Viagem e Aventuras

11 Fotografias Deslumbrantes do Parque Nacional de Torres del Paine

O fotógrafo Michael George viajou até à Patagónia e voltou com uma história incrível.Thursday, November 9, 2017

Por Michael George
Um dos primeiros visitantes de Torres del Paine, no Chile, disse que o sítio “tinha as mais... espetaculares vistas que a imaginação humana poderia conceber.” O fotógrafo Michael George viajou para lá para descobrir porquê.

Uma viagem pelo Parque Nacional Torres del Paine é algo de extraordinário. Para que se possa tirar ter total proveito desta paisagem acidentada e bonita, é preciso conduzir, caminhar, montar a cavalo e navegar num barco em condições imprevisíveis. Mas a recompensa é inigualável: pôr do sol na lagoa, caminhadas aos extremos dos glaciares, e vistas arrebatadoras que fazem o coração bater mais forte.

Quando ir: os meses de outubro a abril são a altura do ano em que a temperatura mais sobe no Parque Nacional de Torres del Paine, mas é raro a temperatura subir acima dos 20 graus centígrados. Esteja preparado para alterações súbitas e para muito vento.  

A saber: Puerto Natales é a maior cidade das redondezas; a viagem de quatro horas para o parque é feita de autocarro, e a de volta também (é mais rápido ir de carro). Há vários tipos de alojamentos, desde luxuosas pousadas na vanguarda do design a acampamentos ou ainda refúgios com quartos tipo dormitório. O Parque Nacional Torres del Paine cobra um bilhete de entrada: na época alta, os adultos pagam 18 mil pesos chilenos (18 euros); e, na época baixa, 10 mil pesos chilenos (10 euros).

Vá com a Nat Geo:  as expedições da National Geographic incluem várias viagens a este parque nacional chileno. Desde a “Patagonia Hiking Adventure”, de 13 dias, até ao cruzeiro de 20 dias num pequeno navio, “Rounding the Cape: Chilean Patagonia & Argentina’s Staten Island”. Tem ainda a possibilidade de ficar no Tierra Patagonia Hotel & Spa, um hotel cujo edifício é arquitetonicamente deslumbrante e que é considerado, pela National Geographic, uma das Pousadas Únicas no Mundo.

Os cowboys chilenos conhecidos como baqueanos "demonstram uma profunda ligação com a natureza”, declara George, “e tratam os seus cavalos com uma ternura paternal”.
O esqueleto de uma cria de guanaco na relva, que foi, provavelmente, comido por um puma.
Esqueleto de uma cria de guanaco
Tons de azul tingem o glaciar Grey, que, atualmente, derrete ao dobro da velocidade de há uma década.
Um borrego que está a ser fumado é pincelado com coentros e água para que não fique demasiado seco.
Uma guia turística passeia um cavalo chamado Zapata em Torres del Paine.
Foi uma expedição de um montanhista francês que deu o nome ao Glaciar Francês, na grande montanha de Paine.
Normalmente, os visitantes não podem aproximar-se do Glaciar Francês porque conforme vai derretendo, caem grandes blocos das zonas mais altas, o que pode ser fatal. Zenzele Ojore, uma estudante da Escola de Design de Rhode Island, abraça o glaciar depois de uma longa caminhada pelo Vale Francês.
As Torres, vistas do Mirador Torres, nas primeiras horas da manhã quando os primeiros raios de sol atingem o topo das árvores.
Um homem equilibra-se em estacas, por cima da Lagoa Azul.
Continuar a Ler