Viagem e Aventuras

5 Bibliotecas Portuguesas que Não Pode Deixar de Visitar

Conheça as 5 bibliotecas mais emblemáticas de Portugal que não pode deixar de visitar.Monday, July 1, 2019

Por National Geographic
Estantes de livros da Biblioteca Pública de Évora.

Algumas das bibliotecas portuguesas pertencem à lista das bibliotecas mais bonitas e importantes do mundo. Percorremos o país para descobrir quais são as mais emblemáticas e a história de cada uma delas. Preparado para uma roadtrip por cinco bibliotecas portuguesas?

Bibliotecas portuguesas
As bibliotecas portuguesas desta roadtrip têm muito mais para oferecer do que apenas livros. Têm diferentes estilos arquitetónicos e decorativos de cortar a respiração e inúmeras histórias que o vão deixar boquiaberto. Vamos conhecê-las!

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra sob o retrato de D. João V.

Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra
Situada numa das mais históricas cidades portuguesas, a Biblioteca Joanina acolhe mais de 57.000 livros, distribuídos pelos três andares do imperioso edifício barroco: o Piso Nobre, o Intermédio e a Prisão Académica. O nome atribuído à antiga Casa da Livraria deriva do nome D. João V, responsável pelo patrocínio da sua construção, entre 1717 e 1728.

É um dos ex-libris da cidade e um dos locais que confere autenticidade e celebridade à Universidade de Coimbra, onde foi construída. Combina materiais exóticos e milhares de obras e coleções raras, exaltando a riqueza da época em que foi edificada.

A sua preservação é da responsabilidade da colónia de morcegos que habita na Biblioteca Joanina que, durante a noite, se vai alimentando dos insetos bibliófagos. Para além disso, todas as noites, ao fechar a biblioteca, as mesas de madeira são revestidas com toalhas de couro, para evitar danos causados pelos insetos e morcegos.

A Biblioteca Joanina é composta por inúmeras estantes totalmente revestidas por folha de ouro, motivos chineses e livros que o vão deixar boquiabertos com a sua exuberância e singularidade.

Faz parte da lista de bibliotecas mais bonitas do mundo, distinguida pelo fotógrafo italiano Massimo Listri, no livro 'The World’s Most Beautiful Libraries'.

Biblioteca da Cruz Vermelha Portuguesa
A Biblioteca da Cruz Vermelha Portuguesa faz parte do Palácio dos Condes de Óbidos, em Lisboa, classificado como imóvel de interesse público em 1993. O edifício foi construído em 1935, tendo sido inspirado no Salão Nobre da Academia de Ciências de Lisboa, outra paragem deste roteiro pelas mais belas bibliotecas portuguesas.

Da pintura à decoração, é impossível não ficar deslumbrado com a beleza do interior da Biblioteca da Cruz Vermelha Portuguesa. Os tetos são preenchidos por pinturas alegóricas às 7 Artes Liberais e um painel central pintado por Gabriel Constante, em 1938, que imortaliza a Paz de Alvalade, onde figuram a Rainha Santa Isabel, D. Dinis e D. Afonso.

O enorme lustre de cristal suspenso no centro da sala é de tirar a respiração, assim como o seu arquivo composto por mais de 20.000 obras. Grande parte dos títulos dizem respeito ao Movimento Internacional da Cruz Vermelha, o Direito Internacional Humanitário e algumas obras relacionadas com a legislação militar, como as Ordens do Exército, de 1865.

Aproveite para visitar as restantes instalações do Palácio dos Condes D’Óbidos, um espaço que o fará recuar na História, com o guia responsável por este espaço nobre. Pode fazer a sua marcação através deste contacto, tendo em conta que apenas são realizadas visitas com marcação prévia, com um número mínimo de 15 pessoas por visita, na segunda 4ª feira de cada mês, das 15h00 às 16h00.

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra.

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra
O Palácio Nacional de Mafra, mandado construir por D. João V em 1717, acolhe uma das mais importantes bibliotecas portuguesas e uma das mais belas do mundo, segundo o livro 'The World’s Most Beautiful Libraries'.

A Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra possuiu um acervo de mais de 40.000 volumes, alinhados nas estantes em estilo rococó e revestidos, em alguns casos, com encadernações em couro gravadas a ouro.

Das inúmeras obras raras, destacam-se a Coleção de Incunábulos – obras impressas até 1500 -, a conhecida “Crónica de Nuremberga”, de 1493, a primeira Enciclopédia e as várias Bíblias.

Situada no 4.º piso da ala nascente do Palácio, numa das maiores salas do edifício – em forma de cruz, possui 85 metros de comprimento e 9,5 metros de largura –, a biblioteca possui uma estrutura arquitetónica e uma decoração singular que deixam qualquer um deslumbrado.

O pavimento é feito de pedra liós de várias cores, o centro é composto por uma abóbada com quatro arcos, a fachada é feita de pedra-mármore com um rosto humano representando o Sol.

A Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra é eternizada em 'O Memorial do Convento', de José Saramago, e esconde uma parte da História de Portugal, tornando-a ainda mais especial aos olhos de quem a visita.

Biblioteca da Academia das Ciências de Lisboa
É na Academia das Ciências de Lisboa que se encontra uma das mais importantes e belas bibliotecas portuguesas, após a união do seu próprio espólio ao da Livraria do Convento Franciscano de Jesus, em 1834.

A Biblioteca da Academia das Ciências de Lisboa encontra-se repleta de obras de teor científico, filosófico, teológico, literário e artístico. Nelas incluem-se exemplares únicos de Kepler, Newton, Lineu, Buffon e outros autores de renome, utilizados, inclusive, nas aulas lecionadas pelo Padre José Mayne, em 1792.

Entre as peças mais antigas, presentes da Biblioteca, destaca-se um pergaminho do início do século XII, doado pela Rainha D. Teresa e de D. Afonso Henriques.

O seu interior vai deixá-lo encantado. Da decoração das estantes, ao friso de bustos de personalidades notáveis, passando pelos frescos do teto - pintados por Pedro Alexandrino, que dá nome ao “Salão de Pedro Alexandrino”, onde parte da biblioteca está instalada – é impossível ficar indiferente a este espaço.

Biblioteca Pública de Évora.

Biblioteca Pública de Évora
É já no Sul de Portugal que encontramos a Biblioteca Pública de Évora, fundada em 1805, sob ordem de Frei Manuel do Cenáculo. Possui uma das mais ricas coleções patrimoniais portuguesas, composta por pergaminhos, manuscritos, incunábulos, documentos musicais e outras obras.

A Biblioteca Pública de Évora beneficia do Depósito Legal, desde 1931, o que lhe permite receber toda a bibliografia publicada em Portugal. Mais tarde, em 1916, o Arquivo Distrital de Évora foi anexado a esta biblioteca. Já em 2012, a BPE passou a integrar a Biblioteca Nacional de Portugal, após a passagem pela alçada da Direção Geral do Livro e das Bibliotecas.

Se está a pensar viajar até Évora, aproveite para parar numa das bibliotecas portuguesas mais interessantes.