Mosteiro de Tibães – Celebramos o Dia Internacional dos Monumentos

O dia internacional dos monumentos é já no próximo 18 de abril. Para celebrar, fomos descobrir um mosteiro do tempo do pai de D. Afonso Henriques. Bem-vindo ao Mosteiro de Tibães.

Thursday, April 18, 2019,
Por National Geographic
Mosteiro de Tibães
Mosteiro de Tibães
Fotografia de Junta de Freguesia de Mire de Tibães

DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

A 18 de abril celebra-se o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios. Esta celebração visa promover os monumentos e sítios históricos de Portugal, valorizando e alertando a população para a importância da sua preservação.

A celebração foi instaurada a 18 de abril de 1982, pelo Concelho Internacional dos Monumentos e Sítios – ICOMOS – que atua na conservação do património. Em 1983 foi aprovada pela UNESCO.

Nesta data são várias as iniciativas para celebrar os monumentos e locais históricos, entre elas entradas e visitas gratuitas. Pode consultar todas as atividades planeadas no website da Direção Geral do Património Cultural e partir à descoberta dos recantos mais bonitos e especiais de Portugal.

MOSTEIRO DE TIBÃES: O MUSEU BRACARENSE 

O Mosteiro de Tibães, construído sobre uma antiga vila romana, no final do século X e inícios do século XI, é considerado um dos edifícios mais antigos da cidade de Braga e um dos mais importantes e ricos a nível nacional.

O Mosteiro de Tibães (ou Mosteiro de São Martinho de Tibães) é um local de grande interesse turístico. Possui uma igreja e capelas, quatro claustros, salas, jardins, lago e fontes e é reconhecido como sendo o museu da arte barroca de Braga, reunindo a maior e mais valiosa herança da cidade. Desta, destacam-se as pinturas, esculturas, arte sacra e livros. São igualmente deslumbrantes os pormenores em talha dourada, os retábulos e os elementos barrocos.

Aqui, é possível viajar pela história arquitetónica de Portugal. O Mosteiro de Tibães foi, no fundo, escola para um conjunto de arquitetos, como André Soares e Manuel Álvares, pedreiros, carpinteiros e escultores, sendo considerado, ainda hoje, uma das melhores e maiores peças arquitetónicas barrocas do noroeste peninsular.

Átrio do Mosteiro de Tibães
Fotografia de Direção Regional de Cultura do Norte


O MOSTEIRO EM TEMPOS

Foram várias as transformações a que o monumento esteve sujeito, ganhando especial reconhecimento após a receção da Carta de Couto - uma carta de doação da terra à Igreja – pelos pais de D. Afonso Henriques, D. Henrique e D.ª Teresa.

No século XVII, o Mosteiro de Tibães assiste à fundação da Ordem de São Bento de Portugal e do Brasil, tornando-se na casa-mãe de todos os mosteiros beneditinos, monges – que seguiam regras, como silêncio, pobreza, oração, trabalho e obediência, impostas por São Bento de Núrsia - e Dom Abade e, em simultâneo, no principal centro produtor e difusor de culturas e estéticas.

Após a extinção das Ordens Religiosas, o Mosteiro foi encerrado e todos os seus bens foram vendidos, com exceção da Igreja, do Passal e da Zona Conventual, utilizados posteriormente para fins paroquiais.

Foi recuperado pelo Estado Português, tornando-se Património Nacional e de Interesse Público, afeto ao Instituto Português do Património Arquitetónico e Ministério da Cultura, em 1994.

Mais recentemente, pelas suas características ímpares, o Mosteiro de Tibães foi escolhido para ser o palco da XXIII Cimeira Ibérica, que se realizou entre 18 e 19 de janeiro de 2008.

Hoje são desenvolvidas inúmeras iniciativas: a nível cultural, onde é permitido visitar os espaços inerentes ao Museu Monumento e ao Jardim Histórico; a nível educacional, onde se procura dar a conhecer o Mosteiro de forma lúdica e pedagógica, de forma adequada à tipologia de cada público, destacando as visitas guiadas, peças de teatro e observação de espécies; e a nível de acolhimento, onde foi adaptada uma parte do edifício para hospedagem e restauração.

Átrio do Mosteiro de Tibães
Fotografia de Direção Regional de Cultura do Norte


MIRE DE TIBÃES: A "VILLA TEUDILANES" 

Mire de Tibães é uma pequena freguesia situada na região norte de Portugal, mais precisamente, a 6 km a noroeste da cidade de Braga. A vila rústica nasce da anexação in perpetuum de Santa Maria de Mire e São Martinho de Tibães e conta com cerca de 2 437 habitantes.

Para além do Mosteiro de Tibães, esta terra antiga tem para oferecer uma série de atividades e espaços turísticos, tais como o Monte de São Filipe, o Folclore de São Martinho de Tibães, o Parque de Merendas de Tibães – Parque do Feital ou Parque da Amarela.

COMO CHEGAR?

O Mosteiro de Tibães encontra-se a 45 minutos de carro do Porto, pela A3, e a cerca de 3 horas e 30 minutos de Lisboa, indo pela A1. Se optar por viajar de transportes públicos (comboio) da Invicta com destino a Braga, a viagem demora aproximadamente 1 hora e 45 minutos. De Lisboa, a duração da viagem aumenta para pouco mais de 4 horas.

Já em Tibães, pode usufruir dos transportes urbanos de Braga, nomeadamente as linhas 50 e 90.

Continuar a Ler