Animais

Aranhas Minúsculas Devoram Lagartos Três Vezes Maiores do que Elas

É a primeira vez que se publica um estudo científico com observações de aranhas-saltadoras a comerem vertebrados.

Por Traci Watson
Uma aranha-saltadora-real a comer uma rela-cubana no Lake Placid, Florida.

As aranhas servem, habitualmente, de alimento a répteis e anfíbios, mas, numa surpreendente inversão de papéis, estes aracnídeos fazem dos potenciais predadores o seu jantar.

De acordo com um novo estudo do Journal of Arachnology, a aranha-saltadora-real (Phidippus regius), que pesa menos de três gramas, é capaz de atacar rãs e lagartos duas ou três vezes mais pesados.

É a primeira vez que um grupo de cientistas publica observações de aranhas-saltadoras (Salticidae) — a maior família de aranhas — a comer vertebrados. 

“É sabido que muitas espécies de rãs e lagartos incluem as aranhas... nas suas dietas”, diz, por e-mail, Martin Nyffeler, coautor do estudo e biólogo de conservação da Universidade de Basileia na Suíça.

“Fiquei muito impressionado por haver uma espécie de aranha-saltadora capaz de matar e de comer pequenas rãs e lagartos.”

Muito vulgar na Florida, a aranha-saltadora-real (Phidippus regius) é uma das maiores aranhas do mundo — o que, possivelmente, lhe confere uma vantagem contra animais como a rela-cubana, que é nativa das Caraíbas, mas que agora abunda naquele estado do sudeste dos EUA.

Loret Setters, autora de um blogue sobre Natureza em Holopaw, Florida, testemunhou uma rela-cubana a ser dominada pelas mandíbulas de uma aranha-saltadora.

“Estava a olhar para baixo como que a dizer ‘A seguir és tu!’”, lembra Setters. “Fiquei completamente abismada.”

 

UMA PREDILEÇÃO POR PERNAS DE RÃ

Nyffeler procurou na Internet relatos e fotografias deste estranho fenómeno, tendo encontrado um total de oito casos em sete condados da Florida.

Outro exemplo veio de Jeff Hollenbeck, um estudioso de aranhas amador que fotografou uma aranha-saltadora-real fêmea a engolir um anoli no Condado de Marion.

Os investigadores calculam que o anoli — um lagarto veloz que se alimenta de aranhas — era cerca de duas vezes e meia mais comprido do que a sua perseguidora, mas não resistiu ao veneno da aranha e às grandes estruturas tipo espinha que esta tem nas pernas anteriores. 

“Fiquei surpreendido. ... Mas, na verdade, não deveria ter ficado”, diz Hollenbeck por e-mail.

Uma aranha-saltadora-real fêmea alimenta-se de uma rela-cubana numa zona residencial de Land O’Lakes, Florida.

A Phidippus regius “é uma aranha-saltadora muito arrojada e os grandes machos e fêmeas desta espécie não hesitarão na hora de atacar uma presa maior, como um gafanhoto, uma libélula etc.”

Ao contrário de outras aranhas, as aranhas-saltadoras têm uma enorme acuidade visual e usam a sua visão estereoscópica e a cores para perseguir e atacar a presa. 

É praticamente uma certeza que a aranha-saltadora-real faz uso da sua “excelente visão” para caçar lagartos e rãs, concorda Nyffeler.

A COMER O INIMIGO

Mas porque haveria uma aranha que costuma procurar vítimas menores e mais fáceis — habitualmente insetos — aventurar-se e perseguir animais mais perigosos?

Pode ser simplesmente por estarem no sítio certo à hora certa. Há pesquisas que mostram que as aranhas são capazes de avaliar o risco e adequar o seu método de caça em conformidade, diz Thomas C. Jones, ecologista comportamental da Universidade do Estado do Tennessee.

PARA AS ARANHAS SALTADORAS, A ESCOLHA DO PARCEIRO ERRADO É LETAL

“De facto, elas tendem a ser mais arrojadas quando ficam com mais fome”, diz

Jones, que não esteve envolvido no estudo.

Embora provavelmente seja raro as aranhas-saltadoras comerem vertebrados, Nyffeler acredita que este comportamento passou bastante despercebido devido à timidez dos aracnídeos.

Embora as aranhas-saltadoras sejam as suas preferidas, Nyffeler reconhece: “Sinto alguma pena das rãs e dos lagartos... porque não gosto só de aranhas. Também gosto de rãs e lagartos.”

Continuar a Ler