Viagem e Aventuras

Passadiços do Paiva: Dicas Para um Dia Inesquecível

Sol, natureza, caminhadas, fotografia e muitas paisagens deslumbrantes. Aventure-se e veja como é fácil apaixonar-se pelo Paiva.sexta-feira, 18 de maio de 2018

Por National Geographic
Fotografias Por João Martins
ver galeria

Os Passadiços do Paiva são uma referência do turismo na região de Arouca, e quem já os visitou sabe bem porquê. As paisagens de cortar a respiração, a riqueza natural, biológica, geológica e arqueológica são argumentos que convidam os visitantes a perderem-se no trilho de madeira que serpenteia junto às margens do rio Paiva. Antes de se pôr a caminho, aceite a nossa ajuda para garantir um dia inesquecível junto a este tesouro no Paiva.

A QUE HORAS VISITAR?

Depende naturalmente do mês da sua visita, mas existe uma regra fundamental nos Passadiços do Paiva: cuidado com o calor. Grande parte do percurso faz-se ao sol, pelo que as horas de maior calor implicam naturalmente maior esforço. Se optar por horários com maior exposição solar, aproveite bem os espaços de sombra oferecidos ao longo do caminho.

Para uma visita mais confortável, opte pelo período da manhã ou o final da tarde, tendo em conta que vai demorar cerca de 2h30 para concluir o percurso. Se gosta de fotografia, esta recomendação é duplamente válida. As cores da manhã ou de fim de tarde permitem fotografias mais apelativas, com laranjas e rosas no céu num contraste com os verdes e amarelos da paisagem. Além disso, com o equipamento certo, há oportunidade para longas exposições junto ao rio Paiva.

ONDE ENTRAR?

A visita aos Passadiços do Paiva pode começar em Espiunca ou no Areinho. O horário pode variar: a abertura é às 9h e o fecho acontece entre as 17h ou 20h, dependendo da altura do ano. Quando comprado online, o bilhete custa 1 euro (2 euros no local). Fisicamente, o percurso menos exigente começa no Areinho e acaba em Espiunca, começando com uma subida íngreme que depois se transforma num trilho maioritariamente descendente, o que facilita a visita. Tenha em consideração que os passadiços têm cerca de 8 km, pelo que mesmo o percurso menos exigente implica alguma resistência física.

Os Passadiços do Paiva são uma referência do turismo na região de Arouca, e quem já os visitou sabe bem porquê. As paisagens de cortar a respiração, a riqueza natural, biológica, geológica e arqueológica são argumentos que convidam os visitantes a perderem-se no trilho de madeira que serpenteia junto às margens do rio Paiva.

O QUE LEVAR?

Comecemos pelo óbvio. Leve água. Mantenha-se hidratado. Há poucos locais nos Passadiços do Paiva onde comprar água e bebidas no percurso. Calçado e roupa confortável e leve também é importante, assim como proteção solar – chapéu e creme protetor. Chinelos de praia nos pés? Não. Depois de 500 metros vai querer voltar para trás. Não são permitidos animais de estimação, para proteção dos mesmos e do espaço. Leve a máquina fotográfica, porque vai precisar dela. Se quiser fotografar de manhãzinha ou ao final da tarde, quando a luz escasseia, não se esqueça do tripé e dos filtros polarizadores. Vai valer a pena.

ONDE PARAR?

Em todas as curvas dos Passadiços do Paiva vai ver pontos de interesse, entre os quais locais do GeoPark de Arouca, mas 8 km de percurso obrigam à escolha dos melhores locais para descansar, descontrair e fotografar. Confie em nós, se a sua máquina fotográfica o acompanhou nas montanhas do Gerês, nas planícies alentejanas ou no paraíso insular dos Açores, não vai querer deixá-la em casa nesta visita aos Passadiços do Paiva.

Miradouro: ao sair de Areinho, ganhe coragem e faça a primeira parte do percurso de uma vez. As escadas conduzem-no a um miradouro que oferece uma vista apaixonante de um Paiva que serpeja no vale. Recupere a energia e deixe-se embriagar pela vista, pegando na máquina fotográfica para garantir que vai fazer inveja aos seus amigos.

Garganta do paiva e cascata das aguieiras:  Garganta do Paiva e, um pouco mais à frente, a Cascata das Aguieiras, são dois pontos interesse que não devem ser ignorados dada a sua beleza natural. Do miradouro onde vê a cascata é ainda possível ver o Castelo de Carvalhais, um castelo defensivo de época da reconquista que serviu para proteger a travessia do rio Paiva.

Praia do Vau: delicie-se com a biodiversidade à sua disposição, mas reserve a paragem mais prolongada para a Praia do Vau. Aproveite a calma do rio para dar um mergulho – se se sentir aventureiro deixe-se baloiçar na corda que outros visitantes prenderam a uma árvore. Há um espaço com areia onde pode estender uma toalha e descansar antes de retomar a visita.

Ponte suspensa: ainda junto à praia, atravesse a ponte suspensa sobre o Paiva e visite o miradouro na outra margem do rio. Trata-se de outro excelente local para boas fotos e vale a pena todo o tempo que lá passar.

Gola do salto: pés ao caminho que Espiunca é lá à frente. Pare junto à Gola do Salto, o desnível mais acentuado do rio, que merece também a sua atenção e alguns disparos da máquina fotográfica.

Falha de espiunca: mesmo à chegada a Espiunca, não deixe de contemplar a Falha da Espiunca, uma falha geológica que marca o final do caminho que começou 8 km mais atrás. Uma vez neste local, pare na praia fluvial depois da ponte para se refrescar e recuperar energias. Não se vai arrepender.

Sabia que os Passadiços dos Paiva estão nomeados, pelo terceiro ano consecutivo, para os prémios World Travel Awards, em três categorias: Atração Turística, Atração Turística de Aventura e Melhor Projeto Europeu de Desenvolvimento Turístico.

Prepare-se para subir "alguns" degraus nos Passadiços do Paiva.

DICAS PARA FOTOGRAFAR NOS PASSADIÇOS DO PAIVA

  1. Aproveite a luz da manhã ou do final do dia para céus com cores apaixonantes
  2. Leve o tripé para aproveitar as longas exposições que os desníveis no rio oferecem
  3. Não se esqueça do filtro polarizador para anular os reflexos na água ou saturar as cores do céu
  4. A objetiva macro é essencial para os adeptos dos mais pequenos detalhes de fauna e flora
  5. Seja paciente e escolha bem o local da foto
  6. Aproveite os desníveis do terreno e as escadas para diferentes enquadramentos e fotos com profundidade de campo
  7. Fotografe em formato RAW para potenciar a pós edição 

PASSADIÇOS DO PAIVA VÃO TER NOVA PONTE ENVIDRAÇADA

Adjudicada no verão de 2017, a nova ponte já está em construção. A ponte pedonal inspirada nas pontes incas presentes nas montanhas dos Andes vai contar com 580 metros de extensão  e vai estar suspensa a cerca de 150 metros de altura. A maior ponte deste género em Portugal vai unir as margens do Paiva junto ao Geosítio da cascata das Aguieiras, na Garganta do Paiva. A obra deverá estar concluída no início de 2019 e promete ser um ponto turístico muito convidativo.

EXPLORE A GALERIA DE IMAGENS DOS PASSADIÇOS DO PAIVA E APAIXONE-SE PELA NATUREZA.