Como o ‘Slime’ e os Materiais Deformáveis Podem Acalmar as Crianças em Momentos de Stress

Desde “areia lunar” a “massa de nuvens”, estas receitas DIY podem ajudar as crianças a relaxar e a descomprimir em casa.

Monday, October 19, 2020,
Por Jamie Kiffel-Alcheh
Fotografia de StockRocket / Getty Images

A educadora de infância Amanda Ralph ainda se lembra de uma criança em idade pré-escolar que, quando ficava muito frustrada, atirava coisas por todo o lado. “Eu direcionava a criança para a área de Play-Doh”, diz Amanda, que vive em Surrey, Inglaterra. “Podemos realmente brincar com estas coisas para as deformar e destruir. É algo que podemos usar para eliminar essa sensação de frustração.”

Em menos de nada, outras crianças irrequietas estavam a dirigir-se para a zona Play-Doh para descomprimir. Isto foi tão eficaz que Amanda começou a misturar as suas próprias argilas e outras substâncias deformáveis, e até escreveu um livro sobre isso: Creative Sensory Play Recipe Toolkit.

Neste momento, muitos de nós conseguimos identificar-nos com a frustração destas crianças devido à pandemia. “Há muito stress por não sabermos o que está a acontecer e pela sensação de insegurança, sem sabermos quando é que isto vai terminar”, diz Tracy Turner-Bumberry, conselheira profissional e terapeuta em Milledgeville, nos EUA. Se a isto adicionarmos a ausência de momentos em que nos encontrarmos com os nossos amigos e o facto de não termos contactos humanos normais, todos nós precisamos de encontrar uma forma de descomprimir.

E a solução pode surgir na forma de slime.

O efeito calmante dos materiais deformáveis
Os estímulos sensoriais – as informações que recebemos através dos nossos sentidos para conseguirmos descortinar o ambiente que nos rodeia – enviam mensagens ao sistema nervoso. (Descubra como os estímulos sensoriais podem ajudar as crianças a concentrarem-se em casa.) Os estímulos negativos, como o som de um grito, podem fazer com que as crianças tenham reações de “lutar ou fugir”. Mas os estímulos sensoriais positivos ou agradáveis podem surtir o efeito oposto. Estes estímulos ativam o sistema nervoso parassimpático, que se encarrega do estado de repouso e da conservação de energia física. Como diz a neuropsicóloga pediátrica Marie Briody, da Healthcare Associates in Medicine de Staten Island, “o estímulo sensorial positivo ativa mais o sistema nervoso parassimpático, pelo que sentimos que estamos bem.”

Embora todos os sentidos possam promover uma sensação de relaxamento, o tato pode facilitar um estado meditativo. “Há algo nas diferentes coisas táteis que criam realmente uma sensação de mindfulness”, diz Tracy Turner-Bumberry, autora de 2, 4, 6, 8, This is How We Regulate!: 75 Play Therapy Activities to Increase Mindfulness in Children. “Isto ajuda as crianças a compreenderem o que está a acontecer agora e a desligarem-se de coisas tristes do passado ou da ansiedade futura. As crianças percebem que naquele momento estão a tocar em algo que lhes dá uma sensação agradável nas mãos.”

Amanda Ralph acrescenta que, quando as crianças estão a usar materiais deformáveis que as estimulam sensorialmente, o cérebro desliga-se. Não há certo ou errado, não existindo uma sensação de stress.

Para além disso, brincar com materiais sensoriais, como plasticinas, pode desenvolver capacidades cognitivas e até ajudar as crianças a melhorarem a sua caligrafia. “As mãos das crianças só ficam completamente desenvolvidas por volta dos seis ou sete anos de idade”, diz Amanda. “Assim, quando usam materiais deformáveis, isso fortalece as suas mãos e dá-lhes a força necessária para conseguirem segurar num lápis.”

5 Receitas de relaxamento para fazer em casa
Nem todas as sensações são agradáveis para todas as crianças, e talvez seja necessário experimentar mais de uma destas receitas para materiais deformáveis. Amanda Ralph sugere que as crianças mais sensíveis devem explorar e tocar em cada ingrediente antes de os misturarem. Tracy Turner-Bumberry recomenda que se ‘toque com um dedo’. “Um dedo é menos stressante”, diz Tracy, “ao passo que se usarem a mão inteira pode ser desagradável”. E os pais também podem colocar as suas mãos nestes elementos. “Eles podem ajudá-lo a desligar do stress”, diz Amanda.


MASSA DE NUVEM QUEBRADIÇA
Esta “massa” é uma espécie de farinha mágica que se mantém unida quando é espremida e que depois se desfaz suavemente. Pode ser ótima para as crianças que desejam texturas delicadas e suaves.

Basta misturar oito partes de farinha com uma parte de óleo para criar uma substância fofa. Para estímulos sensoriais mais perfumados, “usar óleo para bebé em vez de óleo vegetal dá um aroma muito bom”, diz Amanda.

Conservar: Mantém-se indefinidamente dentro de um saco ou recipiente selados.
 

AREIA LUNAR
As crianças que gostam de estímulos sensoriais mais intensos podem preferir a textura áspera da areia. Dependendo dos gostos do seu filho, pode tentar fazer esta receita com areia mais fina ou mais áspera. Mas atenção, esta fórmula pode riscar mesas e pisos, pelo que Amanda recomenda que se utilize para brincar no exterior.

4 chávenas de areia de brincar
2 chávenas de amido de milho
1-3 chávenas de água
Corante alimentar (opcional)
Uma pitada da sua especiaria favorita, como canela (opcional)

Misture todos os ingredientes num tabuleiro. A areia vai manter-se unida. Se a mistura secar, pode adicionar água para a reconstituir.

Conservar: Mantém-se indefinidamente dentro de um saco ou recipiente selados.
 

ARGILA BRANCA
A argila é mais dura do que a massa e pode ser ótima para as crianças que querem bater, rasgar e puxar. Esta receita também pode ser mais indicada para as crianças com alergias, pois não tem aromas ou corantes.

2 chávenas de bicarbonato de sódio
1 chávena de amido de milho
1 chávena de água morna

Misture todos os ingredientes numa frigideira e aqueça em lume brando, mexendo regularmente até o molho engrossar, sair pelas laterais ou parecer puré de batata. Depois, quando parecer uma massa de brincar, desligue o lume e coloque a argila sobre uma superfície ou tigela e deixe arrefecer. Quando arrefecer o suficiente, amasse até que esteja macia e flexível.

Conservar: Embrulhe com película de plástico, ou com um saco de plástico, e mantenha fechada dentro de um recipiente selado para evitar que seque.
 

TINTA COMESTÍVEL
Amanda Ralph explica que esta tinta é ótima para o “processo de arte”, o que significa que não se trata do desenho em si – a diversão está no processo de fazer! As crianças podem desfrutar da sensação de pudim desta tinta (sobretudo quando está fria) e obter estímulos visuais satisfatórios devido às cores brilhantes. Para além disso, é segura até mesmo para os utilizadores mais novos.

3 colheres de sopa de açúcar
1/2 chávena de farinha
2 chávenas de água
Corante alimentar

Misture o açúcar, a farinha e a água numa frigideira. Aqueça até que a mistura engrosse e os grumos desapareçam. Divida a “tinta” por frascos e adicione corante alimentar conforme desejado.

Conservar: Mantém-se durante cerca de duas semanas no frigorífico.


SLIME COMESTÍVEL
Não há nada como a sensação de slime! Se o seu filho gosta desta sensação, experimente esta receita simples.

2 colheres de sopa de farinha psyllium (disponível em lojas de produtos naturais ou online)
1 chávena de água
Corante alimentar

Misture todos os ingredientes numa panela até que fique sem grumos. Aqueça em lume brando, mexendo sempre até a mistura começar a borbulhar. Depois, baixe o lume e continue a mexer durante três a cinco minutos, até que a mistura não se cole à batedeira. Deixe a mistura arrefecer por completo. Se desejar slime mais fino, pode adicionar água.

Conservar: Mantém-se durante várias semanas dentro de um recipiente de plástico no frigorífico.


Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com.

Continuar a Ler