Tem saudades da natureza? Cultive com os seus filhos um jardim amigo do ambiente em casa.

Esta atividade aumentou exponencialmente durante a pandemia. Veja como pode ajudar as crianças a começar.

Por Paige Towler
Published 8/02/2021, 13:13 WET

   

Fotografia de ALEXANDER EGIZAROV / EYEEM / GETTY IMAGES

A filha de Sarah Pounders começou a fazer jardinagem quando tinha quatro anos de idade, com uma coleção de rebentos de feijão individuais em copos transparentes de plástico. Mas com a sua rotina escolar virada do avesso devido à pandemia, a filha de Sarah, agora com 12 anos, decidiu expandir as suas aptidões e começou a cultivar tomates em ambientes fechados sob uma luz hidropónica.

“Ter a experiência prática foi muito diferente de falar apenas sobre isso”, diz Sarah. “Cuidar das plantas, medi-las, ver as mudanças – é uma forma ótima e envolvente de aprender.”

Sarah Pounders, especialista em educação na organização sem fins lucrativos KidsGardening, diz que a sua filha não é a única a assumir projetos de jardinagem em espaços fechados. A sua organização teve um crescimento exponencial de participações desde que a pandemia começou, com um aumento de 25% em assinantes por email e tráfego online em 2020 em comparação com 2019. A sua página online sobre “jardinagem reciclada” recebeu 10 vezes mais visitantes do que no ano anterior.

Dave Whitinger, diretor executivo da National Gardening Association, observou um interesse semelhante na sua organização nos primeiros dias da pandemia. “Sem exceção, os centros de jardinagem e os retalhistas online não conseguiam manter quaisquer plantas em armazém – sobretudo plantas domésticas”, diz Dave. “Havia uma escassez, como aconteceu com o papel higiénico.”

Estas experiências são mais significativas quando as crianças estão envolvidas. Vários estudos revelam que a jardinagem e a aprendizagem baseada em jardins têm impactos positivos consideráveis no desenvolvimento infantil, incluindo melhorias nas capacidades motoras, nos hábitos alimentares e na redução de stress. A jardinagem pode até ajudar as crianças a tornarem-se melhores estudantes de ciências.

“Estas atividades também criam associações positivas com a natureza, levando as crianças a terem mais propensão para proteger a natureza no futuro”, diz Emily Shipman, diretora-executiva da KidsGardening. “E permite que as crianças criem laços com os seus cuidadores enquanto fazem estas atividades em conjunto.”

Como envolver as crianças

Não tem a certeza se o seu filho está interessado em jardinagem? Tente adaptar as atividades aos interesses das crianças.

Shannon Hill, horticultora do Smithsonian Gardens em Washington D.C., diz que o seu filho de nove anos adora desenhar. Este ano, quando decidiram cultivar um jardim, ele fez um desenho das plantas que queria e um mapa de como as queria distribuir. O seu irmão de cinco anos preferia o “trabalho sujo” de preparar o solo e manusear as sementes.

Envolva as crianças desde o início, diz Alexandra Thompson, também horticultora do Smithsonian Gardens. “Leve os seus filhos a uma loja e dê-lhes algumas opções de escolha”, diz Alexandra. “Isto também permite que os pais escolham plantas que os filhos conseguem manusear e que sejam adequadas para as condições que têm em casa.”

Alexandra também sugere que se escolha o peitoril na janela do quarto de uma criança para a incentivar a assumir a propriedade das plantes. As crianças mais novas podem participar em projetos mais simples, como regar as plantas ou arrancar as folhas amarelas e castanhas.

Acima de tudo, devemos deixar as crianças cometerem erros. Embora os pais possam querer intervir quando veem os filhos a regar uma planta com demasiada água, algumas das lições mais duradouras vêm da própria experiência com as coisas. “Eu dei uma aula em que queria ver o que acontecia se plantássemos plantas amor-perfeito de cabeça para baixo”, diz Sarah. “Eu deixei as crianças fazerem isso e, curiosamente, elas aprenderam muito!”

Escolher a planta perfeita

Para garantir que o seu jardim é um sucesso, avalie o ambiente da sua casa e a capacidade de concentração da sua família. “Faça uma pesquisa primeiro”, diz Alexandra Thompson. “Não escolha uma planta simplesmente porque gosta da sua aparência ou porque o preço é adequado.”

Pense no seu objetivo: Quer cultivar algo saboroso? Quer uma planta fácil de cuidar? Quer encher a sua casa de flores? Depois, considere as opções que se seguem para os seus pequenos jardineiros iniciantes:

Flores: Crescem bem em floreiras e existem em muitas variedades para atrair as crianças, que podem escolher plantas com as suas cores favoritas. Mary Pope, jardineira na loja Logan Hardware, sediada em Washington D.C., sugere o plantio de bolbos em vasos transparentes para permitir que as crianças vejam as raízes a crescer. Sarah sugere a violeta-africana, uma vigorosa planta com flores que é bonita e que se dá bem em ambientes fechados.

Vegetais: São gratificantes para as crianças que adoram ajudar na cozinha, mas certifique-se de que tem uma quantidade razoável de luz natural disponível. Mary recomenda alfaces ou rebentos de crescimento rápido para começar. Coma os vegetais assim que estes estiverem prontos. “As crianças apreciam muito mais a comida quando sabem que participaram no seu cultivo, colheita e preparação”, diz Shannon.

Ervas aromáticas: São mais fáceis de cultivar em condições de pouca luz, para além de cheirarem bem. Para as crianças com dificuldades de concentração, cebolinho e manjericão são boas escolhas.

Plantas de interior: São ótimas para quem procura uma planta que consiga sobreviver a crianças. Shannon recomenda que se opte por opções mais vigorosas, como hera-do-diabo, filodendro, planta-aranha e aglaonemas.

Fazer um jardim amigo do ambiente

Outra forma de entusiasmar as crianças com jardinagem de interiores – e criar amantes da natureza ao longo do processo – é incorporar métodos ecológicos.

Reduza o desperdício alimentar com jardinagem reciclada. “As sementes de tomates ou de pimentos demasiado maduros podem ser salvas e plantadas”, diz Shannon. “As bases dos talos das alfaces e do aipo podem ser colocadas em bandejas com água, onde podem brotar novas folhas e talos. Os ‘olhos’ da batata podem ser plantados e transformam-se em plantas de batata. E isto é apenas o começo!”

Use sobras para nutrir plantas famintas. A água que sobra depois de cozinhar arroz ou cozer ovos é um ótimo fertilizante orgânico, assim como as borras de café, diz Mary. As cascas de banana também podem ser mergulhadas em água, que é depois usada para regar as plantas mais pequenas. “Isto ajuda as plantas a prosperar e reduz o desperdício.” Se as crianças mais velhas quiserem um desafio maior, Alexandra Thompson sugere que os pais as ensinem a fazer compostagem.

Reutilize utensílios domésticos sob a forma de plantadores. Praticamente tudo pode ser usado enquanto vaso de plantio, desde recipientes velhos de comida a latas de chá e brinquedos para crianças, diz Courtney Belew, gerente da Logan Hardware. Basta perceber qual é o tipo de drenagem que determinada planta precisa e certificarmo-nos de que o recipiente aguenta o ambiente. “Por exemplo, uma garrafa de plástico à frente de uma janela onde bate o calor ou perto de um aquecedor pode escoar plástico ou derreter.”

Use ingredientes naturais. Courtney Belew salienta que os fertilizantes naturais, como minhocas ou fertilizantes para peixes, podem ajudá-lo a evitar produtos químicos agressivos. Shannon Hill acrescenta: “Para controlar pragas, pode usar produtos que tenha em casa, como por exemplo uma solução de água com sabão ou álcool isopropílico.”

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados