Viagem e Aventuras

Parques Naturais em Portugal que tem Mesmo de Visitar

Portugal tem alguns dos mais belos parques naturais da Europa. Destacamos cinco. Faça já as malas e parta à aventura!quinta-feira, 30 de maio de 2019

Por National Geographic
Terras do Risco, Parque Natural da Arrábida

Por vezes, fugir do reboliço da cidade para um parque natural é tudo aquilo que precisamos para repor as energias. Conheça cinco dos mais incríveis Parques Naturais de Portugal. Faça já as malas e parta à aventura!

Um parque é considerado Parque Natural quando contém ecossistemas naturais ou seminaturais e onde a biodiversidade tem sido preservada ao longo do tempo, dependendo (ou não) da atividade humana para assegurar a sua sustentabilidade.

Em Portugal Continental existe mais de uma dezena de Parques Naturais, espalhados de Norte a Sul do país, destacando-se o Parque Natural da Arrábida, o Parque Natural da Serra da Estrela, o Parque Natural de Sintra-Cascais, o Parque Natural do Litoral Norte e o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Portinho da Arrábida

Parque Natural da Arrábida
Situado na Serra da Arrábida, junto a uma área marítima, o PNArr é um dos Parques Naturais mais bonitos de Portugal. É uma área protegida, com uma superfície de mais de 17 mil hectares, que cai, até ao mar, sob a forma de falésia, o Píncaro – ponto mais alto da serra que atinge cerca de 400 metros de altitude.

Esta paisagem, assim como a vegetação, é um dos fatores que atrai tantas pessoas ao Parque Natural da Arrábida. É considerada uma “relíquia científica internacional” pela preservação de raros exemplos de maquis mediterrânico. Para que esta conservação se mantivesse até aos dias de hoje, foi necessário restringir o acesso a algumas áreas do Parque, onde só é possível lá chegar com o acompanhamento de um Guia do Parque. Outro ponto atrativo deste parque é o Portinho da Arrábida, onde se avista a Praia do Portinho e a Pedra da Anixa – pequena ilhota que abriga uma reserva zoológica devido à vegetação aquática que possui, – e onde se encontra o Museu Oceanográfico, no Forte de Nossa Senhora da Arrábida, ideal para quem descobrir mais sobre a fauna e a flora da região.

No Parque Natural da Arrábida, pode deliciar-se com as paisagens deslumbrantes, e, em simultâneo, divertir-se com desportos radicais, tais como mergulho, escalada ou espeleologia.

Parque Natural da Serra da Estrela
Seja no Inverno ou no Verão, o Parque Natural da Serra da Estrela possui uma beleza singular, que atrai inúmeros visitantes ano após ano. Localiza-se no Interior de Portugal, no distrito da Guarda e prolonga-se até Castelo Branco, sendo constituído por mais de 100 mil hectares e tornando-se, assim, a maior área protegida do país.

Abrigam diversas espécies animais, incluindo lobos, javalis, raposas, lontras, genetas, águias-reais e águias-de-asa-redonda, o falcão peregrino, o bufo, o milhafre preto e o coelho-bravo europeu.

Para além dos esforços para preservar o Parque, são realizadas iniciativas para conservar o património cultural e histórico da região: colaboração com autarquias e outras entidades, promoção de atividades típicas, do pastoreio e da produção do queijo artesanal da Serra da Estrela, apoio aos apicultores e preservação do Cão da Serra da Estrela.

Para os mais aventureiros, existem percursos para fazer BTT, escalada e, no Inverno, ski – na única pista de ski do país.

Praia do Abano, Parque Natural de Sintra-Cascais

Parque Natural de Sintra-Cascais
O Parque Natural de Sintra-Cascais é outro recanto de Portugal, situado no concelho de Sintra e que se estende até Cascais. A Serra de Sintra é uma área protegida com mais de 14.500 hectares, que alcança os 528 metros de altitude e que é palco de alguns dos pontos turísticos mais famosos do país, tais como o Cabo da Roca, o Palácio da Pena, o Parque de Monserrate, a Quinta da Regaleira e a praia Grande do Rodízio, que acolhe trilhos de pegadas de dinossauros.

O Parque Natural de Sintra abriga mais de duas centenas de espécies, dividas por 33 mamíferos, mais de 160 aves, 12 anfíbios, 20 répteis e 9 peixes de água doce. Animais como o Musaranho-de-dentes-vermelhos, o Toirão, a Águia de Bonelli, o Bufo-real, o Corvo-marinho-de-crista, o Falcão-peregrino, o Gavião, a Cobra-de-capuz, o Lagarto-de-água, a Víbora-cornuda e a Boga-portuguesa, encontram-se em estado de conservação prioritária, devido às probabilidades de extinção da espécie.

Parque Natural do Litoral Norte
Este Parque Natural estende-se ao longo de 16 quilómetros, pelo litoral norte, entre a foz do Rio Neiva e a zona da Apúlia, em Esposende. Tem cerca de 8.887 hectares, sendo que 7.653 são de área marinha e os restantes de área terrestre, a sua altitude em terra varia entre os 10 e os 20 metros e na zona marinha não ultrapassa os 50 metros de profundidade. O Parque Natural do Litoral Norte é, então, composto pelas praias de Neiva e do Cávado, com recifes e dunas, pelo cabedelo do Rio Cávado, por pinhal, carvalhal e campos agrícolas.

A zona costeira do Norte tem vindo a sofrer nos últimos anos com a crescente criação de zonas urbanas e com a extração elevada de areia das praias e dunas. Para combater este fenómeno urbanista, a Assembleia Municipal de Esposende reuniu esforços para classificar esta área como sendo Área Protegida, visando proteger as características naturais, físicas, estéticas, paisagísticas e culturais da mesma, incluindo: habitats costeiros, dunas, florestação, recifes, estuários e a lagoa costeira.

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina é outro paraíso português. Localizado entre São Torpes e Burgau, na costa sudoeste, este parque possui mais de 130.000 hectares e constitui uma biodiversidade, tanto de flora como de fauna, elevada.

No que diz respeito à flora terrestre, uma mistura de vegetação mediterrânica, atlântica e norte-africana, possui vegetação típica de solos calcários, dunas, charnecas, áreas alagadiças, árvores e arbustos típicos, nas zonas mais ribeiras. Já ao nível da flora marinha, o Parque Natural do Sudeste Alentejano e Costa Vicentina dá lugar a arribas, recifes, algas e é o habitat de inúmeras espécies marinhas, pelo facto de ser uma zona favorável em termos de abrigo, alimentação, crescimento e reprodução.

A fauna característica do Parque é constituída pelo falcão-peregrino, pelo peneireiro-das-torres, pela gralha-de-bico-vermelho, pelo corvo-marinho-de-crista, pela águia-pesqueira e pela águia-de-bonelli, localizadas essencialmente nas arribas marítimas da costa, e pelas aves migratórias que por aqui passam. Da fauna terrestre, destaca-se a lontra, o texugo, a fuinha e o sacarrabo.

Se procura atividades para se divertir no Parque, existem várias empresas locais autorizadas para tornar a sua visita ainda mais interessante. Pode consultá-las no website do Registo Nacional de Turismo.