Viajar Para a Austrália? Eis o que Deve Saber.

Enquanto as chamas fustigam o território australiano, descubra de que forma o turismo é afetado e o que pode fazer para ajudar.terça-feira, 14 de janeiro de 2020

O início da nova década foi dominado pelas imagens da Austrália em chamas. Os violentos incêndios florestais já ceifaram 23 vidas e destruíram quase 2 mil casas. Acredita-se que tenham morrido 500 milhões de animais – incluindo cerca de 30% dos coalas em Nova Gales do Sul – já que os incêndios queimaram uma área maior do que os fogos de 2019 da Amazónia e da Califórnia juntos.

Cerca de 150 incêndios ainda lavram pelas terras de Victoria e Nova Gales do Sul, as áreas com mais densidade populacional do país, e as autoridades preveem que esta crise possa demorar vários meses até ficar controlada. Portanto, será que os viajantes devem manter-se afastados da Austrália? Eis o que precisa de saber.

O que fazer com uma viagem planeada à Austrália?
A boa notícia para os viajantes, de acordo com um comunicado divulgado no dia 3 de janeiro pelo Turismo da Austrália, é a de que muitas áreas do país não foram afetadas pelos incêndios, e a grande maioria das empresas de turismo ainda está em funcionamento. Os viajantes podem monitorizar as condições atuais nos sites oficiais dos bombeiros e nos feeds do Twitter de cada estado e território. Atualizados com frequência, estes recursos identificam as zonas dos incêndios e quais são as medidas a adotar nessas áreas.

Desenvolvida pelo Serviço de Bombeiros Rurais de Nova Gales do Sul, a aplicação Fires Near Me (disponível para iOS e Android) rastreia incêndios por todo o país e identifica as áreas queimadas. Estas áreas não estão necessariamente vedadas, mas antes da partida, os turistas devem procurar as informações mais atualizadas, e devem permanecer informados sobre as alterações enquanto estiverem no terreno.

Os incêndios não devastaram grandes cidades, mas o fumo diminuiu a qualidade do ar em Canberra, em Melbourne e sobretudo em Sidney. Os viajantes podem monitorizar a qualidade do ar em tempo real no site Aqicn.org. E dada a elevada demanda por máscaras respiratórias P2 e N95, considere trazer uma de casa.

Quando planear a sua próxima viagem?
Com Nova Gales do Sul e Victoria atualmente em estado de emergência, e até que surjam informações em contrário por parte das autoridades locais, aconselha-se o adiamento das reservas para as regiões afetadas e em risco. Mas não deixe que isso tire a Austrália da sua lista de desejos. Dado que as operadoras preveem que esta temporada de incêndios florestais possa vir a dar prejuízos na ordem dos centenas de milhões de dólares, provavelmente a melhor coisa que os viajantes podem fazer para ajudar o país a recuperar é visitá-lo.

Quais são as zonas afetadas?
A costa sul de Nova Gales do Sul e a área leste de Gippsland, no nordeste de Victoria, muito conhecidas pelas suas cidades costeiras e regiões vinícolas, foram as mais atingidas. A água potável em várias das cidades também foi afetada; consulte os sites oficiais de cada região para obter mais informações.

Cerca de um terço da Ilha Kangaroo, na Austrália Meridional, foi dizimada pelos incêndios. Na costa oeste da ilha, o principal hotel ecológico da Austrália, o Southern Ocean Lodge, também não sobreviveu às chamas.

Todos os parques nacionais, incluindo as zonas para acampar na costa sul de Nova Gales do Sul e no Parque Nacional Kosciuszko (que perdeu a Estância de Esqui de Selwyn nos incêndios) estão fechados até informações em contrário. Vários dos parques e acampamentos na Grande Sydney também estão encerrados, incluindo o Parque Nacional Blue Mountains, com previsões de interrupções nas linhas férreas nas montanhas que podem demorar meses. A Parks Victoria também encerrou nove parques nacionais.

Nos outros estados, incluindo Queensland, Austrália Ocidental e Tasmânia, os fogos estão supostamente sob controlo, e os destinos turísticos mais cobiçados – como a Grande Barreira de Corais de Queensland e os trilhos de caminhadas da Tasmânia – estão abertos ao público. E mesmo em Nova Gales do Sul e em Victoria existem muitas coisas a funcionar normalmente, como a cidade do surf no norte da Baía de Byron e a Estrada Great Ocean de Victoria.

O que provocou os incêndios?
Apesar de muitos dos cientistas climáticos estarem relutantes em atribuir os impactos das alterações climáticas a este evento em específico, todos concordam que estas condições exacerbam a ocorrência de incêndios florestais. Uma combinação entre um período de seca recorde – o ano mais quente da Austrália de que há registo – o tempo seco e ventoso, e o combustível pronto para arder no solo criaram as condições perfeitas para um verão infernal na Austrália.

No rescaldo da crise, o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, foi criticado internacionalmente por subestimar o papel do aquecimento global, e por se opor às medidas de combate às alterações climáticas (a Austrália é um dos maiores emissores de carbono per capita do mundo) e por rejeitar o financiamento adicional necessário para os bombeiros.

Como pode ajudar?
Existem vários apelos para ajudar os bombeiros, as pessoas e os animais selvagens afetados pela crise dos incêndios florestais na Austrália. Inicialmente projetado para apoiar o Serviço de Bombeiros Rurais de Nova Gales do Sul, o evento de angariação de fundos lançado no Facebook pelo comediante australiano Celeste Barber foi tão bem-sucedido (angariando 28 milhões de dólares) que agora os fundos serão distribuídos pelos serviços de bombeiros de todos os estados. Também é possível fazer doações diretamente para os serviços estaduais dos bombeiros.

A Cruz Vermelha Australiana pediu doações para ajudar a fornecer serviços de assistência a milhares de australianos afetados pelos incêndios. E o governo de Victoria também fez parceria com o Banco Bendigo e o Exército de Salvação para estabelecer o Recurso de Fogos Florestais de Victoria, com 100% dos fundos a irem diretamente para as comunidades mais carenciadas. Também foram lançadas várias angariações de fundos através do site GoFundMe.

Para além disso, o Serviço de Informação, Resgate e Educação de Vida Selvagem de Nova Gales do Sul, o World Wildlife Fund Austrália e a RSPCA disponibilizaram recursos para ajudar a vida selvagem afetada pelo fogo. E as doações recolhidas pelo Hospital Port Macquarie Koala também estão a ser partilhadas com outras organizações de vida selvagem.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler