON E DE NATAL: ARIZONA

As “aves migratórias” que fogem do frio de dezembro no Midwest para o Arizona anseiam, ainda assim, por um Natal longe do deserto. Não há problema! A uma curta viagem de Phoenix a Clarkdale (próximo de Sedona), verão pinheiros-mansos e buttes de rocha vermelha, enquanto abraçam o rio Verde, na viagem de quatro horas numa das carruagens abertas ou fechadas do comboio do Verde Canyon, que funciona durante todo o ano. Em vez de 64 quilómetros, aos passageiros dos novíssimo Comboio de Natal do Verde basta percorrer seis quilómetros até ao Polo Norte, durante 16 datas nos fins de semana de dezembro. A Oficina do Pai Natal e uma fábrica de camisolas feias contam-se entre cerca de uma dezena de vistas natalícias, das quais as crianças podem desfrutar.

UMA BEBIDA NOTURNA COM O SÃO NICOLAU: TENNESSEE

Porque é que só os miúdos se haverão de divertir? Esta viagem reservada a adultos parte de Chattanooga em quatro noites de fim de semana durante o mês de dezembro. A cada passageiro são servidas duas bebidas — um brandy alexander de eggnog e um chocolate quente com schnapps de hortelã-pimenta deverão ser suficientes para uma dose extra de alegria natalícia — e sobremesas. Todo esse açúcar anima os passageiros para as músicas de Natal que se seguem, interpretadas por músicos vestidos a preceito. A companhia ferroviária dispõe ainda de um comboio de jantar de Natal, de três comboios do Pai Natal diferentes e de uma viagem de oito horas a bordo de um comboio panorâmico, que percorre as florestas que se estendem ao longo da fronteira entre o Tennessee e Geórgia.

COMBOIO DA ÁRVORE DE NATAL: COLORADO

Pode ir a uma loja comprar um pinheiro, como é hábito — o embarcar numa viagem memorável de cinco horas num comboio a vapor até às Rockies, a bordo do Comboio de Natal da D&S, para levar para casa um dos abetos-brancos (até seis metros de altura) da Floresta Nacional de San Juan. Daí, a árvore é transportada num vagão de carga até Durango — e o leitor entrará diretamente na lista dos “meninos bem-comportados” do Pai Natal, pois, segundo o Serviço Florestal, o abate destas árvores reduz os danos causados por incêndios. A viagem ao longo do curso do rio Animas, através de paisagens selvagens e isoladas, é onírica, e pode também ser feita em qualquer outra altura do ano, numa das Excursões do Cascade Canyon.

 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

 

Continuar a Ler