Viagem Ecológica do Mês: Guarda

A viagem ecológica de novembro leva-nos até à Guarda. Um concelho onde o património histórico, cultural e natural se fundem entre si.

Thursday, November 28, 2019,
Por National Geographic
Igreja da Misericórdia, Guarda
Igreja da Misericórdia, Guarda
Fotografia de Município da Guarda

A Guarda é um concelho localizado no Interior Centro de Portugal, entre o Planalto Guarda-Sabugal e a Serra da Estrela. Caracterizada pelo seu clima frio e montanhoso, a Guarda possui vários locais interessantes para visitar, assim como experiências culturais para vivenciar. Reunimos algumas sugestões para visitar na sua próxima viagem à Guarda.

Guarda: a cidade dos 5 F’s
A Guarda é um dos maiores concelhos do país devido à sua área, número de habitantes e freguesias que possui. A sua área ronda os 712.11 km2 e são mais de 45.541 os habitantes do concelho, espalhados pelas suas 43 freguesias.

Apresenta-se como “a cidade dos 5 F’s”: Forte, Farta, Fria, Fiel e Formosa. É considerada Forte pela dureza do granito que a caracteriza e pelo sistema defensivo que ergueu em tempos. Farta pelos vales férteis e cursos de água que garantem a sustentabilidade do concelho e da sua gastronomia típica e Fria pelo clima que possui.

O atributo Fiel teve origem na sua História e nas características da sua população. É, ainda, identificada como uma cidade Formosa por ser herdeira de um património único que retrata os seus mais de 800 anos de história.

Torre de Menagem da Guarda
Fotografia de Município da Guarda

O que visitar na Guarda

Sé Catedral da Guarda
A Sé Catedral da Guarda é uma edificação de estilo gótico construída entre 1390 e inícios do século XVI. É um dos maiores monumentos da história arquitetónica portuguesa. Foi mandada construir após a transferência da sede de Bispado de Idanha-a-Velha para a cidade, em 1203, por influência de D. Sancho I.
O seu interior e exterior refletem o estilo gótico presente na época. O pórtico da fachada norte e o retábulo monumental do altar da cabeceira, esculpido em pedra de Ançã, capta a atenção de quem visita a Catedral. Também o estilo manuelino pode ser observado nas suas janelas e colunas e o estilo renascentista na sua ornamentação.

Igreja da Misericórdia
A Igreja da Misericórdia é um dos edifícios mais icónicos da Guarda. Situa-se junto à Porta dos Ferreiros e foi construída no século XVIII. Não pode deixar de visitá-la.
Possui uma planta longitudinal, de escala monumental e de apenas uma nave. No centro da sua fachada principal encontra-se o portal de acesso, em arco abatido, enquadrado por ornatos do estilo Barroco e sobreposto pelas armas de D. João V. Pode observar a imagem de Nossa Senhora da Misericórdia no topo da mesma fachada.

Museu da Guarda
Reúne toda a História da cidade e tem como missão o estudo, a conservação e a divulgação do seu património cultural. Das suas coleções, destacam-se as espadas da Idade do Bronze, as moedas romanas, as esculturas renascentistas e as pinturas portuguesas dos séculos XIX e XX.
A própria edificação em que o museu se encontra instalado não deixa nenhum visitante indiferente. O Museu da Guarda situa-se no centro da cidade, no edifício do antigo Seminário Episcopal do século XVII.
De outubro a abril, o museu encontra-se aberto de terça-feira a domingo, das 9h00 às 17h30. No horário de verão, nos restantes meses, pode visitar as instalações entre as 9h30 e as 18h. O bilhete ronda os 2€, aplicando-se um desconto de 50% em bilhetes para idosos, jovens/estudantes e famílias. Crianças até aos 12 anos de idade e no primeiro domingo de cada mês a entrada é gratuita. Aproveite!

Bairro Judaico
Perto da Porta D’El Rei, dentro das muralhas da cidade, encontra o antigo Bairro Judaico da Guarda. Em tempos, encontrava-se aqui uma das mais importantes comunidades judaicas de Portugal.
Este bairro tinha início na Porta D’El Rei e estendia-se até à Rua Direita e era a continuação de um bairro judaico anterior, mencionado na Carta de 1199. Há registos que confirmam que D. Dinis deu o foro às comunidades judaicas da Paróquia de São Vicente, no século XIII.

Portas da cidade
Em determinados momentos, as muralhas da cidade eram abertas com portas monumentais, tais como a Porta da Erva, também conhecida como Porta da Estrela, a Porta D’El Rei e a Porta dos Ferreiros.
Estas aberturas faziam parte do sistema defensivo da Guarda e ficavam estrategicamente localizadas, tendo em conta o arranque das grandes vias de circulação que tornavam possível o contacto com o exterior.

Continuar a Ler