O Génio aos 90 Anos

Poucos artistas no mundo foram tão prolíficos. Pintor, escultor, ceramista, cenógrafo, poeta e dramaturgo, produziu cerca de 50 mil obras em 80 anos de carreira. Conheça um dos mais aclamados artistas do século XX.Wednesday, April 18, 2018

Por National Geographic
Paleta com mistura de tintas e pincel.

Nasceu a 25 de outubro de 1881, em Málaga, Espanha. Foi durante a sua infância que, impulsionado pelo pai, começou a pintar e a desenhar, tendo pintado a sua primeira tela a óleo aos oito anos.

Foi admitido na Real Academia de Belas-Artes de San Fernando em Madrid, mas depressa abandonou os estudos, e mudou-se para Barcelona, onde conheceu alguns dos seus influenciadores, e os seus trabalhos. Aos 19 anos instala-se em Paris, onde abraça a cultura boémia e decadente de Montmartre, e descobre nova inspiração.

Período Azul

É então que, em 1901, no seguimento do suicídio de um amigo, se inicia o Período Azul de Picasso, onde a cor azul era predominante nas suas pinturas.

Período Rosa

Em 1904, inicia o Período Rosa. Durante os dois anos seguintes, Picasso passaria a usar maioritariamente cores quentes e tons-terra nas suas obras, sendo também durante este período que começa a desenvolver o seu estilo próprio.

Período Africano ou Pré-Cubismo

É no ano de 1907 que conhece o artista francês Georges Braque, quando este visita o seu estúdio para conhecer a sua obra “Les Demoiselles D’Avignon” – com clara influência da cultura africana - que impressiona Braque.

Cubismo

Os dois artistas tornam-se inseparáveis. Juntos, em 1909, criam o Cubismo. A primeira fase cubista, Cubismo Analítico, dura 3 anos, e durante esta fase usa quase exclusivamente tons neutros e castanhos monocromáticos, desafiando a perspetiva convencional e a técnica da época. A segunda fase do movimento, Cubismo Sintético, dura até 1919, e nesta fase explora a técnica mista de pintura e colagem – algo até então inédito nas belas-artes.

Neoclassicismo

Em 1917, conhece Olga Khokhlova, a sua primeira esposa, e abandona as formas geométricas do Cubismo no quadro “Portrait d'Olga dans un fauteuil”, um dos trabalhos que marcava o início do período Neoclassicista do artista.

Surrealismo

Após este período, em 1925, volta, uma vez mais, a reinventar o seu estilo e dedica-se ao Surrealismo. É durante esta época que conhece Marie-Thérèse Walter de 17 anos, que viria a tornar-se sua musa e amante, inspirando várias pinturas, entre 1927 e 1935.

Guerra Civil Espanhola e II Guerra Mundial

Separado da mulher, conhece a francesa Dora Maar em 1937. É a talentosa fotógrafa, artista surrealista e poeta, que o convence a pintar a sua obra de arte política Guernica (1937), por altura do bombardeamento da cidade Basca pelos Nazis, durante a guerra civil espanhola.

É antes do fim da II Guerra Mundial que, com 61 anos, conhece a francesa Françoise Gilot de 21, sua companheira dos dez anos seguintes.

Pós-Guerra

Neste período, experimentou outras técnicas como cerâmica e “light-painting” – uma técnica fotográfica que pressupõe desenhos com luz estroboscópica diante de uma objetiva – por inspiração do fotógrafo e engenheiro Gjon Mili.

Em 1953, separa-se de Gilot, levando os dois filhos do casal. No mesmo ano, conhece a que viria a ser a sua segunda e última mulher, Jacqueline Roque. O artista pintaria 400 retratos de Roque – mais do que de qualquer uma das outras musas – até ao final da sua vida.

Últimos Anos

Os seus últimos anos da vida continuaram a ser extremamente produtivos. Em 1966 mais de 200 esculturas, desenvolvidas desde 1905, foram expostas pela primeira vez, em Paris, Londres e Nova Iorque.

Estas esculturam refletem as suas fases artísticas do ano em que foram feitas. Em 1970, numa homenagem à sua vastíssima e impressionante obra, tornou-se o primeiro artista vivo a ter uma exposição no Museu do Louvre, em Paris.

Nos últimos dez anos da sua vida, produziu imensas peças de cerâmica e gravuras, tendo até continuado quando já estava quase cego. Faleceu a 8 de Abril de 1973, aos 92 anos.

Continuar a Ler