Estranho, Mas Verdade

Rã-de-Olhos-Vermelhos

A rã-de-olhos-vermelhos é natural das florestas da América Central. Pode ser encontrada em lagos e rios, do México ao norte da Colômbia. Quarta-feira, 16 Maio

Por National Geographic

Nome comum: Rã-de-olhos-vermelhos
Nome científico:  Agalychnis callidryas
Classe: anfíbios
Dieta: carnívora
Esperança média de vida no habitat natural: 3 a 5 anos
Tamanho: 51 a 77 mm, em adultos
Peso: 6 a 20 gramas

Classificação na Lista Vermelha da UICNPOUCO PREOCUPANTE

A National Geographic e a McDonald’s unem-se numa parceria criando uma nova coleção de Happy Meal com os animais do mundo selvagem. O programa, composto por 12 peluches National Geographic, exclusivos no Happy Meal, convida as crianças a aprender mais sobre os diferentes animais, partilhando factos reais e surpreendentes da história e comportamentos da sua espécie.
Do tigre-de-bengala ao majestoso pinguim-imperador, são muitos os animais e os factos por explorar numa verdadeira e divertida aventura pela selva!
 
Mais curiosidades sobre a história desta pequena rã e dos restantes animais em forma de peluche, exclusivos no Happy Meal, nos restaurantes McDonald’s.

SOBRE A RÃ-DE-OLHOS-VERMELHOS

A rã-de-olhos-vermelhos é natural das florestas da América Central. Pode ser encontrada em lagos e rios, do México ao norte da Colômbia.

Este pequeno anfíbio desenvolveu os seus potentes olhos vermelhos para assustar predadores, de forma a ter tempo de fugir. Têm patas compridas em relação aos corpos, e conseguem saltar até vinte vezes o seu comprimento.

ADAPTAÇÕES COLORIDAS

A rã-de-olhos-vermelhos costuma ser de cor verde ou verde-escura no dorso, e possui padrões coloridos nas partes interiores do corpo, geralmente flancos azuis, mas também castanho, creme ou branco, as patas traseiras costumam ser laranja ou vermelhas.

Passa grande parte do seu dia em folhas de árvores ou arbustos, com as patas encostadas ao corpo e olhos fechados, ficando camuflada.

Quando confrontada com um predador, abre os olhos numa tentativa de o assustar, o que normalmente lhe dá um ou dois segundos para escapar, com o seu poderoso salto.

Algumas, especialmente as mais jovens, conseguem mudar de cor, e tornam-se acastanhadas durante a noite. Apesar de coloridas, as rãs-de-olhos-vermelhos não são venenosas.

HÁBITOS SOLITÁRIOS

Os predadores da rã-de-olhos-vermelhos são jacarés, tarântulas, corujas, morcegos, serpentes e pássaros. Ela, por sua vez, alimenta-se maioritariamente de insetos – grilos, traças, moscas – ou pequenas rãs, durante a noite.

Não costuma andar em grupos, sendo animais bastante solitários, que só se reúnem para acasalar. Depositam os ovos em folhas de vegetações acima de água, que são depois fecundados pelos machos. Após cinco a oito dias de encubação, os ovos eclodem, e os girinos caem na água. Os girinos levam várias semanas para se tornarem rãs.

HABITAT AMEAÇADO

As rãs-de-olhos-vermelhos habitam as florestas do México, Belize, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá.

São bons indicadores biológicos e ambientais, já que necessitam de um ecossistema equilibrado para alcançarem todo o potencial de esperança de vida e reprodutividade.

Apesar de as rãs-de-olhos-vermelhos não serem uma espécie ameaçada, as populações mundiais destes anfíbios coloridos estão a decrescer. Porquê? Contaminação de ecossistemas por pesticidas, chuvas-ácidas, enfraquecimento dos ovos por raios UV e, principalmente, destruição dos seus habitats. As rãs-de-olhos-vermelhos são o símbolo das florestas tropicais.

Continuar a Ler