As Pessoas Ainda Recorrem a Agentes de Viagens?

Sim – e agora chamam-se consultores de viagens. E podem ser mais úteis do que imaginamos.

Monday, February 3, 2020,
Por Elaine Glusac
Os consultores de viagens podem ajudar uma família a planear a sua viagem e garantir que ...
Os consultores de viagens podem ajudar uma família a planear a sua viagem e garantir que as atividades e o ritmo são adequados para crianças.
Fotografia de Zia Soleil, Iconica/Getty Images

Se tem a ideia de que um agente de viagens só serve para confirmar a reserva de um voo, pense novamente. Os agentes de viagens – agora conhecidos por consultores de viagens – estão vivos e bem de saúde, mesmo numa era de pesquisas de voos no Google, ou de aplicações de reservas como a HotelTonight, que fazem as ligações entre hotéis, empresas de passeios e cruzeiros para obter bons negócios, e itinerários adaptados às necessidades de cada cliente. Em 2018, a Virtuoso, uma rede de consultores especializada em viagens de luxo, aumentou o seu número de membros em 14% (para 20 mil), um testemunho da força do setor.

Quando é que devemos recorrer a um consultor? Para uma escapadinha mais simples, pode ser mais fácil e barato fazer as coisas sem a ajuda de ninguém. “Se estiver a caminho de Vermont, por exemplo, para um fim de semana de outono, provavelmente não faz muito sentido usar um agente de viagens”, diz Kevin Brasler, editor executivo do Consumers’ Checkbook, um grupo sem fins lucrativos que supervisiona o setor. “Um consultor de viagens pode adicionar valor à equação quando o itinerário é mais complicado, ou se tivermos filhos ou avós na viagem”, diz Mollie Fitzgerald, coproprietária da empresa de viagens Frontiers. Os consultores também podem ajudar a planear viagens mais alinhadas com valores pessoais, sejam para fins de conservação da natureza ou sustentabilidade.

Os consultores, para além de agilizarem o processo de planeamento, também podem servir de apoio quando as coisas correm mal. Quando um voo é cancelado, uma reserva de hotel não é confirmada ou acontece um desastre natural, os consultores estão lá para ajudar. Em última análise, as ligações fornecidas por estes agentes podem ser o catalisador para uma viagem mais tranquila e estimulante.

Se decidir usar um consultor, eis algumas dicas para a forma como o deve fazer:

Pesquise bases de dados de consultores
Os clientes geralmente encontram consultores através de referências dadas por outras pessoas, mas a Sociedade Americana de Consultores de Viagens (ASTA) tem um banco de dados que permite aos viajantes pesquisar por destino, tipo de viagem (como ecoturismo ou genealogia) ou coorte (no caso de viajantes LGBTQ ). No site da Virtuoso, o banco de dados inclui biografias sobre os consultores e mapas com as suas viagens mais recentes. Muitos dos consultores são generalistas, mas os que se especializam em determinadas regiões, ou tipos de viagem, conseguem geralmente oferecer um serviço melhor, sobretudo para locais onde questões como a segurança ou o idioma podem ser problemáticas.

Dê prioridade aos seus interesses em específico
Perca 15 minutos a falar com um consultor ao telefone sobre as suas paixões de viagem. Se, por exemplo, deseja garantir que a sua viagem oferece algum benefício à comunidade local, um consultor pode ajudá-lo. E também pode organizar atividades extra, seja um passeio pelos bastidores de um santuário de vida selvagem no Quénia, aulas de culinária com ingredientes locais no Vietname ou participar em escavações arqueológicas na Grécia. “Os nossos consultores organizam coisas que as pessoas nem imaginam que podem solicitar”, diz Misty Ewing Belles, porta-voz da Virtuoso.

RELACIONADO: HOTÉIS ECOLÓGICOS: 13 DOS MELHORES EXEMPLOS MUNDIAIS

Não receie falar do orçamento
Se não tiver a certeza de quanto pode gastar, um consultor pode dizer-lhe o que esperar de um hotel de três ou cinco estrelas. De acordo com a ASTA, um em cada cinco clientes da chamada geração millennial recorre a um consultor para elaborar os orçamentos de viagem. E claro, estes serviços são pagos. Os consultores da Virtuoso, por exemplo, normalmente cobram entre 50 e 300 dólares, às vezes mais, dependendo da complexidade da viagem. “O lazer é o ativo mais precioso dos nossos clientes, e não queremos deixá-lo ao acaso”, diz Ewing Belles. “Somos o equivalente a consultores financeiros, mas para viagens.”

Tire partido de tarifas combinadas
Com os contratos que já têm pré-estabelecidos, os consultores de viagens conseguem muitas vezes assegurar passagens aéreas internacionais que incluem reservas de hotel, cruzeiros ou visitas, por tarifas mais atrativas do que as apresentadas. “Às vezes, as pessoas pagam a tarifa mais barata e recebem automaticamente um upgrade para a classe executiva”, diz Fitzgerald.

Reivindique extras quando planeia uma viagem de cruzeiro
As viagens de cruzeiro são particularmente boas para recorrer a um consultor. A Virtuoso obtém regularmente benefícios e regalias no valor de 800 a 3.000 dólares por viagem, sejam transportes para o aeroporto, carro e motorista no cais, ou um almoço particular na casa de um antigo embaixador.

Consiga itinerários adequados para crianças
Os consultores podem planear uma viagem com um ritmo adequado para crianças. “É importante não ter atividades em excesso”, diz Fitzgerald. “Os passeios turísticos devem ser feitos de forma incremental, sobretudo ao início do dia. E nós somos muito bons a ajudar as pessoas a maximizarem o seu tempo durante uma viagem, para não perderem horas a um balcão.”

Receba auxílio em casos de infortúnio
Recorra a um consultor de viagens para contornar regiões com surtos de doenças ou em perigo de catástrofes naturais. Se as coisas correrem mal durante uma viagem, pode ligar a um consultor para normalizar as coisas – com serviços que abrangem a remarcação de voos cancelados, ou comunicação com consulados no estrangeiro em casos de emergência.

Considere um serviço de subscrição
Os viajantes frequentes podem ponderar a utilização de serviços de subscrição, como o Essentialist. Por 1.400 dólares por ano, os membros do Essentialist recebem um designer de viagens pessoal, itinerários personalizados, conselhos de jornalistas especializados em determinado destino, acesso a guias locais e facilidades de comunicação através de uma aplicação para telemóvel.

Em Portugal as principais agências de viagens possuem consultores de viagens que o poderão aconselhar, ajudar a planear e tratar de todo o processo relativo à sua viagem.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler