Costa Vicentina: Viaje com Um Pé na Areia e Outro no Mar

No Parque Natural do Sudoeste Alentejano encontra a Costa Vicentina. Conheça mais de 100 km de beleza pura que o litoral de Portugal tem para oferecer.

Tuesday, March 31, 2020,
Por National Geographic
Município de Aljezur, Amoreira
Município de Aljezur, Amoreira
Fotografia de Município de Aljezur

A Costa Vicentina faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e constitui a maior extensão da costa portuguesa protegida, estendendo-se ao longo de mais de 100 quilómetros de costa. Na faixa do litoral entre Odeceixe e Burgau, sobressaem as paisagens imponentes e deslumbrantes.

O Alentejo e o Algarve oferecem, a todos os visitantes sem exceção, um misto entre história, aventura, natureza e as experiências mais diversificadas que pode imaginar. Desde caminhadas, passeios a cavalo, de bicicleta, barco ou até num balão de ar quente!

Conhecer melhor a Costa Vicentina
O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina abrange o litoral do sudoeste de Portugal Continental, estendendo-se aos distritos de Setúbal (Sines), Beja (Odemira) e Faro (Aljezur e Vila do Bispo). O Parque foi criado no ano de 1988 e compreende ainda a zona submarina de 2 quilómetros a partir da costa, incluindo o vale do rio Mira, da foz à vila de Odemira.

No Parque e Costa Vicentina é possível deslumbrar-se com as diversas paisagens e habitats naturais e seminaturais, como as arribas, as falésias, as praias, e as ilhotas, como é o caso da Ilha do Pessegueiro. Poderá ainda visitar o estuário do Mira, o Cabo Sardão, o Promontório de Sagres e o Cabo de São Vicente.

São Vicente e Sagres destacam-se por se localizarem no extremo sudoeste do continente europeu onde, na Idade Média, se pensava ser o fim do mundo, pelas vistas fabulosas sobre o mar imenso. Esta é também a zona ideal para a observação de aves, especialmente no mês de outubro, altura em que chegam as espécies oriundas do Norte à procura de locais mais quentes e, altura em que se realiza o Festival de Observação de Aves em Sagres.

As dunas, as charnecas, as lagoas temporárias, os barrancos e muitos outros sistemas, vão tornar a sua visita rica e proporcionar-lhe memórias impagáveis pela Costa Vicentina.

Ao longo do Parque poderá encontrar ainda um misto de vegetação mediterrânea, norte-atlântica e africana. São mais de 750 espécies, dos quais 100 são endémicas, raras ou localizadas. Há, inclusive, 12 espécies que não existem em mais nenhum local do mundo. Aqui encontrará, por exemplo, as únicas lontras em habitat marinho em Portugal e das últimas na Europa; as raras águias pesqueiras; as cegonhas-brancas, sendo que o Parque é o único local do mundo em que elas nidificam nos rochedos; da flora, destaca-se a Biscutella Vicentina e o Plantago Almogravensis.


O que pode fazer pela Costa Vicentina
Ao longo da Costa Vicentina as ofertas são muito diversificadas, para todos os gostos e para todas as idades.

As praias são excelentes anfitriãs para atividades como o surf ou o mergulho. Os areais extensos de perder de vista, com grandiosas arribas de xisto e calcário, convidam a um momento relaxante e a assistir ao pôr do sol no mar.

Ainda na variedade da oferta das praias, destacam-se as praias de Porto Covo, Malhão, Vila Nova de Milfontes, Almograve, Monte Clérigo, Arrifana e a Praia do Amado, algumas ainda em estado quase selvagem, sem grande intervenção humana.

A Zambujeira do Mar não fica indiferente e de lá é possível também explorar muitas praias isoladas, praticamente desérticas. Daqui pode iniciar uma rota pela Costa Vicentina.

Praia da Arrifana.
Fotografia de Município de Aljezur

Percursos ao longo da Costa Vicentina
Partindo de Zambujeira do Mar é possível percorrer o troço que liga Zambujeira a Odeceixe, num percurso de cerca de 18 quilómetros; de Zambujeira a Almograve, percorrendo aproximadamente 22 quilómetros ou, ainda, perder-se pelos 9 quilómetros do Cabo Sardão.

Pode também partir de Odeceixe, o ponto mais a norte da Costa Vicentina, cuja praia permite banhos de mar e de rio, por se desenvolver para os dois lados de uma ribeira. Daqui pode explorar as praias também quase desertas das Adegas (reservada à prática do naturismo), Vale dos Homens, Carriagem e Amoreira.

Todas as rotas prometem ser inesquecíveis, levando-o à descoberta entre a vegetação e as vistas panorâmicas sobre a costa escarpada. 

Conforme o tipo de explorador que se considere ser, escolha o melhor percurso pedestre para si e entregue-se à região:
- Pode optar por um percurso que abrange as vilas e aldeias da região, num itinerário entregue à história da Costa Vicentina;
- Optar por seguir sempre junto ao mar, seguindo as pegadas dos habitantes locais para acesso às praias e zonas piscatórias. Por aqui irá percorrer as falésias, debater-se com os areais, absorver uma natureza selvagem, acompanhada com o desafio do vento vindo do mar;
- Poderá ainda alargar a sua estadia pela costa e combinar os dois tipos de percursos, beneficiando do prazer de caminhar, entre a cultura, a história e o mar.

Vila de Aljezur
Fotografia de Município de Aljezur

Gastronomia: peixe e vinho sobre a mesa
Ao longo de toda a Costa Vicentina irá encontrar, como protagonistas de qualquer ementa, o peixe fresco, o marisco e o aclamado vinho alentejano. O pão, a carne de porco e o azeite, em conjunto com variados temperos, afirmam a gastronomia da região.

Partindo dos pequenos pratos de petiscos, poderá degustar várias delícias da região, sendo os ovos mexidos com espargos selvagens, os pimentos assados, os torresmos e as migas, que pode acompanhar com as carnes de porco fritas ou o bacalhau desfiado, algumas das especialidades.

A sopa, nesta localidade, é algo imprescindível a todas as refeições. Não só a açorda alentejana merece destaque. Não deixe também de provar o gaspacho, a sopa de cação, de bacalhau ou de tomate com linguiça, todas feitas com pão.

Centrados no prato principal, a prova do peixe fresco é obrigatória. Não se esqueça dos percebes apanhados na costa, dos pratos típicos com amêijoa e dos mariscos. A carne de porco à alentejana também o irá confortar sem igual. Para uma refeição em beleza, acompanhe com os queijos e vinhos produzidos na região. Não termine sem experimentar os doces tradicionais. Estes primam pela utilização de ovos, leite e canela. A sugestão é pedir o doce da casa e deixar-se surpreender pela oferta.

Em suma, visitar a Costa Vicentina é entregar-se a um caminho de verdadeiros refúgios gastronómicos, a pratos tradicionais de receitas cheias de sabores, com a combinação de ingredientes das suas terras, que farão as delícias até dos visitantes mais exigentes.

A Costa Vicentina é uma das regiões mais bonitas de Portugal, com cenários privilegiados para os diferentes tipos de visitantes. Prima pela diversidade, beleza e tranquilidade, com oferta de praias fabulosas e localidades repletas de história.

Continuar a Ler