Viagem e Aventuras

6 Cidades Inesperadamente Ideais para Apreciadores de Gastronomia

Sinta o paladar de cada canto do mundo.

Por Nancy Gupton
Um panorama do café em Budapeste, na Hungria

12 janeiro 2017

Milão já era. Sinta o paladar de alguns destinos surpreendentes com este guia de bairros que lhe dirá onde ficam os melhores restaurantes em (praticamente todos) os continentes.

EUROPA

BUDAPESTE, HUNGRIA

Esta capital europeia estende-se além do rio Danúbio — Buda, numa margem, e Peste, na outra— e escapa muitas vezes à atenção, mas o panorama gastronómico está a dar que falar.

Melhor bairro para experienciar um frenesim gastronómico

Se não tiver muito tempo para passar em Budapeste, vá para o Distrito VII e fique por lá. Não há razões para sair deste bairro moderno — também conhecido como Bairro Judeu —, repleto de restaurantes internacionais e bares animados. O Karaván é o sonho de qualquer amante de gastronomia — uma cervejaria ao ar livre cheia de bancas de street food onde se servem iguarias tradicionais e adaptadas às novas tendências. Não deixe de provar lángos, um pão achatado frito normalmente coberto com queijo ralado e natas azedas. O New York Café, um espaço do século XIX, autoproclama-se o café mais belo do mundo, e é difícil não concordar. Pode contar com o melhor: a comida acompanha a decoração interior (imagine mármores, folha de ouro e veludos vermelhos). Para mudar completamente de ambiente, vá até ao Szimpla Kert, onde pode tomar uma bebida ou comer um snack fora de horas. Este local único é um dos "bares em ruínas" de Budapeste, restaurantes que funcionam em edifícios antigos e abandonados.

Melhor bairro para se divertir

O Bairro do Castelo é a área mais antiga da cidade de Budapeste, onde o Castelo de Buda se estende ao longo do Danúbio. Espalhados pelos espaços medievais, pelas ruas movimentadas e pelas casas encantadoras, encontramos alguns dos melhores restaurantes da cidade. Por perto, Alabárdos, aberto desde 1964, tem recebido distinções pelos seus pratos. O restaurante, recentemente renovado, utiliza exclusivamente ingredientes húngaros. Peça o menu secreto do chef. Os fãs de caviar devem visitar o Arany Kaviár, um luxuoso restaurante com vista para o jardim. Tem uma vasta seleção de caviar russo e húngaro — e os proprietários do restaurante também produzem o seu próprio.

 

Melhores bairros para aderir ao DIY (faça você mesmo)

Não há escassez nos mercados de Budapeste, mas para ter o melhor de entre os melhores, vá até ao Distrito IX. Conseguirá tudo aquilo de que precisa para preparar uma refeição — e muito mais — no Grande Mercado, no lado de Peste da ponte da Liberdade. Este enorme empório de três andares foi construído na viragem do século XX, destruído durante a Segunda Guerra Mundial e restaurado nos anos 90. Faça uma excursão até aqui para encontrar carnes locais, queijos e produtos frescos, assim como especiarias (a paprica fumada é obrigatória), doces e sobremesas.

 

ÁSIA

EREVAN, ARMÉNIA

O Erevan está a florescer. A capital da Arménia — um pequeno país cuja beleza natural, cultura e setor turístico em ascensão fizeram aterrar esta cidade na nossa recente lista dos dez locais que merecem mais turistas — está repleta de encantos e locais mais que suficientes para mantê-lo feliz e de barriga cheia

O amanhecer sobre o Monte Ararat e Everan

Melhor bairro para um frenesim gastronómico

Para um dia de bom repasto, escolha a praça Charles Aznavour como o seu ponto central e continue a partir daí. Comece com um pequeno-almoço de waffles ou rabanadas no ArtBridge Bookstore Café. Pode tirar um guia com informações sobre Erevan ou em alguns postais assim que entra — o café, no interior, é uma popular livraria. Depois de uma manhã de visitas turísticas, pare no Khinkali para almoçar um tradicional khinkali, dumplings grandes normalmente recheados de carne picada e coentros. À tarde, carregue as baterias com um café gelado ou relaxe com um copo de vinho no Martini Royale, um café italiano moderno e arejado situado mesmo na praça. Corra assim que vir uma mesa disponível junto às janelas panorâmicas e observe as pessoas. Termine o dia no Dolmama. Este restaurante com interior de tons quentes, localizado na rua Pushkin, assemelha-se a uma pintura antiga, e a gastronomia tradicional da Arménia Oriental é igualmente apelativa. O foco são os dolmas, que consiste em carne e arroz envolvidos em folhas de videira.

 

Melhor bairro para um barbecue ao estilo da Arménia

A Arménia é conhecida pelos khorovats, carne grelhada num espeto, e o local para comer os melhores khorovats é na rua Proshyan, em Erevan (que se torna a rua Paronyan). A “rua do barbecue”, como é conhecida, está repleta de restaurantes de khorovats (experimente o Urartu) e de grelhadores à beira da estrada.

Melhor bairro para andar de café em café

Passe uma tarde — ou mais tempo — no bairro à volta de Cascade, uma enorme escadaria que liga o centro da cidade de Erevan ao bairro dos monumentos. No Charles, que confeciona pratos europeus e pratos típicos da Arménia, há uma área exterior perfeita para as noites amenas. Experimente o confit de borrego. A sul, a poucos quarteirões de distância, o Malocco Café é um espaço acolhedor perfeito para tomar um café ou beber um copo de vinho. Guarde espaço para a sobremesa e visite a chocolataria Cascade, uma loja de chocolate e café. Arrisque um fondue de chocolate ou prove uma variedade de trufas e outros doces.

 

AMÉRICA DO NORTE

DETROIT, ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

Como assim, Detroit? Sim. A cidade mais conhecida como um centro de fabricantes de automóveis está a acelerar os seus motores culinários.

Melhor bairro para um frenesim gastronómico

O mais antigo bairro da cidade, Corktown (os primeiros imigrantes eram de County Cork, na Irlanda), é também um dos mais vibrantes. Neste bairro, há todo o tipo de restaurantes, desde os típicos breakfast joints (dedicados a pequenos-almoços) aos de alta-gastronomia. Experimente o pequeno-almoço poutine, no Brooklyn Street Local, ou o duck bop hash, na Dime Store. Para almoçar, vá até ao Onassis Coney Island para experimentar o clássico cachorro-quente de Coney, em Detroit. Consiste num cachorro-quente com molho de chili, cebola e mostarda. Ou vá até ao Slows bar BQ para um famoso beef brisket (corte especial de carne de vaca) ou um típico pulled pork (carne de porco assada lentamente e desfiada). E quando voltar a sentir fome, entre no Katoi, um espaço recente e moderno do sudeste asiático. Prove a khao soi kai, uma sopa de noodles com caril.

Os restaurantes mais cobiçados da Ilha Coney, em Detroit, Lafayette e American, abusam no molho de chili, na mostarda e na cebola para criar o icónico cachorro-quente da cidade.

Melhores bairros de restaurantes étnicos

Detroit tem alguns dos melhores bairros do país quando se fala em autênticos restaurantes étnicos. Em Greektown (bairro grego), muitas tabernas servem folhas de videira recheadas, souvlaki e moussaka com um revigorante copo de ouzo. O New Parthenon é um marco, e já existe há mais de 40 anos. O Hamtrack, logo ao norte do centro da cidade, é um território polaco. Visite o Polish Village Café ou o Krakus para experimentar pratos típicos como o golabki (couve recheada) e pierogi. O subúrbio de Dearborn tem umas das maiores populações de árabe-americanos no país, o que se reflete nos seus restaurantes. O Al Ameer é popular pelo seu shawarma, falafel e hummus. (Também vale a pena visitar o Sheeba e o Hamido.)

Melhor bairro para sair à noite

O bairro do centro de Detroit tem muitos bares e restaurantes perfeitos para uma noite animada. O Grey Ghost (cujo nome é uma homenagem ao rumrunner, uma proibição local) tem, geralmente, petiscos invulgares, como mortadela frita sobre waffle, e pratos mais tradicionais, como a entrecôte maturada (dry-aged rib eye). O La Feria é um popular bar de tapas (não deixe de provar as lulas fritas) e o Selden Standard é um dos melhores restaurantes que segue o princípio "do produtor à mesa" (destacam-se os pastéis de bacalhau com pimentão-doce).

 

AMÉRICA DO SUL

SANTIAGO, CHILE

Uma mistura de culturas e sabores indígenas e espanhóis, a capital do Chile tem bairros repletos de restaurantes, bares e mercados.

Vista panorâmica de Providencia, Las Condes e do bairro de Bellavista, em Santiago, no Chile.

Melhor bairro para um frenesim gastronómico

Para um dia cheio de bons restaurantes, visite o Lastarria, um bairro histórico que agora acolhe restaurantes e lojas modernas e hipsters. Comece com o pequeno-almoço no Colmado. Peça um capuccino e um pincho de tortilla (uma tortilha espanhola), e sente-se no piso de cima ou na entrada do pátio. Depois de carregar baterias, faça uma caminhada e espreite as montras. Ao almoço, devore uma sandwich de peru fumado, mozzarela e molho de manjericão no Café del Museo, localizado junto ao Museu Arqueológico de Santiago. Durante a tarde, tome um aperitivo para ganhar apetite para o jantar. Prepare-se para esperar por uma mesa no Bocanáriz, um dos locais mais famosos da cidade. Este reconhecido wine bar tem à disposição vinhos chilenos, e conta sempre com uma lista de, aproximadamente, 400 exemplares. Os empregados de mesa são também sommeliers e ajudá-lo-ão a escolher o melhor vinho para acompanhar o prato que escolheu.

Melhores bairros para aderir ao DIY (faça você mesmo)

Localizada entre as montanhas e o mar, Santiago reúne o melhor dos dois mundos no que respeita a ingredientes. Faça a sua própria refeição composta por alimentos provenientes de locais próximos do morro de Santa Lúcia e em Recoleta. Se procurar peixe e marisco, vá até ao Mercado Central (que faz parte do nosso top 10 da lista de mercados alimentares), uma maravilhosa obra de art nouveau muito agitada. Compre uma pescada acabada de apanhar ou coma qualquer coisa rápida num dos restaurantes que se encontram no interior. A norte, a poucos quarteirões de distância, fica La Vega, um mercado coberto gigante onde poderá comprar fruta e vegetais frescos, especiarias, carnes e muito mais.

Vendedores de peixe no Mercado Central

Melhor bairro para uma experiência única

Um pouco sossegado durante o dia, o Bellavista ganha vida à noite com os bares e restaurantes. Um que não pode perder a oportunidade de visitar é o Peumayén, que serve "comida ancestral" — nomeadamente pratos pré-hispânicos. O menu muda com frequência, mas inclui sempre ingredientes originais. Como Água para Chocolate segue o livro com o mesmo nome, de Laura Esquivel . O ambiente romântico é um pouco exagerado, com uma fonte no centro e uma cama que se transforma em mesa, mas o restaurante chileno corresponde às expetativas. Pablo Neruda, o amado poeta chileno, era um apaixonado por comida, de tal forma que lhe dedicou odes: sal, uma cebola, até mesmo um "grande atum no mercado." O Mesón Nerudiano retribui o favor e presta uma homenagem ao artista criando uma atmosfera "inspirada no estilo e na magia inconfundível" das suas casas, uma das quais fica a apenas alguns quarteirões. O menu inclui ingredientes e pratos sobre os quais Neruda escreveu.

 

ÁFRICA

DAKAR, SENEGAL

Fixada num pedaço de terra que irrompe pelo Atlântico, a maior cidade e a capital do Senegal é uma localidade colorida e intensa, cheia de movimento. É também palco de um cenário gastronómico saboroso, que combina estilos de vários países: França, Líbano e África Ocidental

Melhor bairro de street food

Parta à descoberta do circuito clássico (turístico) na Medina. Esta localidade está lotada de lojas, casas, vendedores e próxima da Grande Mosquée de Dakar. Aqui, a melhor comida é a das bancas de rua e das cozinhas ao ar livre — siga o seu nariz e vá-se abastecendo enquanto caminha. Não deixe de provar accara (uma espécie de pastéis de feijão frade fritos) ou dibi (carneiro assado picante cozinhado com cebola e servido dentro de um papel pardo).

Melhor bairro para peixe e marisco fresco

Uma mulher vende peixe no mercado, durante a tarde, na praia Soumbédione, quando as canoas chegam carregadas.

Como forma uma península, em Dakar, há bom peixe e marisco em todo lado. Mas se procura aquela frescura típica de algo acabado de pescar ali perto, vá a Ngor, um conhecido bairro junto à praia. Há várias opções, desde barracas de frente para a praia a restaurantes com serviço completo. Experimente o Noflaye Beach, um restaurante junto à água, para peixe grelhado e crepes doces. Se quiser divertir-se mais, fuja para a pequena Île de Ngor. Embarque no Chez Seck e almoce mesmo na água, num local cheio de cor.

Melhor bairro para um frenesim gastronómico

Em Plateau, uma localidade central do Dakar, tem à disposição pratos a qualquer hora do dia. Há pastelarias, tais como La Royaltine e Artisan Boulanger Eric Kayser, para pão e sobremesas. Para desfrutar de vistas fantásticas da Île de Gorée e de um menu com especialidades francesas e senegalesas, existe o Lagoon I, equilibrado sobre estacas. E poderá provar o melhor meze, shawarma e falafel libanês da cidade no Restaurante Farid, um elegante espaço com mesas no pátio. O espaço mais popular para comer é, provavelmente, o Chez Loutcha, um restaurante simples e, por vezes, caótico, mas que ocupa a posição de favorito no que toca à gastronomia da África Ocidental.

 

AUSTRÁLIA E OCEANIA

WELLINGTON, NOVA ZELÂNDIA

Muitas vezes ofuscada por Auckland, a capital da Nova Zelândia destaca-se como destino gastronómico.

Melhor bairro para um frenesim gastronómico

Cuba, uma rua de Wellington, é a parte com mais movida da cidade, onde se encontram os restaurantes trendy, os bares interessantes e verdadeiras pérolas escondidas. Autodenominado "cenário de montagem para os especialistas criativos de Wellington", Matterhorn é escuro e temperamental, e serve uma mistura de pratos contemporâneos. Logan Brown, um restaurante ecológico de alta gastronomia localizado num edifício do anterior Banco Nacional da Nova Zelândia, tem uma oferta de acordo com os ingredientes locais e disponíveis na época. E o deslumbrante Olive é um regalo para os olhos e para o palato — prove os sabores mediterrânicos neste pátio tropical. Quer algo mais estranho? Experimente o Laundry, um bar e restaurante que mantém o aspeto exterior da loja que anteriormente ali desenvolvia atividade: uma lavandaria. O seu menu de comida para a alma inclui gumbo e jerk chiken.

Melhor bairro para restaurantes de praia

Clientes no Maranui Café, em Wellington, na Nova Zelândia

O colorido — muito colorido — Maranui Café serve algum do melhor café da região, assim como refeições ligeiras (a maioria vegan) e batidos, mesmo em cima de água. Os aficionados da aviação podem encontrar um espaço à medida no Spruce Goose, um restaurante num edifício de aeroporto que foi readaptado com vista para a pista e a Baia Lyall. E o Seaview Takeways, à moda antiga, um estabelecimento na Baia Lyall, cuja especialidade é fish-and-chips.

Melhor bairro para aderir ao DIY (faça você mesmo)

Há um local em Wellington onde consegue os produtos, a carne e o peixe mais fresco: à beira-mar. O mercado de Harbourside existe desde 1920 e tem dezenas de bancas (onde se vende de tudo, desde misturas de especiarias a flores) e restaurantes (de burritos a barbecue). O Underground Market é como uma mostruário de padeiros, designers e artistas; prove os churros quentes e o algodão doce. E passe pelo Wellington Sea Market, em Lambton Quay (há também um noutra rua, Cuba), se procura peixe acabado de pescar.

 

Nancy Gupton é uma redatora freelancer, editora e apaixonada por livros, música e, claro, gastronomia. Pode segui-la no Twitter.

Continuar a Ler