Quer Tirar Fotografias Mais Bonitas? Eis Como Pode Praticar em Casa.

As dicas de uma fotógrafa profissional da National Geographic para usar o seu smartphone ou tablet, resolvendo alguns dos problemas mais comuns na fotografia.

Por Rebecca Hale
Fotografias Por Rebecca Hale
Publicado 28/12/2020, 13:20 WET
Alguns dos cenários fotográficos mais complicados podem ser resolvidos com uma ferramenta simples que já temos ...

Alguns dos cenários fotográficos mais complicados podem ser resolvidos com uma ferramenta simples que já temos em casa – um smartphone ou tablet. Agora chegou o momento de praticar, antes de partir para uma viagem pós-pandemia.

Tenho fotografado as mesmas três pessoas – a minha família – nos últimos oito meses. Depois de a pandemia ter obrigado ao cancelamento das viagens em março, a data que tínhamos planeado para viajar já passou, enquanto permanecemos em casa num mundo que parece estar a encolher.

Enquanto fotógrafa, tenho tendência para virar a minha atenção para o exterior, para pessoas e locais longe da minha esfera pessoal. Normalmente, não é em casa que encontro inspiração. Mas hoje em dia, tal como acontece com a maioria das pessoas, tive de transformar os temas comuns em coisas interessantes, para me manter sã e preparar para o que irei fazer quando estiver novamente a viajar pelo mundo.

(Relacionado: Destinos em ascensão para 2021.)

Um dos projetos em que me tenho concentrado é na utilização de fontes de luz pouco convencionais de formas que nunca tinha considerado antes. Para minha surpresa, descobri que uma das ferramentas fotográficas mais úteis esteve sempre no meu bolso, pelo que experimentei fotografar a minha família ao longo de um dia usando o smartphone ou o tablet como fonte de luz para a minha câmara DSLR.

Enquanto fotografava, pensei em como as minhas abordagens poderiam resolver os problemas que normalmente surgem durante as viagens.

Desenvolver uma ideia brilhante

Para a National Geographic, normalmente tiro fotografias num estúdio, onde tenho uma infinidade de flashes, softboxes e modificadores de luz. Sem conseguir aceder facilmente ao meu equipamento habitual – ou a lugares interessantes para o levar – usei a criatividade.

Nas minhas experiências, descobri uma série de cenários fotográficos mais complicados que podem ser resolvidos com a luz de um tablet ou smartphone. Embora estas ferramentas não resolvam sempre os problemas, podem ser bastante úteis, desde que mantenhamos algumas coisas em mente.

Os ecrãs dos tablets e smartphones nunca serão mais brilhantes do que a luz do dia, pelo que devemos ter em consideração quando e onde fotografamos. Para os meus testes, consegui controlar a luz ambiente ou fotografar a uma hora do dia em que conseguia maximizar o impacto da iluminação dos ecrãs. E usei uma câmara que me permitia ajustar a exposição manualmente.

As imagens presentes neste artigo foram captadas em casa e no meu bairro, sem quaisquer retoques adicionais de Photoshop ou outro tipo significativo de edição. Usei sempre o brilho dos ecrãs no máximo e um fundo branco para eliminar quaisquer projeções de cor. (Uma aplicação como a MyLight – Flashlight pode ser útil.)

Seguem-se quatro problemas fotográficos que a iluminação de um tablet ou smartphone pode ajudar a resolver. Pratique em casa – e estará pronto para a sua próxima grande viagem!

(Relacionado: As melhores câmaras fotográficas compactas para 2021.)

Problema: Perder o tema num fundo ruidoso

A luz de um tablet foi praticamente feita para desafios como um restaurante ou um hotel onde o decorador foi demasiado zeloso. Ao aproximar um iPad iluminado do rosto de um sujeito, e ajustando a exposição da câmara para essa luz, o fundo fica escuro, dando uma aparência suave, mas dramática.

Esquerda: A fotógrafa Rebecca Hale pediu ao seu filho para segurar um tablet iluminado perto do rosto e Rebecca ajustou a exposição da câmara para essa luz.
Direita: Com esta técnica, Rebecca criou um retrato que elimina o fundo e ilumina o rosto da criança com uma luz agradável.

Fotografia de REBECCA HALE, NATIONAL GEOGRAPHIC

Como a luz de um tablet não é mais brilhante do que a luz do dia, um espaço pouco iluminado oferece os melhores resultados. Fotografei o meu filho numa sala com muito ruído de fundo na nossa casa, ajustei a exposição para a luz no seu rosto, e consegui eliminar tudo o resto da cena, conseguindo uma sensação de estúdio com uma ferramenta simples.

Segure o tablet perto da pessoa e experimente movê-lo para ver como a luz e as sombras mudam. Fotografar estes tipos de retratos mais íntimos é uma ótima forma para compreender o comportamento da luz.

(Relacionado: 18 fotografias intemporais que nos lembram por que temos saudades de viajar.)

Problema: Luzes fortes que afetam a exposição

Já todos passámos por isto quando tentamos fotografar alguém contra luzes néon durante a noite ou contra fileiras de velas numa catedral. A câmara faz uma exposição automática para a cena e as luzes ficam rebentadas. Ou então as luzes parecem ótimas, mas o assunto transforma-se numa silhueta.

Esquerda: Com a luz de um tablet, o filho de Rebecca ilumina a irmã, que posa em frente à árvore de Natal da família.
Direita: Na imagem resultante, tanto a filha de Rebecca como as luzes da árvore ficaram com uma boa exposição.

Podemos resolver isto com um flash, como é óbvio, mas a luz de um tablet ou de um smartphone também funciona. Com isso em mente, pedi à minha filha para se colocar em frente à nossa árvore de Natal. O meu filho ficou ligeiramente fora do enquadramento e segurou num tablet, com o brilho do ecrã no máximo, por cima e em frente ao rosto da irmã.

Ao mover o tablet poucos centímetros para a frente, consegui captar um pequeno brilho de luz refletido nos seus olhos e preservar o ambiente suave da cena.

Problema: Pouca luz ambiente para um tema estático

Talvez uma pessoa esteja na oficina de um artesão e queira fotografar as suas criações, mas depara-se com pouca luz do dia, ou com muita luz pouco atraente vinda do teto.

Com um tripé para estabilizar a câmara, pode usar uma exposição manual mais longa, usando um tablet como fonte de luz verdadeiramente eficaz. Se colocarmos o tablet de lado, conseguimos um bom efeito luminoso. Mesmo sem um tripé é possível conseguir o mesmo efeito, mas o segredo passa pela minimização da luz ambiente, para que o tablet seja a fonte primária. Pode praticar isto em casa com alguns dos seus souvenirs de viagens favoritos.

Dica profissional: Desligue as luzes do teto ou feche as persianas, para não ter temperaturas de cor em conflito na fotografia.

Problema: O pôr do sol transforma o tema em silhueta

Tal como no exemplo das luzes brilhantes, esta é uma situação em que precisamos de ser mais engenhosos do que a nossa câmara. Se a câmara for deixada em exposição automática, provavelmente irá deslavar o sol poente ou transformar o nosso companheiro de viagem numa mancha negra.

Esquerda: Para fotografar o filho ao anoitecer, Rebecca colocou o tablet num tripé.
Direita: A luz do tablet evitou que o tema se transformasse numa silhueta indefinida.

Para solucionar isto, pode aumentar o brilho do tablet, aproximá-lo do tema e ajustar a exposição para essa luz. O fundo permanece escuro e uma luz suave incide sobre a pessoa fotografada.

O momento em que se fotografa é obviamente vital. Se estivermos a tentar fotografar ao anoitecer, devemos preparar-nos com antecedência. Costumo começar a fotografar antes de a luz estar perfeita e continuo a fotografar conforme a luz muda. Não queremos estar a perder tempo a mexer nas configurações quando surge a iluminação perfeita. Sem darmos por isso, essa luz aparece.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler