A História da Fotografia Deslumbrante de um Papagaio-do-mar a Banquetear-se Com Peixe

Descubra a história por trás da imagem candidata ao galardão de Fotógrafo de Natureza do Ano National Geographic de 2017.

Monday, December 4, 2017,
Por Austa Somvichian-Clausen
Um Papagaio-do-mar a Banquetear-se Com Peixe
O papagaio-do-mar consegue açambarcar uma grande quantidade de pequenos peixes com o seu bico de grandes dimensões.
Fotografia de Sunil Gopalan, National Geographic Your Shot

“Fotografo, sobretudo, aves”, conta o fotógrafo de A Sua Foto National Geographic, engenheiro informático de profissão, Sunil Gopalan. “Tinha fotografado duas outras espécies de papagaios-do-mar (papagaio-do-mar-de-chifres e papagaio-do-mar-de-penachos) anteriormente, no Alasca, e o único que me faltava riscar da lista era o papagaio-do-mar do Atlântico.”

Gopalan diz que esta espécie de papagaio-do-mar em particular pode ser encontrada nos dois lados do oceano Atlântico, mas ele queria encontrar um lugar isolado onde os pudesse fotografar — quanto menos pessoas, melhor. Após alguma pesquisa, o fotógrafo optou pela pequena ilha Fair, ao largo das Shetland, no norte da Escócia. (Veja uma papagaio-do-mar curioso travar amizade com um humano.)

No website das Shetland podemos ler que este arquipélago é célebre pelas suas “aves, artigos de malha e naufrágios históricos”. Para chegar à ilha Fair é necessário fazer uma viagem de ferry de quatro horas ou apanhar um pequeno avião bimotor, o que faz deste um destino com pouca procura, ainda que inospitamente belo.

O périplo de Gopalan levou-o desde o Midwest dos Estados Unidos, passando por Glasgow, até Sumburgh, de onde viajou num pequeno avião até ao seu paraíso de papagaios-do-mar. Ainda que, durante boa parte da sua estadia as condições climatéricas fossem as ideais, foi numa manhã chuvosa que conseguiu captar algo um pouco diferente. Gopalan pensava no que iria comer ao pequeno-almoço, quando se deparou com um papagaio-do-mar que transportava a sua própria refeição.

Era o momento certo para agir, e Gopalan disparou fotografia atrás de fotografia. O resultado: retratos incríveis desta ave selvagem a transportar um farto banquete de pequenos peixes no bico, para alimentar a sua cria esfomeada. O fotógrafo submeteu a sua melhor imagem on-line, na esperança de ser eleito o Fotógrafo de Natureza do Ano de 2017, pela National Geographic.

Inúmeros pequenos peixes suspensos no bico de um papagaio-do-mar, que servirão para alimentar a sua jovem cria.
Fotografia de Sunil Gopalan, National Geographic Your Shot

Os papagaios-do-mar passam boa parte das suas vidas em alto mar, vindo a terra apenas para formar colónias de reprodução, durante a primavera e o verão. O bico desta ave apresenta uma coloração cinzenta durante o inverno, mudando para um laranja vivo com a chegada da primavera. Foi justamente esta alteração que lhe valeu o nome comum de papagaio-do-mar.

Quando Gopalan visitou a ilha Fair, em Julho, já as progenitoras papagaio-do-mar tinham feito a postura (regra geral, um ovo por ninho, nas falésias rochosas do Atlântico Norte. Durante este período, ambos os progenitores se revezam na alimentação das crias, trazendo-lhes pequenos peixes que transportam nos seus grandes bicos.

Aves extremamente ágeis, os papagaios-do-mar navegam as águas com as suas patas palmípedes, semelhantes a um leme, mergulhando até 200 pés de profundidade (60 metros). Caçam, tipicamente, pequenos peixes, tais como arenques e Hyperoplus, voando de regresso ao ninho com grande rapidez, conferida pelos seus 400 batimentos de asa por minuto, que lhes permitem atingir velocidades até 89 quilómetros por hora.

Os papagaios-do-mar podem ser encontrados nos dois lados do Atlântico, como é o caso deste indivíduo no norte da Escócia.
Fotografia de Sunil Gopalan, National Geographic Your Shot

O desafio de fotografar aves velozes como o papagaio-do-mar é, justamente, o que faz dele um dos sujeitos favoritos de Gopalan, levando-o a viajar tanto quanto lhe é possível, para tentar captar novas espécies de todo o globo, após o que envia as suas imagens preferidas para A Sua Foto. Segundo ele, “A National Geographic é o padrão de referência para todos os entusiastas da natureza. Recordo-me de ler velhos exemplares da revista e de imaginar como seria ir numa missão daquelas.”

Gopalan diz que A Sua Foto (Your Shot) é uma ótima maneira de participar e estar envolvido na comunidade fotográfica, o que lhe permite estar em boa companhia, ao interagir com outros fotógrafos através desta plataforma. “É este o tipo de inspiração necessária para nos aperfeiçoarmos, e o concurso de Fotógrafo de Natureza é das maiores honras a que alguém pode almejar”, conclui.

Continuar a Ler