Espaço

Preparado para o Solstício de Junho?

Este e outros fenómenos astronómicos que nos farão manter os olhos postos no céu durante o mês de junho.quarta-feira, 5 de junho de 2019

Por National Geographic
Nascer do Sol na Terra, visto do Espaço.

Junho tem preparados alguns fenómenos astronómicos que não pode mesmo perder. Entre eles encontram-se a oposição de Júpiter e o Solstício de junho. Saiba mais sobre estes acontecimentos que o vão fazer ficar de olhos postos no céu.

Oposição de Júpiter
Júpiter é o maior planeta do sistema solar e liberta três vezes mais energia para o Espaço do que aquela que recebe do Sol. É semelhante ao Sol na sua composição, tirando o facto de não ser uma estrela tão quente quanto esta, pois não tem densidade suficiente para que a sua temperatura se aproxime da do Sol.

Em 1610, Galileu Galilei, um dos fundadores do método experimental e da ciência moderna, descobriu um conjunto de satélites naturais deste planeta, aos quais atribuiu o nome “Luas de Galileu”. Dentro deste conjunto, foram quatro as luas descobertas por este astrónomo, denominadas de “Io”, “Ganímedes”, “Europa” e “Calisto”.

Quando comparado com o nosso planeta, Júpiter apresenta um volume 1.300 vezes maior do que a Terra e, ao contrário de outros planetas como o nosso, Marte, Mercúrio ou Vénus, não possui uma superfície sólida, é composto por gases e por um anel de poeira com um campo magnético com cerca de 7 milhões de quilómetros. A sua composição gasosa leva Júpiter a ter uma atmosfera bastante profunda e diversos fenómenos astronómicos interessantes, como a Oposição de Júpiter que ocorre já este mês.

A Oposição de Júpiter consiste na aproximação do seu planeta à Terra e a sua face, virada para nós, estará oposta ao Sol. Deste modo, Terra, Júpiter e Sol estarão completamente alinhados. Esta face estará 100% iluminada e visível durante toda a noite, em todo o mundo.

Pólo Sul de Júpiter (2017)

Solstício de junho
O Solstício de junho ocorrerá às 16h54 de Portugal, no dia 21 deste mês, dando a entrada do verão no Hemisfério Norte e do inverno no Hemisfério Sul. Nesse momento, o Pólo Norte da Terra estará inclinado em direção ao Sol e o Pólo Sul ficará no sentido oposto. O Sol atingirá a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do Equador.

Estes fenómenos astronómicos ocorrem duas vezes por ano, em junho e em dezembro, marcando o início das respetivas estações do ano.


Lua
Para além destes grandes acontecimentos, a Lua também sofrerá as suas comuns alterações mensais. No dia 3 de junho, a Lua estará entre a Terra e o Sol, ficando invisível do nosso planeta, e no dia 17 de junho teremos Lua Cheia, onde esta se posicionará em frente à Terra, ficando completamente iluminada e visível a olho nu.

Continuar a Ler