A disseminação global do coronavírus está a afetar os viajantes. Mantenha-se atualizado sobre a explicação científica por trás do surto>>

Viajar Para a Austrália? Eis o que Deve Saber.

Enquanto as chamas fustigam o território australiano, descubra de que forma o turismo é afetado e o que pode fazer para ajudar.

Publicado 14/01/2020, 14:47 WET, Atualizado 5/11/2020, 06:02 WET
Visitantes da Casa do Parlamento, em Canberra, com máscaras faciais devido ao fumo dos incêndios florestais ...
Visitantes da Casa do Parlamento, em Canberra, com máscaras faciais devido ao fumo dos incêndios florestais que cobriu a capital australiana no dia 5 de janeiro de 2020.
Fotografia de Alex Ellinghausen, The SMHFairfax Media via Getty Images

O início da nova década foi dominado pelas imagens da Austrália em chamas. Os violentos incêndios florestais já ceifaram 23 vidas e destruíram quase 2 mil casas. Acredita-se que tenham morrido 500 milhões de animais – incluindo cerca de 30% dos coalas em Nova Gales do Sul – já que os incêndios queimaram uma área maior do que os fogos de 2019 da Amazónia e da Califórnia juntos.

Cerca de 150 incêndios ainda lavram pelas terras de Victoria e Nova Gales do Sul, as áreas com mais densidade populacional do país, e as autoridades preveem que esta crise possa demorar vários meses até ficar controlada. Portanto, será que os viajantes devem manter-se afastados da Austrália? Eis o que precisa de saber.

Os pontos vermelhos mostram as localizações dos incêndios detetados na Austrália na segunda semana de janeiro de 2020.
Fotografia de NASA

O que fazer com uma viagem planeada à Austrália?
A boa notícia para os viajantes, de acordo com um comunicado divulgado no dia 3 de janeiro pelo Turismo da Austrália, é a de que muitas áreas do país não foram afetadas pelos incêndios, e a grande maioria das empresas de turismo ainda está em funcionamento. Os viajantes podem monitorizar as condições atuais nos sites oficiais dos bombeiros e nos feeds do Twitter de cada estado e território. Atualizados com frequência, estes recursos identificam as zonas dos incêndios e quais são as medidas a adotar nessas áreas.

Desenvolvida pelo Serviço de Bombeiros Rurais de Nova Gales do Sul, a aplicação Fires Near Me (disponível para iOS e Android) rastreia incêndios por todo o país e identifica as áreas queimadas. Estas áreas não estão necessariamente vedadas, mas antes da partida, os turistas devem procurar as informações mais atualizadas, e devem permanecer informados sobre as alterações enquanto estiverem no terreno.

Os incêndios não devastaram grandes cidades, mas o fumo diminuiu a qualidade do ar em Canberra, em Melbourne e sobretudo em Sidney. Os viajantes podem monitorizar a qualidade do ar em tempo real no site Aqicn.org. E dada a elevada demanda por máscaras respiratórias P2 e N95, considere trazer uma de casa.

Quando planear a sua próxima viagem?
Com Nova Gales do Sul e Victoria atualmente em estado de emergência, e até que surjam informações em contrário por parte das autoridades locais, aconselha-se o adiamento das reservas para as regiões afetadas e em risco. Mas não deixe que isso tire a Austrália da sua lista de desejos. Dado que as operadoras preveem que esta temporada de incêndios florestais possa vir a dar prejuízos na ordem dos centenas de milhões de dólares, provavelmente a melhor coisa que os viajantes podem fazer para ajudar o país a recuperar é visitá-lo.

Quais são as zonas afetadas?
A costa sul de Nova Gales do Sul e a área leste de Gippsland, no nordeste de Victoria, muito conhecidas pelas suas cidades costeiras e regiões vinícolas, foram as mais atingidas. A água potável em várias das cidades também foi afetada; consulte os sites oficiais de cada região para obter mais informações.

Cerca de um terço da Ilha Kangaroo, na Austrália Meridional, foi dizimada pelos incêndios. Na costa oeste da ilha, o principal hotel ecológico da Austrália, o Southern Ocean Lodge, também não sobreviveu às chamas.

Todos os parques nacionais, incluindo as zonas para acampar na costa sul de Nova Gales do Sul e no Parque Nacional Kosciuszko (que perdeu a Estância de Esqui de Selwyn nos incêndios) estão fechados até informações em contrário. Vários dos parques e acampamentos na Grande Sydney também estão encerrados, incluindo o Parque Nacional Blue Mountains, com previsões de interrupções nas linhas férreas nas montanhas que podem demorar meses. A Parks Victoria também encerrou nove parques nacionais.

Nos outros estados, incluindo Queensland, Austrália Ocidental e Tasmânia, os fogos estão supostamente sob controlo, e os destinos turísticos mais cobiçados – como a Grande Barreira de Corais de Queensland e os trilhos de caminhadas da Tasmânia – estão abertos ao público. E mesmo em Nova Gales do Sul e em Victoria existem muitas coisas a funcionar normalmente, como a cidade do surf no norte da Baía de Byron e a Estrada Great Ocean de Victoria.

O que provocou os incêndios?
Apesar de muitos dos cientistas climáticos estarem relutantes em atribuir os impactos das alterações climáticas a este evento em específico, todos concordam que estas condições exacerbam a ocorrência de incêndios florestais. Uma combinação entre um período de seca recorde – o ano mais quente da Austrália de que há registo – o tempo seco e ventoso, e o combustível pronto para arder no solo criaram as condições perfeitas para um verão infernal na Austrália.

No rescaldo da crise, o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, foi criticado internacionalmente por subestimar o papel do aquecimento global, e por se opor às medidas de combate às alterações climáticas (a Austrália é um dos maiores emissores de carbono per capita do mundo) e por rejeitar o financiamento adicional necessário para os bombeiros.

Como pode ajudar?
Existem vários apelos para ajudar os bombeiros, as pessoas e os animais selvagens afetados pela crise dos incêndios florestais na Austrália. Inicialmente projetado para apoiar o Serviço de Bombeiros Rurais de Nova Gales do Sul, o evento de angariação de fundos lançado no Facebook pelo comediante australiano Celeste Barber foi tão bem-sucedido (angariando 28 milhões de dólares) que agora os fundos serão distribuídos pelos serviços de bombeiros de todos os estados. Também é possível fazer doações diretamente para os serviços estaduais dos bombeiros.

A Cruz Vermelha Australiana pediu doações para ajudar a fornecer serviços de assistência a milhares de australianos afetados pelos incêndios. E o governo de Victoria também fez parceria com o Banco Bendigo e o Exército de Salvação para estabelecer o Recurso de Fogos Florestais de Victoria, com 100% dos fundos a irem diretamente para as comunidades mais carenciadas. Também foram lançadas várias angariações de fundos através do site GoFundMe.

Para além disso, o Serviço de Informação, Resgate e Educação de Vida Selvagem de Nova Gales do Sul, o World Wildlife Fund Austrália e a RSPCA disponibilizaram recursos para ajudar a vida selvagem afetada pelo fogo. E as doações recolhidas pelo Hospital Port Macquarie Koala também estão a ser partilhadas com outras organizações de vida selvagem.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados