‘Auditoria ao lixo’: Como falar sobre desperdício pode capacitar as crianças para proteger o planeta

Analisar o lixo da nossa família pode ser desagradável, mas faz com que as crianças pensem sobre o que estão a deitar fora.

Por Cheryl Maguire
Publicado 29/03/2021, 16:39 WEST
Father and Son - Trash Audit

Pai e filho separam o lixo em casa.

Fotografia de yulkapopkova / Getty Images

Quando Jen Farr e a sua família ecologicamente consciente repararam que o lixo da casa de banho se estava a acumular, decidiram investigar o problema. Com as suas duas filhas de 11 e 13 anos, esta família de Toronto usou luvas para vasculhar lenços de papel usados, bolas de algodão e fio dental – e depois delinearam um plano.

Este processo de revisão, chamado auditoria ao lixo, é uma forma para as famílias lutarem contra o crescente problema do lixo: cada americano gera diariamente dois quilos de lixo, quase o dobro da quantidade gerada por cada americano em 1960. De acordo com um estudo, se o atual ritmo de desperdício se mantiver, todos os aterros sanitários dos EUA estarão cheios num prazo de 62 anos.

Inicialmente, pode ser difícil para as crianças conseguirem ter uma noção de todo o lixo que a sua família cria – as crianças podem até já se ter esquecido da embalagem de um brinquedo ou da sandes que ficou a meio e que atiraram para o lixo há alguns dias. Mas assim que as crianças percebem que o lixo não desaparece, podem sentir-se capacitadas para mudar de comportamento, uma mudança que tem consequências na vida real.

“Uma auditoria ao lixo pode aumentar a noção que uma criança tem sobre a abordagem aos problemas ambientais”, diz Susan Clayton, psicóloga conservacionista e professora de psicologia na Faculdade de Wooster.

As auditorias ao lixo são construídas em torno de um conceito designado automonitorização, que significa estar ciente do seu próprio comportamento. Por exemplo, podemos reparar numa conta da água mais elevada e, mais tarde, pensamos em fechar a torneira enquanto escovamos os dentes.

“Podemos começar por fazer ligações entre as nossas escolhas passadas e respetivas consequências”, diz Nicole Sintov, psicóloga ambiental e professora assistente na Universidade Estadual de Ohio.

Depois da auditoria, a família Farr percebeu que podia colocar metade dos seus resíduos no recipiente de compostagem. Melhor ainda, Jen Farr diz que a “auditoria” ajudou as filhas a lembrarem-se de colocar o lixo nos recipientes adequados e evitar a utilização de plásticos descartáveis.

Está pronto para auditar? Verifique as suas opções para fazer uma auditoria ao lixo, ou um inventário do lixo, com base no seu espaço, tempo e disposição para sujar as mãos.

Opção 1: Auditoria ao lixo

Precisa de:
• Um par de luvas de borracha para cada membro da família
• Uma lona (ou vários sacos do lixo)
• Papel e caneta
• Produtos de limpeza

Junte os itens e arranje espaço. Escolha um recipiente do lixo e uma hora para fazer a auditoria quando esse recipiente estiver bem cheio. De seguida, arranje espaço para trabalhar. (Recomendamos um quintal, se houver disponível – as coisas podem ficar malcheirosas.)

Despejar e classificar. Despeje o conteúdo do recipiente sobre a lona. Com luvas de borracha, separe o lixo em pilhas: restos de comida, material reciclável e etc. Depois, continue a classificar os itens por tipo, dependendo do que encontrar. Pode colocar as embalagens de plástico para alimentos juntas ou fazer uma pilha de pedaços de papel.

Recolher dados. Peça aos seus filhos para anotarem o que está na lona e a quantidade de cada item. (Pode criar ou imprimir um gráfico simples.) Peça aos seus filhos para anotar todos os padrões que encontrarem. Existem demasiadas embalagens de barras de frutos secos? Inúmeros lenços de papel? (Os seus filhos podem querer representar estes dados num gráfico.) Transforme a auditoria num jogo, pedindo a cada criança para encontrar o pedaço de lixo mais estranho ou mais surpreendente na pilha.

Falar sobre lixo. Faça a ligação entre o seu lixo e os conceitos de desperdício zero - rejeitar, reduzir, reutilizar, reciclar e decompor. Por exemplo, a palhinha que encontrou no lixo não podia ter sido rejeitada? Será que não podia ter usado um recipiente reutilizável em vez de película de plástico para embrulhar a sandes que ficou a meio? A sua família tinha mesmo de comprar pipocas embrulhadas em plástico, ou será que podia ter comprado a granel? Será que as crianças podiam reutilizar aquele recipiente de plástico para os morangos? Será que estamos a colocar o lixo nos recipientes corretos de reciclagem e compostagem?

Opção 2: Inventário do lixo

Se não tiver espaço ou tempo para fazer uma auditoria completa ao lixo, pode colocar um pedaço de papel perto do recipiente do lixo. Sempre que um membro da família deitar algo fora, peça para o anotar no papel. Passada uma semana, reveja os resultados com a sua família.

“Assim, recebemos estas informações várias vezes por dia”, diz Nicole Sintov. “Os estudos mostram que, quanto mais frequente for este tipo de informação, mais eficaz é.”

Fazer com que as lições perdurem

Uma das razões pelas quais uma auditoria ao lixo pode ser bastante eficaz para as crianças deve-se ao facto de ser uma experiência “pegajosa” de aprendizagem que permite às crianças brincar com algo que normalmente lhes dizem para não tocar. “É uma experiência prática que envolve os nossos sentidos, envolve visão, olfato e tato”, diz Mary DeMocker, autora de The Parents ’Guide to Climate Revolution. “É uma forma completamente diferente de aprender.”

Quando a sua família terminar uma auditoria ao lixo, os seus filhos podem sentir inspiração para fazer mudanças nas suas próprias vidas. Isto pode significar pedir para colocar lanches de desperdício reduzido na lista de compras do supermercado ou evitar brinquedos e enfeites baratos.

“Assim que as crianças virem uma dúzia de copos descartáveis de plástico a irem para o lixo, copos que imploraram à mãe para usar no aniversário, as crianças podem optar por copos reutilizáveis da próxima vez”, diz Mary DeMocker.

Mary acrescenta que os pais também podem incentivar estas lições em casa, capacitando as crianças para encontrarem soluções criativas na redução de desperdício. Por exemplo, se a auditoria revelou muitos itens recicláveis no lixo, as crianças podem fazer um desenho para lembrar a família de que deve reciclar. Se foram encontrados demasiados restos de comida, talvez esteja na hora de criar o seu próprio sistema de compostagem.

Os pais também podem solicitar a ajuda dos filhos quando planeiam a compra de alimentos. Será que as crianças podem ajudar a planear refeições familiares onde não haja desperdício? Será que os pais podem comprar um balde grande de iogurte e servi-lo em recipientes reutilizáveis, em vez de comprarem iogurte em pequenas embalagens de plástico?

“Dar às crianças as ferramentas para fazerem mudanças, mesmo que seja apenas em casa, capacita-as”, diz Mary DeMocker. “É algo que traz ao de cima a criatividade e engenhosidade das crianças.”
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registrar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2017 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados