Cinco formas de reforçar a dimensão ecológica dos produtos de beleza

Será que os produtos de beleza que usamos todos os dias podem ter embalagens mais sustentáveis? Quando começamos a pensar de forma não convencional, concluímos que sim.

Por Jon Heggie
Publicado 5/07/2022, 10:47
As embalagens dos produtos de beleza podem tornar-se ecológicas?
Embalagens em excesso podem ser prejudiciais para o planeta: A bióloga marinha e exploradora da National Geographic, Imogen Napper, explica como podem tornar-se mais ecológicas.

Um albatroz atravessa uma praia cheia de resíduos de plástico, bicando uma tampa de garrafa desbotada porque a confundiu com comida. As embalagens, dos sacos às garrafas, constituem uma enorme proporção das 12 milhões de toneladas de plástico que flúem todos os anos para os nossos oceanos. Mas marcas responsáveis, incluindo marcas de beleza, estão a tomar medidas para resolver o problema das embalagens - explorando, inovando e investindo em formas de tornar as suas embalagens mais sustentáveis. Apresentamos cinco iniciativas que a indústria da beleza tem em curso para promover embalagens mais sustentáveis.

Menos é mais

A embalagem serve muitas funções, incluindo a contenção e a preservação do produto. O problema são os resíduos das embalagens de plástico de utilização única que acabam em aterros e a poluir o ambiente. Uma forma de reduzir estes resíduos é uma conceção ecológica capaz de reduzir as embalagens desnecessárias. Imagine-se uma embalagem de plástico de grandes dimensões que contém apenas um pequeno tubo de bálsamo labial. A verdadeira utilidade está no tubo de bálsamo labial. O resto da embalagem de plástico provavelmente serve apenas para destacar o produto na prateleira, sendo imediatamente eliminada após a compra por ser supérflua. As marcas de beleza responsáveis estão a analisar ativamente a forma como utilizam as embalagens. Num esforço para reduzir a utilização de plástico, a Garnier tem vindo a retirar embalagens desnecessárias e reinventou o champô, apresentando-o como uma barra seca sólida que pode usar embalagens pequenas de cartão em vez de frascos de plástico.

Nada de plástico virgem

Dos alimentos e bebidas aos medicamentos e cosméticos, as embalagens são responsáveis por cerca de metade dos resíduos de plástico do mundo. Mas nem todos os plásticos são criados da mesma forma, o que afeta significativamente o impacto ambiental de sacos, garrafas, frascos e tubos que utilizamos. O plástico virgem é um plástico novo criado diretamente a partir de combustíveis fósseis: existindo mais de 8 mil milhões de toneladas de plástico, e levando o plástico cerca de 400 anos a decompor-se, não fabricar plástico novo torna-se uma prioridade. É aqui que entra a reciclagem. Embora nem todos os plásticos sejam recicláveis e nem todos os plásticos recicláveis sejam reciclados, marcas responsáveis como a Garnier pretendem eliminar a utilização de plástico virgem e utilizar apenas plástico reciclado que possa ser reciclado novamente, criando um modelo sustentável e circular para as suas embalagens.

A cada ano são criadas 8 mil milhões de toneladas de plástico virgem todos os anos e apenas uma pequena proporção é atualmente reciclada. A utilização exclusiva de plástico reciclado utiliza os resíduos de plástico existentes, mantendo-os fora do ambiente e num circuito fechado.

Fotografia por Photograph via Shutterstock

Mudar para o cartão

Se o problema for os resíduos de plástico, a solução pode passar pelo cartão. Forte, versátil e feito de pasta de madeira, é um material de embalagem popular com fortes credenciais: pode ser obtido de forma sustentável, tem um impacto em termos de carbono baixo e pode ser fácil e eficazmente reciclado, tornando-o numa alternativa interessante ao plástico. Mesmo assim, o excesso de embalagens de cartão pode continuar a ser problemático, pressionando os recursos florestais. Por isso, é crucial que os materiais sejam obtidos de forma sustentável e seguindo técnicas florestais responsáveis. A Garnier levou recentemente ainda mais longe as possibilidades de substituir o cartão por plástico, desenvolvendo uma forma de substituir quase metade do plástico nos tubos de plástico por cartão de origem sustentável.

Forte, sustentável e reciclável, o cartão faz parte da solução para o desafio das embalagens de plástico.

Mais por menos

Quando falamos de compra a granel e economias de escala, maior é definitivamente melhor no que diz respeito às embalagens. Alguns produtos de beleza, como o champô, o gel de banho e os cremes de corpo, são usados quase todos os dias, o que significa que os consumidores usam grandes quantidades desses produtos: cada um de nós pode chegar a usar 800 frascos de champô ao longo da vida. Com tanta utilização e tão frequentemente, é mais eficiente fornecer o produto em tamanhos familiares ou económicos, levando a uma poupança substancial na quantidade de embalagem por dose de produto. As fórmulas matemáticas da relação entre a área da superfície e o volume demonstram que, quando a quantidade de produto é duplicada, não é necessário duplicar a quantidade de embalagem. Algumas das embalagens ecológicas de 500 ml Ultra Doux* da Garnier utilizam menos de 80 por cento de embalagem do que duas garrafas de 250 ml de utilização única, graças ao seu maior volume e à opção de recarregamento ecológico. Isto torna as embalagens maiores muito mais amigas do ambiente. 

As garrafas maiores são muito mais económicas relativamente à quantidade de plástico utilizada – o dobro da quantidade de produto não necessita do dobro da embalagem. As embalagens ecológicas Ultra Doux da Garnier utilizam menos 80 por cento da embalagem do que duas garrafas normais de utilização única.

Fotografia por Garnier

Recarregar e reutilizar

Um dos as grandes problemas das embalagens são as garrafas de plástico, pois são usadas por pouco tempo e depois vão para o lixo, mesmo se para um contentor de reciclagem. A solução pode passar por encontrar formas de recarregar e reutilizar um frasco vários vezes, ajudando a diluir o seu custo ambiental. Isto levou algumas marcas de beleza a incentivarem os seus clientes a comprar uma “garrafa para a vida” que pode ser recarregada com o produto numa loja ou devolvida à marca. É uma forma diferente de comprar produtos de beleza, podendo levar algum tempo a ser lançada. Inicialmente, os consumidores também mostraram uma certa resistência às chávenas de café reutilizáveis. Para ajudar a incentivar a mudança, a Garnier lança uma garrafa de alumínio recarregável com um design atrativo que a torne desejável em si – um artigo que as pessoas querem manter e reutilizar.

Não se pode escapar ao facto de que os produtos de beleza precisam de embalagens com muitas formas diferentes. Isto coloca a indústria da beleza numa posição única e poderosa para promover mudanças positivas no problema das embalagens – inovar, investir e liderar pelo exemplo. Havendo marcas de beleza responsáveis empenhadas em desenvolver embalagens mais sustentáveis (bem como produtos mais sustentáveis), somos cada vez mais capazes de fazer escolhas ecológicas nas nossas rotinas diárias, ajudando a preservar a saúde e os recursos naturais do nosso planeta. 

Para saber mais sobre a jornada transformadora do mundo da beleza, clique aqui.

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Meio Ambiente
As embalagens dos produtos de beleza podem tornar-se ecológicas?
Meio Ambiente
Os biocombustíveis, explicados
Meio Ambiente
O fenómeno El Niño, explicado
Meio Ambiente
Baleias-jubarte enfrentam novo revés devido às alterações climáticas
Meio Ambiente
Pode a beleza usar menos água?

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados