Esta É a Sensação de Surfar a Maior Onda de Sempre

No mesmo dia em que Rodrigo Koxa bateu o recorde ao surfar a onda mais alta de sempre, outro surfista teve um encontro próximo com a morte.Wednesday, May 9, 2018

Por Elaina Zachos

Rodrigo Koxa na crista da onda do surf.

No dia 8 de novembro de 2017, o surfista brasileiro de 38 anos apanhou uma onda com 24,38 metros de altura na Praia do Norte, na zona costeira da Nazaré, em Portugal. A 28 de abril, a Liga Mundial de Surf entregou-lhe o prémio Quiksilver XXL Biggest Wave, com um bónus monetário de 25 000 dólares. Koxa também bateu o recorde do mundo do Guinness para a maior onda surfada.

“Estou tão feliz e este é o melhor dia minha vida!”, disse Koxa na cerimónia de entrega dos prémios. “É um sonho tornado realidade.”

Outros vencedores incluem os surfistas Lucas Chianca, Paige Alms, Aaron Gold e Ian Walsh. O surfista britânico Andrew Cotton, que fraturou uma vértebra, após uma queda no mesmo dia e na mesma praia onde Koxa bateu o recorde, recebeu o prémio Wipeout do Ano.

O recorde mundial anterior pertencia ao surfista Garrett McNamara, com uma onda de 23,77 metros de altura, surfada em 2011, na mesma costa. Outros surfistas reclamaram ter batido o recorde de McNamara, mas a altura da onda de Koxa foi confirmada por especialistas, que a mediram a partir da crista, usando como referência o tamanho do surfista ao cruzá-la.

Surf’s Up

No vídeo, um jet ski reboca Koxa até à onda. Em águas menos agrestes, os surfistas, geralmente, remam em direção às ondas, antes de se erguerem e de as surfarem, mas, em face da rapidez da onda de 24,38 metros de Koxa, o reboque com jet ski do surfista permite-lhe maior aproximação. O jet ski liberta-o e, em segundos, uma enorme massa de água precipita-se sobre o seu minúsculo corpo. Koxa mal consegue evitar a onda, enquanto esta avança como uma avalanche na sua direção.

Koxa é um surfista experiente e escapou ileso desta vez. Em 2014, Koxa teve um encontro com a morte nesta mesma praia. A experiência fê-lo mergulhar numa depressão profunda, que se arrastou por quatro meses, marcada por pesadelos e diversos medos, recusando-se a viajar.

Não foi uma coincidência que Koxa e Cotton tenham ambos surfado grandes ondas na mesma praia e no mesmo dia. A localização da praia e a sua geografia fazem dela um lugar de eleição e um ponto de atração para os surfistas mais intrépidos. E se um surfista fintou a maior onda, batendo um recorde, outro fintou a morte com uma fratura numa vértebra.

Ondas Traiçoeiras

As ondas da Praia do Norte são célebres entre a comunidade de surf, figurando entre as maiores do mundo. A localização da Praia do Norte na costa ocidental da Europa torna-a uma zona batida por ventos provenientes de tempestades que atravessam o Atlântico Norte e que provocam ondulação marítima. Um vale profundo ou um canhão ocupa a área de surf e aponta na direção da cidade, fazendo com que as ondas se propaguem no sentido do farol situado na orla da Nazaré. O canhão da Nazaré, o abismo subaquático, tem 209 quilómetros de extensão e quase 5 metros de profundidade abaixo da superfície do oceano em determinadas zonas.

“A ondulação marítima propaga-se neste canhão submarino e ganha muita energia”, explicou o surfista e meteorologista Micah Sklut à Rádio Nacional Pública Americana, em 2013. “Inicialmente, as águas são mais profundas e, à medida que se aproximam da costa, perdem profundidade, fazendo com que as ondas ganhem em altura, formando, subitamente, massas de água gigantes.”

A topografia submarina da Nazaré confere-lhe uma singularidade própria, mas a Praia do Norte não é o único sítio onde se pode apanhar ondas gigantes. Teahupo’o no Taiti, Banzai Pipeline na ilha de Oahu, no Havai, Cortes Bank perto de Los Angeles e Mavericks no norte da Califórnia situam-se entre os lugares mais procurados para a prática de surf de ondas gigantes.

ver galeria
Continuar a Ler