Raposa-do-Ártico

A raposa-do-ártico é um animal incrivelmente resistente que consegue sobreviver às gélidas temperaturas árticas que chegam a alcançar os -50° C.Wednesday, May 9, 2018

Por National Geographic
Uma raposa-do-ártico, fotografada no jardim zoológico Great Bend Brit Spaugh, no Kansas.

Nome comum: Raposa-do-ártico  
Nome científico:  Vulpes lagopus
Classe: mamíferos 
Dieta: omnívoros
Nome coletivo: raposada
Esperança média de vida no habitat natural: de 3 a 6 anos
Tamanho: cabeça e corpo de 0,46 a 68 metros; cauda até 0,35 metros
Peso: de 2,9 a 7,7 kg

Classificação na Lista Vermelha da UICNPOUCO PREOCUPANTE

Conteúdo National Geographic em parceria com a McDonald's

A National Geographic e a McDonald’s unem-se numa parceria criando uma nova coleção de Happy Meal com os animais do mundo selvagem. O programa, composto por 12 peluches National Geographic, exclusivos no Happy Meal, convida as crianças a aprender mais sobre os diferentes animais, partilhando factos reais e surpreendentes da história e comportamentos da sua espécie.
Do tigre-de-bengala ao majestoso pinguim-imperador, são muitos os animais e os factos por explorar numa verdadeira e divertida aventura pela selva!
 
Mais curiosidades sobre a história da raposa-do-ártico e dos restantes animais em forma de peluche, exclusivos no Happy Meal, nos restaurantes McDonald’s.

SOBRE A RAPOSA-DO-ÁRTICO

A raposa-do-ártico é um animal incrivelmente resistente que consegue sobreviver às gélidas temperaturas árticas que chegam a alcançar os -50° C, nas planícies sem árvores onde habitam. Tem patas felpudas, orelhas e focinho pequenos — características importantes para se adaptarem ao clima frio. As raposas-do-ártico vivem em tocas, e quando há nevões conseguem cavar túneis na neve para criar abrigos.

ADAPTAÇÕES AO ÁRTICO

As raposas-do-ártico têm uma linda pelagem branca (por vezes acinzentada), que funciona como uma eficaz camuflagem nas paisagens invernosas. As tonalidades naturais do pelo permitem que este animal se misture com a tundra de constante neve e gelo. Quando as estações mudam, a pelagem das raposas também muda, adaptando uma tonalidade castanha ou cinzenta que serve de disfarce na paisagem de rochas e plantas, típica da tundra de verão.

Estas camuflagens ajudam as raposas a caçar roedores, aves e até peixes. Mas, no inverno, são escassas as presas existentes no terreno. Nessa altura, as raposas-do-ártico seguem o principal predador da região — o urso polar — para comerem as sobras das suas caçadas. As raposas também comem vegetais, quando existem.

Como acontece com os gatos, a espessa cauda da raposa ajuda-a a equilibrar-se. Mas, para uma raposa-do-ártico, a cauda (ou, em inglês, brush) é especialmente útil para se manter quente no tempo frio.

As raposas-do-ártico-fêmeas têm, todas as primaveras, ninhadas de até 14 crias.

Continuar a Ler