A disseminação global do coronavírus está a afetar os viajantes. Mantenha-se atualizado sobre a explicação científica por trás do surto>>

Glasgow é a cidade escocesa mais vibrante neste momento

Famosa pelo seu legado de arte e design, esta cidade escocesa está repleta de novas inaugurações enquanto recebe a cimeira COP26 em novembro.

Por Peter Ross, Jamie Lafferty
Fotografias Por Kieran Dodds
Publicado 10/11/2021, 13:36

Tal como os líderes mundiais que participam na Cimeira do Clima COP26 podem ter aprendido esta semana, em determinadas partes de Glasgow não é fácil ser “ecológico”. Basta usar a cor verde em alguns bairros para ser recebido com discórdia – devido à rivalidade futebolística que remonta a 130 anos entre os clubes da cidade; o Celtic e o Rangers.

Felizmente, a cidade e os seus habitantes estão abertos a mudanças noutras áreas. Nas últimas décadas, Glasgow – cujo nome gaélico, Glaschu, significa apropriadamente “querido lugar verde” – testemunhou o desenvolvimento de hotéis e restaurantes, com bairros que outrora eram evitados a evoluir rapidamente e de forma interessante para algo novo.

Não há outro lugar em que isso seja mais evidente do que no bairro de Finnieston. Esta área tornou-se num dos recantos gourmet mais dinâmicos da Escócia e continua a entusiasmar com novas inaugurações. As últimas novidades incluem a Cervejaria Hidden Lane Organic, que abriu numa antiga lavandaria perto de Argyle Street, e o restaurante Unalome By Graeme Cheevers, que é assumidamente focado na gastronomia de alta cozinha.

Graeme Cheevers pode muito bem estar a tentar repetir o sucesso de Cail Bruich, que foi galardoado com uma estrela Michelin e está no restaurante do outro lado do belo Parque Kelvingrove. Glasgow pode não ter figurado nos guias Michelin durante 17 anos, mas tudo mudou no início de 2021, quando a abordagem inteligente de Cail Bruich à cozinha escocesa moderna foi finalmente reconhecida.

A pandemia de COVID-19, como é óbvio, tem abrandado a regeneração de Glasgow, mas em algumas áreas serviu de oportunidade. No bairro de Merchant City, uma série de bares e restaurantes que operam sob a égide de Festival Village receberam uma residência permanente ao ar livre. Mais a leste, a Barras Art and Design – com uma coleção de comida, bebida e espaços de entretenimento – está dar uma vida nova ao centenário Barrowlands Market. Nas traseiras de Glasgow Green, que tem suportes para bicicletas elétricas nas proximidades e uma presença saudável de arte de rua, hipsters e não só, é quase como se estivéssemos em Brooklyn.

Glasgow ali ao lado

A maior cidade da Escócia fica muitas vezes na sombra da sua rival, Edimburgo, que fica a cerca de 65 quilómetros a leste. Edimburgo pode ter um ar mais festivo, mas Glasgow tem personalidade – e um charme exagerado que é corporificado na palavra gallus, que significa “ousado” ou “atrevido"!

Mas Glasgow, um próspero centro de construção naval e de comércio no Rio Clyde desde o século XV, caiu no abandono, ganhando uma reputação de desordem que ficou visível nos seus edifícios cobertos de fuligem até à década de 1980. Agora limpa e reluzente, a cidade de Glasgow exibe a sua força cultural, polindo artisticamente uma paisagem urbana industrial.

Enquanto Cidade da Música da UNESCO e Cidade Europeia da Cultura em 1990, Glasgow é celebrada pela sua arte. A restauração da School of Art, a obra-prima arquitetónica da cidade, poliu uma joia cultural e homenageou o conceituado arquiteto que projetou o edifício, Charles Rennie Mackintosh, cuja sensibilidade artística moldou a forma como a cidade é vista pelo mundo.

Mas para vermos o coração e a alma da cidade, temos de olhar para os seus habitantes. Afinal de contas, o lema desta cidade é “As pessoas fazem Glasgow”.

Onde degustar

Os restaurantes mais badalados do momento estão concentrados em Finnieston, um bairro ribeirinho que agora está na moda, embora há pouco tempo estivesse a definhar como uma cidade fantasma pós-industrial. Os restaurantes The Gannet, Ox and Finch e Crabshakk estão entre os destinos mais aclamados da “avenida Finnie”.

Glasgow também tem muitas casas excelentes de comida indiana; como os restaurantes Shish Mahal e Mother India’s Café, que são indiscutivelmente os melhores.

Peixe frito com batatas fritas é a escolha clássica de fast-food por estas paragens, como descobriu Justin Bieber recentemente após um espetáculo, quando pediu este prato no Blue Lagoon em Argyle Street. Justin Bieber acompanhou o prato com uma lata de Irn-Bru, o refrigerante de laranja preferido dos escoceses.

Onde dormir

Descrito pelo seu designer como o “apartamento do Darth Vader”, o Dakota Deluxe é feito de tijolo escuro com cortinas pretas no exterior. Por dentro, porém, a sensação é indulgente e aconchegante, adequada para casais. O elegante bar oferece um desafio: tentar nomear todos os famosos Jack (Nicholson, Kennedy, etc.) cujos retratos figuram nas paredes.

No frondoso West End de Glasgow, o endereço do Hotel du Vin – One Devonshire Gardens – é há muito tempo sinónimo de luxo, e é por isso que este trecho convertido de casas vitorianas é o local preferido para as celebridades que visitam a cidade.

Onde divertir-se

Uma das experiências imperdíveis de Glasgow é assistir a um espetáculo no Barrowland Ballroom, ou pelo menos parar para admirar o seu icónico letreiro de néon.

Esta também é uma cidade de futebol. A rivalidade feroz entre o Celtic e o Rangers está sempre nas notícias, mas ver um jogo das equipas mais pequenas, como o Partick Thistle F.C. ou o Queen's Park, oferece um vislumbre autêntico da chamada cultura “fitba”.

Reserve também algum tempo para visitar a Galeria de Arte e Museu Kelvingrove, um edifício imponente que abriga uma pintura de classe mundial – “Cristo de São João da Cruz” de Salvador Dalí.

A cidade tem 90 jardins e parques, incluindo o Parque Victoria, onde pode ver vestígios de uma antiga floresta pantanosa. Este local, chamado Fossil Grove, protege 11 tocos de árvores fossilizadas com cerca de 330 milhões de anos.

Onde comprar

Há quem diga que esta cidade, com exceção de Londres, tem as melhores lojas do Reino Unido. E muito do seu comércio está concentrado na “Style Mile” ao longo das ruas Argyle, Buchanan e Sauchiehall.

Para quem procura oferecer um presente mais original, pode visitar a livreira Young’s Interesting Books em Skirving Street; ou visitar a zona de Dowanside e Ruthven para encontrar roupas vintage (Starry Starry Night) e antiguidades; quem procura postais temáticos de Glasgow pode visitar a loja Penny Black em Great Western Road. E não deve perder a melhor loja de discos da Escócia, a Monorail, que fica no Mono, um café vegan em Kings Court.

Quando visitar

Visite Glasgow de março a maio para desfrutar das flores da primavera, e de junho a agosto para assistir aos festivais ao ar livre – e ter 17 horas de luz diurna. O final do ano faz-se acompanhar dos festivais Hogmanay e Burns Night.

 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Viagem e Aventuras
Rússia em Roteiro Gastronómico
Viagem e Aventuras
Fotografias Para Inspirar as Suas Viagens em 2020
Viagem e Aventuras
Está Farto das Multidões de Barcelona? Descanse na Natureza
Viagem e Aventuras
Esta Região Francesa Vai Ser a sua Próxima Obsessão de Viagem
Viagem e Aventuras
Planta Curativa Cresce Apenas Numa Ilha Grega

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados