A Cultura Chinesa em Portugal

A Cultura Chinesa tem uma forte presença em Portugal. Descubra o que está por trás destas ligações entre o nosso país e a China.

Por National Geographic
Publicado 30/12/2019, 16:21
Budista acende um bastão de incenso enquanto profere orações num templo.
Budista acende um bastão de incenso enquanto profere orações num templo.
Fotografia por Joe Scherschel, National Geographic Creative

Ao longo dos últimos anos, as ligações entre a China e os países de língua portuguesa foram-se tornando cada vez mais próximas. Com o desenvolvimento da relação entre ambos os países, o ensino da língua portuguesa começou a ter uma atenção particular das universidades chinesas. No ano de 2000, três universidades abriram o curso de português na China continental. Em 2012 já mais de 30 instituições tinham o mesmo curso de licenciatura.

Duas culturas diferentes que se unem
As diferenças de contexto regional, histórico e mesmo religioso são muito distantes. A cultura chinesa motivou, em 1997, à fundação da Liga dos Chineses em Portugal, na cidade do Porto. A mesma decorre a par do desenvolvimento de ações de âmbito comercial e cultural e, presta apoio de caráter social aos imigrantes chineses, proporcionando-lhes uma integração melhor, mais fácil e harmoniosa na sociedade portuguesa.
No ano de 2003, a elaboração de um estudo sobre os problemas relacionados com o ensino, a saúde e a vida empresarial e associativa da comunidade chinesa em Portugal, elaborado pela Liga dos Chineses em Portugal, contou com o patrocínio do Alto Comissariado para a Imigração e Minorias Étnicas que, para o efeito, celebrou um protocolo no âmbito do apoio anual concedido às associações de imigrantes, bem como dos seus descendentes.

De que forma está presente a cultura chinesa em Portugal?
Atualmente, em Portugal, existe uma vasta oferta da cultura chinesa para quem quiser conhecer a sua cultura, hábitos e tradições. Muito devido ao intercâmbio entre os dois países, hoje em dia é possível frequentar cursos de mandarim, workshops de caligrafia chinesa, aprender danças do dragão e leão e, até, vivenciar as festas do Ano Novo chinês.
Em Lisboa, no ano de 2017, ocorreu o primeiro Fórum Luso-China de Literatura, realizado no Centro de Ciência e Cultura de Macau, onde escritores renomados de ambos os países trocaram os seus pontos de vista acerca de temas como literatura, sociedade e acomodação.
Este fórum surgiu no âmbito do Memorando de Entendimento entre a República Portuguesa e a República Popular da China no Domínio do Livro e da Literatura, assinado no ano de 2015, em Pequim. O objetivo do mesmo prende-se com o apoio à divulgação recíproca da literatura chinesa e portuguesa, seja pelo apoio na tradução de obras literárias, seja pela participação de autores no outro país. A segunda edição ocorreu em junho de 2019.
Ainda no ano de 2017, no 25 de junho, data em que se celebra o Dia da China, a Feira Internacional de Lisboa (FIL) dedicou-lhe a sua edição, com o propósito de ajudar os portugueses a aprender mais sobre a tradição e artesanato chineses.
Na cidade de Lagoa dá-se o “Mercado de Culturas… à Luz das Velas”, um evento cultural que ocorre anualmente e reúne múltiplos eventos da sociedade chinesa. No ano de 2019 contou com a sua 6.ª edição, onde ao longo de quatro noites mais de 60 artesãos de várias culturas convivem de forma harmoniosa, mostrando aos milhares de visitantes as suas tradições, sabores e artes.

Ano Novo Chinês comemorado em Portugal
A par de todos os eventos que vão ocorrendo que traz um pouco da cultura até solo lusitano, o Ano Novo não fica indiferente em todas as iniciativas. “O melhor da China em Lisboa” foi o proposto quando o Museu do Oriente na capital proporcionou a organização deste evento, do qual o Porco foi o animal de destaque para o ano de 2019.
No decorrer do evento foi possível assistir a desfiles, feiras e concertos, na substituição das tradicionais uvas passas, champanhe e badaladas portuguesas. Assim, a 5 de fevereiro, festejou-se o primeiro dia do Ano do Porco que, no zodíaco chinês, representa a inteligência e o poder de observação.
Ainda no Museu do Oriente, ressalta-se a importância do mesmo na fomentação das ligações entre Ocidente e Oriente, Ásia e Portugal como a sua missão. Neste é possível assistir a Ópera Chinesa, frequentar workshops de mandarim, ver exposições de porcelana chinesa, exposições de fotografia da cultura chinesa, frequentar cursos sobre religiões, entre uma vasta oferta de exposições, espetáculos, cursos e conferências.

Por fim, é possível acompanhar todo o intercâmbio entre os diferentes países em vários pontos de Portugal, sendo que tanto as associações promovem eventos diversos também de acordo com o calendário de festejos chinês; como os Institutos Confúcio, que surgiram no ano de 2004 em Portugal como Organização Educacional, visam promover diversos cursos de aprendizagem da língua e cultura chinesa, facilitando o intercâmbio cultural em todo o mundo através de todos os institutos associados e a sua sede, localizada em Pequim.

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

História
41 Palavras portuguesas de origem árabe
História
"Non Fare il Portoghese": Conheça a Origem da Expressão Italiana
História
Descubra Algumas Curiosidades da Palavra “Saudade”
História
A Hollywood do Porto nos anos 20: produtora Invicta Film
História
Algumas curiosidades sobre Fernando Pessoa, que (provavelmente) não sabe

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados