10 Coisas Incríveis Sobre Marte

Marte, um planeta que podemos ver frequentemente no céu noturno, não pára de nos surpreender.

Friday, November 2, 2018,
Por National Geographic
Observação de Marte
Observação de Marte
Fotografia de © National Geographic Channels/Robert Viglasky

Marte, o quarto planeta a contar do Sol, situado a cerca de 1,5 unidades astronómicas, logo a seguir à Terra e antes de Júpiter, faz-nos sonhar desde a antiguidade. Muito se tem falado nos últimos anos sobre a possibilidade de fazer as malas e ir para Marte, de vez. Mas, antes de planear a mudança, veja 10 coisas incríveis sobre Marte que tem mesmo de saber.

O SEU NOME VEM DO DEUS DA GUERRA

Marte é o nome do Deus Romano da guerra. Acredita-se que os Antigos associariam este planeta com sangue, guerra e fúria, pela sua cor vermelha. Já os Babilónios chamavam a Marte a Estrela da Morte, ou Nergal, que era o Deus da guerra e da morte. Também os Gregos lhe deram o nome do seu Deus da morte: Ares.

JÁ FOI SINÓNIMO DE MAU PRESSÁGIO

Durante muito tempo, o planeta Marte era uma espécie de símbolo de azar, agoiros e maus presságios. Quando Marte estava mais visível e brilhante no céu noturno, as civilizações mais antigas acreditavam que haveria guerra na Terra.

Como é Marte? Veja o vídeo.

Se influenciou guerras, não sabemos, mas já enviou meteoritos para a Terra. Conhecem-se mais de uma centena de meteoritos marcianos, encontrados um pouco por todo o mundo. O mais importante destes, Allan Hills 84001, foi encontrado na Antártica em 1984.

MARTE TEM DUAS LUAS

Os dois satélites naturais que orbitam Marte são muito menores que a nossa Lua. Fobos tem cerca de 22 quilómetros de diâmetro; Deimos, apenas 12. Fobos demora cerca de 7 horas e 39 minutos a dar a volta a Marte (o que significa que orbita a uma velocidade de pouco mais de 2km/s), mas Deimos demora pouco mais de um dia e seis horas, pelo que a sua velocidade é menor, cerca de 1,35km/s. E sabe o porquê das Luas de Marte terem estes nomes ? Fobos (medo) e Deimos (pânico) são os dois cavalos que puxam a carruagem de Ares, o equivalente Grego de Marte.

Expedição Marte
Fotografia de © 1998 Hewlett-Packard Company

UM DIA MARCIANO É DESIGNADO POR 'SOL' E UM ANO É MAIS COMPRIDO

Um dia em Marte, ou dia marciano, designa-se por sol , e dura 23 horas e 39 minutos. Já um ano marciano, que dura 669,6 sols, é quase o dobro de um ano terrestre! Para Marte completar uma volta em torno do Sol passam 687 dias terrestres, ou seja, um ano, dez meses e 17 dias. Por duas razões: está a uma maior distância do Sol (228 milhões de quilómetros), e a velocidade orbital de Marte (velocidade com que dá a volta ao Sol) é de cerca de 24 km/h, inferior à da Terra.

TEM A SEGUNDA MONTANHA MAIS ALTA E O SEGUNDO MAIOR DESFILADEIRO

O Monte Olimpo de Marte é um vulcão extinto com 21 quilómetros de altura e 600 de extensão, formado há biliões de anos. O Monte Olimpo perde o título de maior montanha do Sistema Solar para a cratera Rehasilvia, no asteróide Vesta.

O segundo maior desfiladeiro do Sistema Solar também chama casa a Marte. O Valles Marinieri, em honra à sonda que o descobriu, é um desfiladeiro com 4 mil quilómetros de extensão, 200 de largura e mais de 7 de profundidade.

Montanha em Marte
Fotografia de © 1998 Hewlett-Packard Company

MARTE TEM ATMOSFERA, TEMPESTADES E ESTAÇÕES DO ANO

A atmosfera de Marte não permite a vida humana, já que é composta maioritariamente por dióxido de carbono (96%), árgon e azoto. Por ser um planeta com atmosfera, tem um clima que se repete periodicamente, tal como as estações do ano na Terra. 

A temperatura média em Marte é de cerca de 60 graus negativos, mas pode chegar aos 30ºC no “Verão” e aos -143ºC no “Inverno”. Marte tem também violentas e enormes tempestades de areia que acontecem todos os anos e duram várias semanas, e ainda tempestades globais que envolvem o planeta a cada 3 anos marcianos – 5 anos terrestres.

EXISTE ÁGUA DOCE E SALGADA

Existe água em Marte! Mas a atmosfera do planeta vermelho é muito pouco densa, e a água não se mantém durante muito tempo à superfície.

A água doce existente em Marte está sob a forma de calotas polares e permafrost – o tipo de solo Ártico, composto de gelo e rochas. Recentemente, graças à sonda Mars Reconnaissance Orbiter, descobriu-se que existe água salgada em estado líquido a correr no curioso planeta, assim que as temperaturas sobem dos 23 graus negativos.

Esta descoberta faz todo o sentido, já que existem evidências de “mares” e “rios” antigos na superfície de Marte.

Conheça o lago subterrâneo descoberto em Marte!

 

Colagem de fotografias tiradas pelo rover Curiosity, e coloridas artificialmente, mostram parte da Marathon Valley em Marte.
Fotografia de NASA/JPL-Caltech/Cornell Univ./Arizona State Univ.

MEIA CENTENA DE SONDAS ESPACIAIS

Desde 1960 já se enviaram (ou tentaram enviar) 56 sondas, em missões a Marte. Destas, apenas 17 foram bem sucedidas!

Nove, no entanto, ainda estão operacionais, sendo a Mars Odissey a missão mais antiga ainda em rota, enviada em 2001. A mais recente missão a Marte é a InSight, lançada a 5 de Maio de 2018, e que deverá aterrar no planeta a 26 de Novembro de 2018. O facto é que sem estas missões não tínhamos belíssimas imagens de Marte.

Mais: 21 anos de robôs em Marte, e as suas fotografias!

PODERÁ JÁ TER TIDO ALGUMA FORMA DE VIDA

Há décadas que se explora a possibilidade de vida em Marte. Um estudo deste ano diz que sim, mas não para humanos.

Especula-se que há milhões de anos Marte fosse um planeta mais quente e com mais água, criando assim um potencial para lá ter existido vida. O rover Curiosity, da NASA, recolheu em Marte uma rocha onde foram identificados azoto, hidrogénio, oxigénio, fósforo e carbono, alguns dos ingredientes químicos essenciais para a vida. Assim, Marte pode bem ter tido micróbios a habitá-lo.

É O PLANETA COM MAIS POTENCIAL PARA SUPORTAR VIDA HUMANA

Mais uma vez, Marte não tem condições para acolher humanos atualmente, mas os cientistas não descartam a hipótese de algum dia vir a ter.

Estão a fazer-se todos os esforços no sentido de compreender definitivamente se Marte já albergou vida e seres vivos, compreender exaustivamente o clima e os processos climáticos, bem como a história, a origem e evolução de Marte como um sistema geológico, e finalmente, prepará-lo para exploração humana.

Uma coisa é certa: nenhum outro planeta do Sistema Solar apresenta tantas similaridades com a Terra como Marte, e isso é uma grande esperança.

Será que a sobrevivência da Humanidade implica ir para Marte?

Resta-nos a pergunta, tão cantada por David Bowie: Is there life on Mars?

Continuar a Ler