Sente-se à Mesa Como Um Deus Grego Nesta Ilha Banhada Pelo Sol

Naxos, um refúgio cénico no Mediterrâneo, reúne milhares de anos de história gastronómica vinda diretamente das quintas para a mesa.quarta-feira, 10 de julho de 2019

A luz do sol atravessa a “chora”, ou cidade principal, de Naxos. A maior das Ilhas Cíclades da Grécia, Naxos é o lar de um terreno único e de um vasto legado culinário.
A luz do sol atravessa a “chora”, ou cidade principal, de Naxos. A maior das Ilhas Cíclades da Grécia, Naxos é o lar de um terreno único e de um vasto legado culinário.
fotografia de Rainer Hackenberg, Redux

Abra caminho pela multidão que desembarca diariamente do ferry, atravesse um passadiço de madeira – com polvos pendurados a secar em toldos – e entre num labirinto de ruelas que vão dar a lojas e restaurantes ao ar livre. Chegou à cidade principal, ou chora, de Naxos, na Grécia.

A quatro horas de ferry da região sudeste de Atenas, a ilha de Naxos oferece uma alternativa tranquilizante às ilhas vizinhas de Mykonos e Santorini. Naxos também é a maior das Ilhas Cíclades – e a única completamente autossuficiente, com todos os recursos alimentares disponíveis diretamente na ilha, sem necessidade de importações. Os habitantes naxiots cultivaram os 427 km quadrados de terreno verdejante e diversificado da ilha ao longo de milénios, e anualmente reúnem-se na ilha centenas de milhares de turistas para se deleitarem com os seus tesouros gastronómicos.

“Melachrino”, um bolo de noz denso e humedecido com Kitron (bebida espirituosa à base de cidra), é a sobremesa perfeita para qualquer refeição em Naxos.
“Melachrino”, um bolo de noz denso e humedecido com Kitron (bebida espirituosa à base de cidra), é a sobremesa perfeita para qualquer refeição em Naxos.
fotografia de Nikos Anagnostopoulo, Taverna Axiotissa

Segundo a mitologia grega, Dionísio, o deus do vinho, abençoou a ilha de Naxos com fertilidade. É verdade que a paisagem da ilha produz uma vasta abundância que invade a culinária local. A pesca não é uma fonte primária de alimento devido à falta de portos naturais. Em vez disso, as vacas pastam em campos costeiros que absorvem a neblina do mar, as cabras e ovelhas mascam orégãos e tomilho nas colinas rochosas, e as galinhas e os coelhos alimentam-se de compostos vegetais extremamente ricos. Naxos, uma ilha singular entre as secas e estéreis Cíclades, produz uma colheita fértil de queijos; carnes; manteiga; batatas; óleo; mel; especiarias; e Kitron, uma bebida espirituosa feita localmente a partir de folhas e frutos de cidreira.

Os naxiots honram estes sabores naturais e ousados em receitas que não precisam de mãos cheias de sal. Na cidade de Naxo, é fácil encontrar pratos tradicionais soberbos, mas para desfrutar da riqueza da ilha é preciso enfrentar as sinuosas estradas nos penhascos, a caminho das montanhas, para degustar um jantar com uma pitada de cultura das aldeias locais.

Degustações obrigatórias
Kokoras me Makaronia (frango estufado em molho de tomate): A carne rija dos frangos de Naxos – que vagueiam por terrenos acidentados e têm músculos mais fortes – exige tempos de cozedura mais longos. As horas de cozedura em vinho tinto e tomate criam um molho exuberante que é servido com espaguete fresco. Embora este prato seja omnipresente na região, não há nada melhor do que fazer a sua degustação em tabernas da aldeia: experimente a Pigi, em Ano Potamia, ou a Matina & Stavros, em Koronos.

“Kokoras me makaronia” (frango estufado em molho de tomate) é um dos pratos tradicionais de Naxos. As tabernas familiares locais são os melhores sítios para o provar.
“Kokoras me makaronia” (frango estufado em molho de tomate) é um dos pratos tradicionais de Naxos. As tabernas familiares locais são os melhores sítios para o provar.
fotografia de Vioma Naxos

Coelho selvagem: Na cozinha familiar Taverna Axiotissa, em Kastraki, os cozinheiros acentuam os sabores naturalmente sumptuosos do animal assando-o com limão, cebola e orégãos, num prato chamado kouneli riganato. Dirija-se para a aldeia de Melanes para experimentar o coelho no O Giorgis: lentamente guisado com vinho tinto, molho de tomate e especiarias aromáticas.

Cabrito: Muitas vezes cozido com hórta (verduras silvestres ou cultivadas), o cabrito produz sabores fortes provenientes da sua dieta rica em ervas. As receitas simples, como o cabrito assado com cebola (kleftiko) ou o ensopado de cabrito, podem ser apreciadas na Taverna Lefteris e na Taverna Platanos, em Apeiranthos, uma aldeia conhecida pela sua celebração gastronómica comunitária.

Melachrino (bolo de noz): As nozes crescem de forma abundante por toda a ilha. Para além do baclava (pastel) tradicional, os naxiots fazem um bolo denso humedecido com Kitron local. Com laticínios, azeite e produtos vindos da sua quinta local, o Apolafsi, um restaurante em Kastraki, serve um cardápio completo que termina de forma triunfal com o melachrino.

Como fazer a sua visita
Faça uma reserva num dos ferries diários para Naxos, a partir de Atenas ou das ilhas vizinhas, como Creta, Mykonos ou Santorini. Durante o verão, os barcos costumam estar lotados, por isso, pague mais algum dinheiro para ter lugares de primeira classe mais espaçosos – ou visite a região durante a época baixa (maio-junho e setembro-outubro). Também pode voar diretamente de Atenas com a Aegean Airlines-Olympic Air. Alugue um carro para facilitar o acesso às aldeias, pois o sistema de autocarros é um pouco confuso e algumas das viagens podem demorar horas. Para ter uma visão geral da viagem a Naxos, o Discover Greece oferece muitas informações úteis.

Fique hospedado num dos vários hotéis da cidade e, de seguida, visite lojas especializadas como a Tyrokomia Naxou (queijos artesanais) ou a Tziblakis Traditional Shop (ervas, chás e utensílios de cozinha). Para mergulhar profundamente na exploração culinária, reserve uma visita ou aula de culinária com a Vioma Naxos. Se no final ainda estiver com fome, termine a noite no Oniro Wine Bar Restaurant, para descobrir abordagens modernas a receitas clássicas, como o guisado de carne (kalogeros) ou a perna de porco cozida de forma prolongada (rosto).

Apesar de muitas das tradições do velho mundo permanecerem enraizadas nas tabernas familiares, o restaurante Oniro faz parte de uma tendência de técnicas recentes que introduz estes pratos na era moderna.

"As gerações mais novas que abandonaram Naxos para prosseguir os estudos e carreiras noutros lugares estão agora a regressar com novas perspetivas", disse Vaggelis Foutakoglou, nativo de Naxos e coproprietário do Ep'Avlis, um pequeno hotel independente. "Eles estão a regressar, mas mantêm as tradições vivas."
 

RELACIONADO: 21 CIDADES GASTRONÓMICAS DE TODO O MUNDO

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler