História

Esqueletos em Urnas Entre Artefactos Encontrados num Cemitério com Mil Anos

Durante a construção de um novo estádio de basebol, na cidade capital da Nicarágua, os trabalhadores ficaram chocados ao desenterrar ossadas com mil anos. Quinta-feira, 9 Novembro

Por Sarah Gibbens

Durante a construção do que se destinava a ser um novo estádio de basebol, na cidade capital da Nicarágua, os trabalhadores da obra não esperavam que o entulho e a terra abrigassem os restos de uma sociedade, com mil anos, intacta desde o tempo dos conquistadores espanhóis.

Um enorme cemitério contendo ossadas humanas e grandes urnas funerárias foi encontrado no oeste de Manágua, pela Companhia Nacional de Transmissão Elétrica da Nicarágua, nas escavações de uma vala para uma subestação destinada a apoiar o novo estádio.

Foram encontradas até agora mais de 30 urnas pré-colombianas com ossadas humanas. Imagens funerárias e de animais decoram muitas das urnas.

O departamento de arqueologia do Instituto de Cultura da Nicarágua informou a imprensa de que os achados datam de 800 a 1350 DC, durante o período Sapoá, na Nicarágua.

Ao estudar a forma como os indígenas da Nicarágua enterravam os seus mortos, os arqueólogos podem descobrir como era a vida nas culturas anteriores à colonização europeia.

Chris Fisher, um explorador da National Geographic que liderou expedições na vizinha Honduras, comentou que "esta descoberta destaca a incrível diversidade e riqueza cultural desta zona, crítica e pouco estudada, das Américas".

Numa entrevista para a La Prensa Libre, um representante do Instituto de Cultura da Nicarágua acrescentou que as descobertas ajudam os arqueólogos a "resgatar a identidade cultural dos antigos habitantes de Manágua".

Foram encontrados artefactos da mesma época em cidades ao sul e a leste de Manágua. (Leia também sobreOs Artefactos Expostos em Museus Conceituados que se Descobre Serem Roubados)

Os arqueólogos acreditam que o Lago Manágua, que fica perto da cidade, pode ter sido um centro para as tribos locais que caçavam e pescavam na região.

CIDADES PERDIDAS

Quando os espanhóis chegaram à Nicarágua no início do século XVI, documentaram a existência de três tribos distintas com trajes e línguas diferentes. No entanto, as doenças eliminaram grande parte da população indígena da região.

Embora se saiba muito sobre as civilizações pré-colombianas, como a civilização Maia que foi documentada no sul do que é hoje o México moderno, e a civilização Inca, que habitava a costa oeste da América do Sul, as tribos indígenas da América Central são pouco conhecidas. (Saiba qual aDescoberta que Pode Ajudar a Decifrar Um Antigo Código Inca)

Numa declaração enviada por e-mail para a National Geographic, a diretora do Instituto de Cultura da Nicarágua, Ivonne Miranda Tapia, afirmou que os investigadores acreditam que os achados podem pertencer à tribo Chorotega, presente naquela região. Os Chorotega eram uma poderosa tribo semidemocrática que elegia os chefes e falava a língua Mangue. Acredita-se que eles possam ter migrado para sul desde o estado mexicano de Chiapas.

Em entrevista ao diário local El Nuevo Diario, Tapia afirmou que era a primeira vez que um cemitério desta densidade era encontrado, enterrado num único lugar.

De acordo com Miranda, os mortos foram inicialmente enterrados até se decomporem. Mais tarde, as ossadas foram colocadas em urnas ou outros recipientes cerâmicos.

"Algumas [das urnas] foram reutilizadas ou destinavam-se a outros fins e, finalmente, usadas para enterrar os membros da família", disse Miranda a El Nuevo Diario.

Outras urnas, da mesma época, anteriormente descobertas e documentadas pelo Museu de Arte e Arqueologia da Nicarágua, foram encontradas com caveiras colocadas ao lado das urnas, um possível sinal de se terem usado as cabeças como troféus. 

O cemitério foi descoberto num bairro relativamente desabitado de Manágua. Só na década de 90 do século XX é que a cidade foi alvo de um desenvolvimento urbano na região. Foram encontrados mais vestígios de outras atividades indígenas em zonas construídas recentemente.

De acordo com documentos regionais, as ossadas foram transferidas para o Palácio Nacional da Cultura, onde serão submetidas a análises laboratoriais.

A construção do estádio de basebol originalmente planeado continuará no local.

Continuar a Ler