A disseminação global do coronavírus está a afetar os viajantes. Mantenha-se atualizado sobre a explicação científica por trás do surto>>

Viagem Ecológica do mês - Reserva Natural do Sapal

Entre Castro Marim e Vila Real de Santo António, a Reserva Natural do Sapal nas margens do Guadiana é a nossa escolha para uma viagem ecológica em fevereiro.

Publicado 22/02/2019, 15:12

No sotavento algarvio, bem perto da foz do rio Guadiana, esconde-se à vista de todos um pequeno paraíso. Falamos da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

MAIS DE 40 ANOS DE RESERVA NATURAL DO SAPAL

A Reserva Natural do Sapal foi criada a 27 de março de 1975, de forma a proteger a zona húmida desta região, com caraterísticas excecionais. O que são zonas húmidas? Áreas de pântanos, pauis, sapais, turfas e charcos, alimentadas por águas subterrâneas ou rios. Estas zonas albergam uma grande biodiversidade, tanto em termos de fauna como flora.

O conceito de zona húmida surgiu em 1971, na Convenção de Ramsar (Irão), um tratado intergovernamental que estabelece bases para a conservação e uso sustentável dos recursos naturais das zonas húmidas. Foi também durante esta convenção que se instituiu o dia 2 de fevereiro como o Dia Mundial das Zonas Húmidas.

A Reserva Natural do Sapal ocupa uma área de mais de dois mil hectares, partilhados pelos municípios de Castro Marim e Vila Real de Santo António. E nestes vinte quilómetros quadrados há sapais a perder de vista, salinas milenares, mais de uma centena de aves e flora incomparável.

QUANDO VISITAR

A Reserva Natural do Sapal dá as boas vindas aos visitantes nas quatro estações do ano, sendo que dependendo da altura do ano, vai encontrar cenários ligeiramente diferentes. Se visitar durante o inverno, poderá observar mergulhões-de-pescoço-preto, galeirões-comuns e flamingos assim como amendoeiras em flor.

Se preferir aproveitar os dias de primavera, opte por um passeio de bicicleta, leve os binóculos e parta à descoberta das aves que nidificam, das ervas medicinais que crescem nesta altura e tente observar por entre as dunas litorais e as matas os camaleões a desfrutarem dos primeiros raios de sol.

O Verão é tempo de safra do sal marinho. Nesta altura, pode visitar as salinas tradicionais e até produzir a sua própria flor de sal! Se quiser continuar na culinária, faça uma exploração biológica e produza os seus próprios doces e compotas.

Para os mais melancólicos, amantes do Outono, a Reserva Natural do Sapal também tem atividades para si. Experimente um mergulho no mar para conhecer os recifes da costa de Castro Marim e Vila Real de Santo António, ou viajar ao passado e conhecer o barco a vapor inglês afundado na 2ª Guerra Mundial. Para relaxar, pode ainda fazer um passeio de barco e contemplar a beleza da natureza pelo rio Guadiana.

O QUE FAZER

É recomendado começar a sua visita pelo Centro de Interpretação, onde tem toda a informação sobre a área. Depois, uma vez na Reserva Natural do Sapal, pode visitar os muitos pontos de interesse da zona, como o maravilhoso miradouro do Cerro do Revelim. Mas não só: suba ao castelo de Castro Marim, visite a Casa do Sal, ou o Moinho das Pernadas, sem esquecer o Museu do Castelo.

Para ver aves, especialmente em tempo mais chuvoso, a Reserva Natural do Sapal dispõe da infraestrutura perfeita: o Observatório de Aves de Venta Moinhos.

Um conselho para observar a fauna da Reserva Natural do Sapal: saia de manhã cedo ou antes do entardecer, são as melhores alturas.

E com tanta visita, vai precisar de provar os petiscos de Castro Marim e de Vila Real de Santo António. É aqui que entra a afamada “muxama” de Vila Real de Santo António, as iguarias de atum, as trufas de figo e a manteiga de alfarroba de Castro Marim. Seguindo o Guadiana, há mais: não deixe de provar a doçaria do Azinhal e o queijo fresco de cabra de Foz de Odeleite – há quem diga que é o melhor queijo de toda a costa algarvia. Porque nenhuma visita é completa sem saborear a gastronomia local.

PRECAUÇÕES E CUIDADOS

A Reserva Natural do Sapal é uma zona que está, em grande parte, no seu estado natural, pelo que alguns cuidados e precauções são necessários:

- Use vestuário e calçado simples e confortável;

- Agasalhe-se de acordo com as condições meteorológicas – que deve consultar com antecedência;

- Esteja munido de repelente para melgas e mosquitos – afinal, a Reserva Natural do Sapal é uma zona húmida;

- Evite realizar atividades em dias de chuva, trovoada ou nevoeiro. Se o fizer, não vá sozinho, ou avise uma entidade local da sua partida e regresso;

- Ao observar as aves limícolas, como alfaiates e pernilongos, tenha atenção às marés;

- Leve alimentos, água, protetor solar e impermeável.

 

A Reserva Natural do Sapal é também um ótimo destino para famílias com crianças. No entanto, neste caso, tenha atenção redobrada, especialmente ao caminhar por zonas húmidas, pelo perigo de escorregar.

Resta-nos desejar-lhe uma ótima visita ecológica à Reserva do Sapal, uma área protegida portuguesa, com tanto de interessante como de belo.

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Viagem e Aventuras
Viagem Ecológica Do Mês: Porto de Mós
Viagem e Aventuras
Os 7 locais mais bonitos para observar cetáceos em Portugal
Viagem e Aventuras
Partilhe a fotografia do seu spot preferido com #ShareYourSpot
Viagem e Aventuras
Conheça três das aldeias mais pequenas de Portugal
Viagem e Aventuras
Redescobrir Portugal Natural

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados