A Vida dos Animais Polares nos Locais Mais Frios do Planeta

Estas espécies dependem do frio para sobreviver. Mas, com a subida das temperaturas, as suas vidas ficam mais difíceis.

Publicado 14/05/2019, 12:51

Os pinguins-imperador são extremamente bons a manterem-se quentes no inverno gelado da Antártida. Os seus grupos apertados, que podem incluir várias centenas de aves, são tão eficazes a conservar o calor que os pinguins não conseguem ficar juntos durante por muito tempo – aquece demasiado. Em 2015, os cientistas descobriram que as temperaturas no meio do grupo podem atingir os 37 graus.

Os pinguins-imperador são os únicos animais que se reproduzem durante o inverno antártico, viajando para o interior, muitas vezes a distâncias de 80 a 160 km, para acasalar e incubar um único ovo. Enquanto o macho incuba o ovo, durante cerca de dois meses, a fêmea regressa ao gelo para se alimentar. É um sistema que funciona como um relógio – desde que as condições se proporcionem.

Ter uma determinada quantidade de gelo marinho no seu habitat é crucial. Um estudo de 2014, feito pela Instituição Oceanográfica Woods Hole, revela que o excesso de gelo marinho significa que os pinguins têm de viajar mais para se alimentarem e aos seus filhotes, ameaçando as probabilidades de sobrevivência das crias. Pouco gelo marinho significa que há menos comida – e menos proteção contra os predadores.

A perda de gelo marinho é a maior ameaça para os pinguins-imperador. Com o aquecimento das águas e o degelo provocado pelas alterações climáticas, os pinguins enfrentam uma série ameaça de declínio populacional. O estudo conclui que, até 2100, muitas das colónias terão metade do seu tamanho atual.

Desde a década de 1980, o Ártico perdeu mais de um milhão de metros quadrados de gelo marinho, uma área do tamanho do Alasca, Califórnia e Texas juntos. Por isso, os ursos-polares e os pinguins lutam para encontrar comida. As morsas, que têm as suas criar junto ao gelo marinho, foram forçadas aglomerar-se em terra, mas o degelo acentuado coloca as crias em perigo de morte.

Com o aquecimento do planeta, as espécies polares lutam para não perder o frio. Apesar das alterações climáticas afetarem animais em todos os habitats da Terra, é nos polos que se manifestam mais drasticamente, com habitats gelados inteiros a desaparecer no oceano.

Eis as fotografias de animais que prosperam em temperaturas negativas.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Hostile Planet: Domingos às 21:40

Hostile Planet - Trailer
Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Animais
Os Raros ‘Ursos dos Glaciares’ com Pelo Azulado Podem Ter o Futuro Ameaçado
Animais
As Melhores Fotografias de Animais da National Geographic de 2020
Animais
Armadilhas que Outrora Aprisionavam Vida Selvagem no Uganda São Agora Peças de Arte
Animais
Peixe que Andava no Fundo do Mar Está Extinto. Será Possível Salvar os Seus Parentes?
Animais
Hamster Selvagem Mais Raro do Mundo em Perigo Crítico de Extinção

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados