Viagem e Aventuras

Visite a Aldeia Holandesa Onde os Carros Não São Permitidos

Não existem estradas em Giethoorn, a pitoresca aldeia conhecida como “Veneza Holandesa”.Thursday, February 14

Por Kelly Barrett
Um barco contornando um canal em Giethoorn, uma aldeia holandesa construída em pequenas ilhas de turfa, onde não há estradas nem carros.

Na pequena aldeia holandesa de Giethoorn, a tranquilidade é quase onírica. Mas isso é até nos lembrarmos da razão por que está tão silenciosa – não há carros. Na verdade, não há como os carros circularem, porque não há estradas. Moradores e visitantes de Giethoorn navegam de forma silenciosa: de bicicleta, de barco ou a pé. Nesta aldeia – uma coleção de pequenas ilhas de turfa conectadas por pontes – não há muito para fazer exceto deixar-se levar pela solidão, entre as casas de campo com telhados de colmo e as pontes pedestres que cruzam o labirinto de canais.

O nome da aldeia remonta ao séc. XIII (uma era onde ainda parece permanecer). A história conta que os seus colonos agricultores descobriram uma coleção de chifres pertencentes a cabras selvagens, que se pensava terem morrido na Inundação de 1170. "Chifre de cabra" ou "Geytenhoren" foi encurtado para Giethoorn, e o nome ficou. Séculos pós-inundação, a água continua a definir a história viva e a paisagem da aldeia.

No Parque Nacional De Weerribben-Wieden, nas proximidades, entusiastas da vida selvagem caminham por terras húmidas e juncos abrigam lontras, andorinhas-pretas, grandes corvos-marinhos e garças. Podemos, claro, atravessar a hidrovia em barcos a remos e em canoas, ou através dos seus vários trilhos de caminhada. Sem poluição sonora, os sons da natureza dão vida ao cenário em todos os sentidos.

DICAS DE VIAGEM

Jan Brouwer, um fotógrafo Your Shot, captou recentemente a serenidade de Giethoorn ao longo de um trecho do canal Binnenpad, que Brouwer recomenda como uma área particularmente impressionante para ver as pontes e as casas da aldeia. Para apreciar as horas douradas do dia, defina o seu alarme para as 6 da manhã e saia para tirar fotografias ao longo do canal antes que os barcos subam à água. Ou espere até depois das 6 da tarde, quando os visitantes tendem a dispersar. Isto justifica por si só a estadia de uma noite numa das abundantes residenciais locais, evitando o congestionamento do circuito das visitas diárias.

É possível chegar a Giethoorn através de uma combinação de comboio e autocarro. Para evitar multidões, opte pelos meses de abril, maio, junho ou setembro e tenha em mente que as visitas nos dias de semana podem ser as melhores. Embora esta “Veneza Holandesa” pareça completamente deslocada da capital, Amsterdão, fica a apenas 120 quilómetros de distância. E uma viagem de duas horas vale bem a pena pela sensação de viajar no tempo.

 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler