Codorniz-comum Eleita Ave de 2020 por Portugal e Espanha

A codorniz foi eleita ave do ano no âmbito de criar um plano estratégico para que a espécie não entre em perigo de extinção.quinta-feira, 12 de março de 2020

Por National Geographic

A codorniz-comum é um membro da ordem dos galináceos, ordem de aves muito diversa que integra cerca de 70 géneros e mais de 250 espécies, desde os animais domésticos como a galinha ou o peru, a espécies cinegéticas, como as perdizes e os faisões.

Algumas espécies dos tinamiformes, devido à sua semelhança, são facilmente confundidas. Sendo a codorniz-japonesa um dos exemplos. No entanto, a distinção pode ser feita pelo som que emitem.

A codorniz-comum habita na Europa, podendo encontrar-se também em África. É uma ave migratória, deslocando-se para o sul europeu no verão, para formar pares e reproduzir-se, voltando depois para o norte da Europa.

Apesar de facilmente localizável pelo seu canto, a codorniz não é fácil de se ver. Fisicamente é pequena e arredondada na forma. O seu corpo tem a característica de padrão ocre malhado, semelhante ao ambiente que a rodeia. Podem ser abundantes em zonas de ervas altas, mas, de uma forma geral, a codorniz não é uma ave muito comum.

Onde observar em Portugal:
- Entre o Douro e o Minho – Veiga da Areosa e Estuário do Cávado;
- Trás-os-Montes – Serra do Gerês, Miranda do Douro e Serra da Coroa;
- Litoral centro – Baixo Mondego e Lagoa de Óbidos;
- Beira interior – Planalto de Riba Côa, Idanha-a-Nova e Serra da Estrela;
- Lisboa e Vale do Tejo – Ponta da Erva e Pancas (Estuário do Tejo);
- Alentejo – Nisa, Barragem da Póvoa, Alter do Chão, Elvas, São Cristóvão, Évora, Mourão, Albufeira de Alqueva, Beja, - - Castro Verde, Estuário do Sado e Lagoa dos Patos;
- Algarve – Ludo, Paul de Lagos, Estuário do Arade, Lagoa dos Salgados, Cabo de São Vicente, Planalto do Rogil e Serra do Caldeirão.

A codorniz-comum é a mais pequena ave da ordem das galiformes, com a particularidade de ser migradora e ter movimentos erráticos. A par da rola e da perdiz, é também uma das espécies cinegéticas preferidas dos caçadores portugueses, mesmo sendo pequena (17/18 cm) e de voo rápido.

Comportamentos de risco para a codorniz-comum
- As modificações na paisagem agrícola alteraram o comportamento reprodutor e alimentar das codornizes;
- O aumento do uso de herbicidas diminui o número de espécies vegetais bravias numa área agrícola, tornando essas áreas menos atrativas para a alimentação. A codorniz alimenta-se de sementes silvestres, grãos de cereais e pequenos invertebrados;
- A alteração dos habitats de nidificação e/ou alimentação devido à construção de infraestruturas como barragens, parques eólicos, estradas, a instalação de regadios, a produção florestal, entre outros, são causas que contribuem para a extinção da espécie;
- Estima-se que sejam caçadas todos os anos mais de um milhão de codornizes em Espanha e 26.000 em Portugal;
- A contaminação genética com a codorniz-japonesa ou com a criação de híbridos para fins cinegéticos;
- As alterações climáticas também afetam as codornizes.

De acordo com a Sociedad Española de Ornitología (SEO/Birdlife), o número de codornizes-comuns em Espanha teve um declínio de 70% nos últimos 20 anos. Já em Portugal, o relatório “O Estado das Aves” aponta para uma tendência populacional estável, embora a distribuição da espécie tenha diminuído em 30% na última década.

O ano 2020 é da codorniz-comum e quem diz é Portugal e Espanha
A eleição da ave do ano foi organizada em conjunto pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) e pela SEO/Birdlife. Com 7.930 votos, a codorniz-comum ficou à frente do tartaranhão-caçador, com 6.130 votos e, do picanço-real, com 5.156 votos.

A campanha surge com o intuito de alertar para a situação em que se encontram as espécies da avifauna ibérica e os seus habitats. Em causa estão os comportamentos de risco para as espécies.

A população ibérica de codornizes é a mais importante da Europa Ocidental. 

Plano de ação europeu
Como resultado da eleição da codorniz-comum como Ave do Ano 2020, as duas organizações responsáveis prepararam um plano de ação europeu para investir na melhoria do conhecimento sobre a codorniz-comum e sobre a sua situação nas zonas de invernada. O estatuto de conservação da espécie da União Internacional para a Conservação da Natureza é de momento Pouco Preocupante, mas poderá passar para Em Perigo.

Continuar a Ler