Descubra os 12 Incríveis Castelos no Alentejo

Viajar por Portugal é maravilhar-se com história e paisagens inesquecíveis. Descubra os mais belos castelos no Alentejo.

Publicado 11/03/2020, 14:59 WET, Atualizado 5/11/2020, 06:02 WET
Castelo de Amieira
Castelo de Amieira, Portugal: vista panorâmica.
Fotografia de Fortalezas | Fortificações Mundo

Há muitas formas perfeitas de se entregar à terra das planícies, no centro-sul de Portugal. Uma delas é fazendo uma rota pelos castelos no Alentejo, a forma perfeita para conhecer a sua história.

Histórias centenárias dos castelos no Alentejo
O Alentejo é rico na história e cultura que representa o centro-sul do país lusófono. Portugal, com perto de 500, é um dos países da Europa com mais castelos e fortificações. Uma visita a este canto da Península Ibérica permite explorar os castelos centenários que surgiram à medida que Portugal conquistava o território para sul e que ainda hoje persistem.
Para quem é apreciador de passeios históricos, a abundância e a qualidade do património que o Alentejo oferece é o convite ideal para conhecer a história da terra e das suas gentes, de cada muralha, castelo, fortes e das suas vilas.

12 incríveis castelos no Alentejo
Castelo de Arraiolos;
Castelo da Amieira;
Castelo de Beja;
Castelo de Castelo de Vide;
Castelo de Elvas;
Castelo de Estremoz;
Castelo de Évora Monte;
Castelo de Marvão;
Castelo de Montemor-o-Novo;
Castelo de Monsaraz;
Castelo de Noudar;
Castelo de Viana do Alentejo.

Os castelos no Alentejo são memórias de outros séculos. Contam as velhas estórias, que passam de geração em geração e são contadas aos transeuntes curiosos. Largaram a sua função de defesa e tornaram-se em atrações turísticas, sendo assim conservadas ao longo dos anos.

Conheça os fantásticos castelos no Alentejo:

Castelo de Arraiolos
Situa-se na região de Évora, no topo do Monte de São Pedro, sobrepondo-se de forma imponente sobre a vila, permitindo uma visão 360º da vasta planície alentejana. Construído por volta de 1305, sobre o reinado de D. Dinis, foi doado em 1387 a D. Nuno Álvares Pereira, intitulado de Conde de Arraiolos.
O castelo está envolvido por uma muralha de forma elíptica, a partir da qual se avistam os campos alentejanos ao longo de quilómetros a toda a volta. Foi remodelado no reinado de D. João IV, ficando ao abandono e, por fim, em ruínas após graves danos originários do terramoto de 1755. É dos poucos no mundo a contar com uma arquitetura circular.
Em 1910 foi classificado como Monumento Nacional e foram executadas obras de recuperação, pela Direção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais.

Castelo da Amieira
O Castelo da Amieira é um excelente exemplar da arquitetura militar do século XIV. A mando do Prior da Ordem do Hospital, D. Frei Álvaro Gonçalves Pereira, foi construído em 1350.
O castelo é formado por um quadrilátero flanqueado por quatro torres quadradas.
Do conjunto de castelos no Alentejo, este teve um único episódio militar em que esteve envolvido, no ano de 1140, quando a princesa D. Leonor se desentendeu com o infante D. Pedro e se retirou com D. Nuno de Góis para o Crato. As forças de Castela foram invocadas por D. Nuno e Amieira foi cercada.
Perante tal episódio, D. Pedro determinou a ocupação dos castelos do priorado do Hospital no Crato. No final do episódio, os castelos renderam-se e, o prior do Crato e D. Leonor fugiram para Castela, voltando a reinar a paz na Amieira.

Castelo de Beja
Trata-se de um castelo medieval, construído nos finais do século XIII, por ordem de D. Dinis.
A Torre de menagem tem 40 metros de altura e é de uma notável beleza, única no género. Com quase 200 degraus desafiantes, permite contemplar a imensidão da paisagem alentejana no topo.
No reinado de D. Afonso III foram reedificadas as muralhas, sendo a imponente torre de menagem obra do seu filho D. Dinis.

Castelo de Castelo de Vide
Este é mais um dos castelos no Alentejo, de cariz medieval, com torre de menagem. É completo com as suas fortificações, do género abaluartado.
A história diz-nos que é possível que o Castelo de Vide tenha sido reconquistado aos árabes por D. Afonso Henriques.
A importância deste castelo levou a conflitos familiares, visto que D. Afonso III doou o mesmo ao infante D. Afonso, ato condenado pelo rei D. Dinis, seu irmão.
No ano de 1327, D. Afonso IV, reforçou as defesas do castelo. Sob o reinado de D. Fernando, foi entregue à Ordem de Avis.

Castelo de Elvas
Classificado como Património Mundial da UNESCO, o Castelo de Elvas é um dos melhores exemplares da arquitetura militar em Portugal e integra o conjunto “Cidade-Quartel Fronteiriça de Elvas e as suas Fortificações”.
Dada a proximidade de Elvas a Espanha, tornou-se uma das primeiras linhas de defesa nacionais desde a idade média até ao século XVIII, em especial, durante a Guerra da Restauração.

Castelo de Estremoz
Envolvido em vários momentos da História de Portugal, uma das principais praças-fortes do Alentejo é o Castelo de Estremoz, construído no século XII. Passou sucessivamente de mãos entre cristãos e muçulmanos até ao reinado de D. Sancho II. Mais tarde, pela ordem de D. Dinis, foi edificado também o Paço Real junto ao castelo.
Conta a história que terá sido neste local que se deu o conhecido milagre das rosas, no qual a Rainha Santa Isabel, falecida neste local em 1336, transformou moedas em rosas.
Ainda nesta cidade alentejana, D. Manuel entregou o comando da sua esquadra a Vasco da Gama, em 1497, dando início à descoberta do caminho marítimo para a Índia.
A torre de menagem conserva-se na perfeição e, atualmente, o antigo Paço Real funciona como pousada, parcialmente aberto ao público.

Castelo de Évora Monte
Situado entre Évora e Estremoz, marca a paisagem da terra de Évora Monte. O castelo foi conquistado por D. Afonso Henriques, em 1166. Em 1535, o 4.º Duque de Bragança, D. Jaime, mandou reconstruir a sua fortaleza.
No seu exterior, a toda a volta, tem um friso como uma corda que termina em forma de nó, numa alusão à divisa da Casa de Bragança. A cerca medieval da região foi mandada construir por D. Dinis, no início do século XIV e, foi neste castelo que foi fechado o acordo que pôs fim a uma das guerras civis mais sangrentas de Portugal, na Convenção de Évora Monte.

Castelo de Marvão
Situado em pleno parque natural, no ponto mais alto da Serra de São Mamede, no mais abrupto, inacessível e escarpado, encontra-se um dos castelos no Alentejo que merece visita: o Castelo de Marvão.
A sua fortaleza foi conquistada por D. Dinis aos mouros, no século XIII. O castelo oferece vistas únicas sobre o território. Chegou a ser um posto avançado para as tropas cristãs entre os séculos XII e XIII, palco de toda a posterior história de Portugal até às guerras Peninsulares e Liberais do século XIX.
Conservado de forma exemplar, Marvão pode ser considerado como um paradigma da história de grande parte das fortalezas do Alentejo.

Muralhas do Castelo de Marvão, no distrito de Portalegre.
Fotografia de Câmara Municipal de Marvão

Castelo de Montemor-o-Novo
O Castelo de Montemor-o-Novo ficou na História de Portugal recordado por ter sido o palco dos últimos preparativos para a travessia marítima para a Índia.
Construído sobre o que se pensa serem as ruínas de uma antiga fortificação muçulmana, o castelo resistiu ao terramoto de 1755 e às invasões francesas. Foi, entretanto, perdendo a sua importância ao longo dos anos, entrando em ruína ao longo do século XX.

Castelo de Monsaraz
Este é um dos castelos no Alentejo que se transformou num dos principais pontos turísticos da aldeia-museu mais conhecida do Alentejo. A sua fortaleza foi construída no século XIV, por ordem de D. Dinis, e classificada como Monumento Nacional.
As funções militares deram lugar aos eventos populares, nomeadamente às festas anuais em honra de Nosso Senhor Jesus dos Passos, que dura até à atualidade.
É possível maravilhar-se com a vista única sobre o incrível espelho de água da Barragem do Alqueva, o maior lago artificial da Europa, do topo das muralhas.

Castelo de Noudar
Envolto de espaço verde e região montanhosa, entre a ribeira da Múrtega e o rio Ardila, situa-se o Castelo de Noudar, datado de 1307, pelo reinado de D. Dinis.
O castelo está rodeado de terras férteis e extensos montados para o pastoreio do gado. A sua localização foi pensada pela sua defesa natural, pela sua sobreposição no topo do monte, mas também pelo fácil acesso e aproveitamento de uma nascente de água, a Fonte da Figueira.

Castelo de Viana do Alentejo
Este castelo junta-se a todos as outras referências construídas durante o reinado de D. Dinis.
A fortaleza destaca-se pelas suas cinco torres cilíndricas e pela Igreja Matriz de Nossa Senhora da Anunciação, que se encontra no interior das muralhas. Para além da origem manuelina, o templo conjuga influências do estilo gótico, renascentista e mudéjar.

Os castelos no Alentejo são uma referência a nível nacional, sendo que cada qual retrata um pouco da história lusitana, dos envolvimentos militares com Castela e da época dos descobrimentos marítimos. 

Continuar a Ler