Animais

Já Só Existem Três Tartarugas Destas na Terra

E os conservacionistas estão desesperadamente à procura de uma quarta.Thursday, November 9, 2017

Por Sarah Gibbens
ver galeria

Nas águas da província de Yunnan, na China, uma equipa de conservacionistas tem a esperança de encontrar uma tartaruga com um esperma muito valioso.

A tartaruga gigante de carapaça mole de Yangtze é uma das espécies em maior risco de extinção do mundo. Um macho e uma fêmea estão em cativeiro no jardim zoológico de Suzhou, na China, e uma tartaruga selvagem vive  num lago vietnamita chamado Dong Mo. (Acredita-se que a tartaruga vietnamita seja macho, mas, como são tão esquivos, torna-se difícil determinar qual o seu sexo.)

Em fevereiro do ano passado, uma quarta tartaruga — que se acreditava que tivesse perto de 100 anos de idade — morreu em cativeiro no Vietname, o que provocou uma redução de um quarto da população mundial.

As tartarugas de carapaça mole de Yangtze, também denominadas tartarugas do Rio Vermelho, são as maiores tartarugas de água doce do mundo. Podem viver até perto dos 100 anos e crescer até aos 90 quilos.

A espécie diminuiu rapidamente na segunda metade do século XX, à medida que as infraestruturas ao longo do Rio Vermelho da China se foram desenvolvendo e devastando o habitat desta tartaruga. E com a implementação da utilização de energias mais renováveis na China, estão a ser construídas, a grande velocidade, barragens na região sudoeste do país, o que pode ser altamente disruptivo para a vida selvagem da região.

Para que se reproduzam e desenvolvam, as tartarugas precisam de água limpa e praias onde caçar.

Quase todas as espécies de tartarugas marinhas estão em risco de extinção, bem como as suas congéneres de água doce, como é o caso da tartaruga de Yangtze. Os seus ovos, a sua carne e a sua pele tornam-nas vulneráveis à caça furtiva, e o seu habitat é excecionalmente suscetível aos efeitos adversos das alterações climáticas.

É certo que reconstruir um espécie inteira a partir de apenas três tartarugas é difícil, mas não é impossível. Os investigadores do  Wildlife Conservation Society estão à procura de uma tartaruga de Yangtze selvagem que acreditam estar bem escondida na província de Yunnan. 

Aimin Wang, uma bolseira da National Geographic e diretora da divisão chinesa da Wildlife Conservation Society, falou com a National Geographic sobre os esforços para resgatar a espécie da eminência da extinção.

Qual o trabalho que está a ser desenvolvido para encontrar tartarugas de carapaça mole de Yangtze na província de Yunnan?

Estamos a realizar pesquisas de campo para encontrar uma dessas tartarugas em estado selvagem. Este ano, de abril a maio, a equipa está a fazer investigação no Rio Vermelho. Ainda não encontrámos nenhuma, mas todos os anos planeamos regressar à China neste período para encontrar um espécime. 

O que a leva a acreditar que ainda poderemos encontrar alguma?

Falámos com habitantes locais que nos disseram ter visto uma tartaruga de Yangtze, e, pela descrição que fizeram, parece ser verdade. Não conseguimos estimar quantas ainda existem na natureza, mas, segundo relatos dos locais, deve existir uma ou duas.

O que significaria para a espécie se encontrassem uma tartaruga?

Aumentaria muito as nossas hipóteses [de sucesso na reprodução]. O macho que vive na China é bastante velho, mas a fêmea é jovem. A reprodução das tartarugas é feita com recurso à inseminação artificial. As últimas quatro tentativas com o par na China foram mal sucedidas. Acabámos de fazer uma quinta tentativa e conseguimos esperma de grande qualidade. Mas só daqui a um mês é que saberemos se o resultado é positivo. 

Porque é tão importante salvar estas tartarugas?

Esta é uma espécie emblemática, e são muito importantes para a biodiversidade. São um indicador importante [de saúde ambiental]. Se as pudermos ajudar a sobreviver, isso significa que o nosso ecossistema está bastante bem. E se elas desaparecerem, isso significa que o nosso sistema ecológico está em mau estado.

Existe esperança para esta espécie?

Pode ser demasiado tarde, mas temos agora uma oportunidade de as salvar. Há dez anos, teria sido a altura ideal para iniciar os esforços de preservação desta espécie, mas as pessoas não perceberam isso. Caso consigamos encontrar uma em estado selvagem, as nossas probabilidades poderão aumentar.

Em risco severo de extinção, esta tartaruga gigante de carapaça mole do Yangtze, Rafetus swinhoei, tem um check-up marcado no jardim zoológico de Suzhou, na China.
Uma multidão dispõe-se ao redor uma tartaruga gigante de carapaça mole do Yangtze, uma espécie em risco severo de extinção, no jardim zoológico de Suzhou.
Continuar a Ler