Descubra como fazer uma viagem com menos impacto e mais consciente

Se ainda tem dúvidas sobre as diferenças nas emissões de CO2 das viagens, seja de carro ou de avião, apresentamos alguns dados que o podem ajudar a decidir como se irá deslocar.

Ainda existem muitas dúvidas sobre o futuro dos elétricos, mas a tecnologia está a evoluir rapidamente e acompanha as preocupações ambientais.

Por Filipa Coutinho
Publicado 4/07/2022, 15:51

Quando pensamos numa viagem de Lisboa até ao Porto, ou vice-versa, sabemos que temos várias opções de transporte disponíveis, desde o carro até mesmo ao avião. Mas a escolha é facilitada quando leio que uma viagem de avião de ida e volta entre estas duas cidades representa cerca de 61 quilos de CO2. A mesma viagem, de automóvel elétrico, implica apenas 6 quilos de CO2. E, naturalmente, quanto mais eletrificada for a rede e mais cheios estiverem os automóveis, melhor a performance ambiental. Também a viagem de comboio é uma alternativa mais sustentável do que o avião.

No geral, o ideal é fazer viagens segmentadas, aumentando a duração das mesmas, mas diminuindo a sua frequência. Viagens menos frequentes e com estadias mais longas são também um dos efeitos secundários da pandemia e do aumento do trabalho remoto.

Para as emissões que não conseguimos evitar, é possível compensá-las com a ajuda das plataformas que calculam o impacto carbónico da nossa viagem, para compensar o mesmo valor de quilos de CO2 em projetos como a plantação de árvores e o financiamento de energias renováveis. Leia as nossas dicas para tomar uma decisão mais informada.

Calcular o impacto carbónico da viagem

Comece por calcular o impacto carbónico da sua viagem. A ferramenta Google Voos permite verificar as emissões de carbono de cada voo. Para ter acesso aos dados tem de aceder ao site, pesquisar o destino para onde pretende ir, clicar na seta para baixo que estará à direita e aí vai encontrar as estimativas das emissões para cada voo.

É possível ordenar os resultados por emissões de carbono – basta selecionar "ordenar", à direita, e de seguida selecionar onde diz "emissões de CO2". O voo que aparecer no topo da lista é o que emite menor quantidade de dióxido de carbono para a data e destino pretendido. Quanto mais eficiente for a aeronave em termos de combustível e rota, menores serão as emissões. Esta ferramenta agrega também informação sobre viagens de comboio.

     

Fotografia por Volvo

Os super-heróis-elétricos

Os tempos de carregamento podem fazê-lo hesitar antes de comprar um veículo elétrico, mas a ciência emergente diz que é possível conceber uma bateria de carregamento rápido. No espaço de apenas alguns anos, talvez cinco, pode ser possível efetuar um carregamento muito mais rápido. Uma equipa de cientistas projetou recentemente um protótipo de bateria de lítio que, em condições laboratoriais, consegue recarregar mais de 50% da sua capacidade em apenas três minutos – e segundo a sua análise consegue fazê-lo milhares de vezes sem uma degradação significativa. Isto, segundo os investigadores, pode abrir caminho para baterias que podem recarregar completamente em apenas 10 minutos.

Ainda em relação ao carregamento, carregar o automóvel em casa durante a noite, quando a demanda é menor, é mais acessível do ponto de vista económico e logístico e ecologicamente mais correto. Para isso, utilize a tarifa bi-horária. No entanto, em viagem poderá utilizar os inúmeros postos de carregamento ao longo do país. Com um bom planeamento é muito fácil viajar de uma ponta a outra do país, ou até passar fronteiras.

Um dia, os elétricos irão fazer com que os veículos movidos a gasolina ou gasóleo se encostem à berma. Neste tema (como em outros), a Noruega está na crista da onda. O governo planeia ser o primeiro país do mundo a proibir a venda de automóveis a gasolina ou gasóleo já em 2025.

No setor dos elétricos, a Volvo é uma das marcas na vanguarda, ambicionando ter todos os seus novos automóveis 100% elétricos até 2030, e ser uma empresa com impacto neutro no clima até 2040. Está também a desenvolver um plano para se tornar uma empresa de economia circular.

O XC40 Recharge é o primeiro automóvel exclusivamente elétrico da Volvo. Para além de ser automático, a sua versão single motor (de um motor), tem 231 cavalos e autonomia para 420 quilómetros. O seu carregamento é rápido, demorando 32 minutos para carregar 10 a 80% com CC de 150 kW. Pode ainda complementar o seu automóvel com acessórios da marca testados e adaptados ao seu Volvo. Quer precise de uma barreira para cães no porta-bagagens ou mais espaço para a aventura com uma caixa no tejadilho, conheça a gama de acessórios da marca.

Menos impacto, mais consciência

Talvez as suas viagens possam ser mais longas. Se não precisa de estar sempre no escritório – e não precisa de fazer viagens de negócios para visitar outros escritórios – pode instalar-se durante semanas, ou até mesmo meses no destino. Já há hotéis a oferecer pacotes pensados para o trabalho remoto, com condições especiais, como acesso a salas de reunião ou salas de coworking. Outra opção é arrendar uma casa no destino durante alguns meses.

Outra ideia é fazer viagens mais curtas e mais próximas de casa. Para além da redução dos custos de deslocação, estas deslocações mais pequenas terão potenciais vantagens para o ambiente. Se ficar alojado num hotel, vai contribuir para a menor rotatividade dos quartos, com um fluxo mais consistente de hóspedes para estadias mais longas.

Os novos hábitos de viagem também podem aliviar um pouco o turismo em excesso. Em vez das habituais épocas altas sobrelotarem os locais mais populares durante o verão, primavera e fins de semana, o trabalho remoto pode criar um fluxo constante ao longo do ano e uma suavização da época baixa.

Pode reduzir a sua pegada ecológica comprando compensações de carbono (carbon offsets) para viagens (ou até para empresas) a companhias como a Cool Effect e hospedando-se em hóteis ecológicos certificados. Existem sites como o Book Different que avaliam as acomodações consoante o seu contributo ambiental.

Durante a estadia, se a sua condição física o permitir, deve optar pela mobilidade “suave”, seja andar a pé ou usar serviços de mobilidade partilhada, como as bicicletas e trotinetes elétricas. A melhor forma de compensar as emissões de carbono é fazer um compromisso com a sustentabilidade. Lembre-se que para cada momento há uma escolha sustentável!

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Viagem e Aventuras
Como viajar de forma mais leve e sustentável
Viagem e Aventuras
A nova moda: turismo lento
Viagem e Aventuras
25 Viagens incríveis para 2022
Viagem e Aventuras
Que destino escolher?
Viagem e Aventuras
Vilarinho de Negrões, a aldeia flutuante de Montalegre

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados