Viagem e Aventuras

Reserva Natural da Serra da Malcata

A viagem ecológica deste mês leva-nos até à Reserva Natural da Serra da Malcata. Pronto para conhecer o lince-ibérico?Thursday, May 16, 2019

Por National Geographic
Localização da Reserva Natural da Serra da Malcata

A Reserva Natural da Serra da Malcata situa-se na fronteira entre Portugal e Espanha, mais precisamente na Região Centro, entre os concelhos de Penamacor e Sabugal, e conta com mais de 16 mil hectares, constituídos por bosques ripícolas, lagos e áreas de matagal mediterrânico.

A presença humana é pouco sentida na Serra da Malcata, daí a sua beleza. Dá lugar a habitats naturais das mais variadas espécies de animais, algumas delas em vias de extinção, e a flora única. Aqui, podemos encontrar extensas áreas de pinhal e mato, que chegam até aos 1,2 metros de altura (matos baixos) ou superiores a este valor (matos altos). As espécies mais comuns são o carvalho-negral, o medronheiro, a azinheira e o pinheiro-bravo.

Flora característica da Serra da Malcata no verão

FAUNA CARACTERÍSTICA DA SERRA DA MALCATA
Esta Serra é conhecida pela sua flora, história, cultura, mas, especialmente, pela sua fauna. Esta Área Protegida abriga o Lince-Ibérico, Lynx Pardinus, uma das espécies mais ameaçadas da Europa e em vias de extinção, e outros animais, como o Coelho-Bravo, Grifo, Raposa, Abutre-Preto, Águia-Caçadeira, Pega-Azul, Rouxinol-do-Mato, a Cobra-Rateira, o Cágado, o Lagarto-de-Água e a Cegonha-Preta, também em vias de extinção.

O Lince-Ibérico destaca-se das demais espécies pela situação ameaçadora em que se encontra. A título de exemplo, nos anos 90, existiam cerca de 1.000 Linces-Ibéricos distribuídos por toda a Península Ibérica. Atualmente, existem apenas 100 animais desta espécie. A Serra da Malcata é, então, considerada Reserva Natural pois tem acolhido estes animais e contribuído para a conservação dos mesmos, mantendo os habitats naturais locais, propagando a educação ambiental, apoiando as atividades da região e promovendo o estudo científico, através do Centro de Educação Ambiental da Graça. Este espaço é composto por laboratórios, biblioteca, trilhos e ateliers, recebem as mais variadas atividades ligadas à conservação ambiental e de espécies como o Lince-Ibérico.

O clima, juntamente com o tipo de vegetação, proporciona condições para acolher uma panóplia de répteis. No verão, é comum encontrar facilmente ofídios, como a cobra-de-escada ou a Cobra-Rateira.

Lince-Ibérico na Reserva Natural da Serra da Malcata

O QUE FAZER NA SERRA DA MALCATA?
Aproveitar para explorar as inúmeras zonas verdes da Serra da Malcata e descobrir mais sobre as espécies animais e vegetais, em qualquer estação do ano. Leve consigo os binóculos, a bússola e mantimentos, pois vai perder-se nos encantos deste recanto “perdido” de Portugal.

Durante os dias amenos da primavera ou do outono, pode caminhar pela Serra da Malcata e apreciar com as mais variadas e vibrantes cores da vegetação – na Primavera as cores predominantes são o amarelo, o roxo, o branco, o verde e rosa e, no outono, a serra cobre-se de tons acastanhados, dourados e vermelhos.

Nos dias mais quentes e secos de verão, delicie-se com as praias fluviais existentes na periferia, como a da barragem da ribeira a Meimoa, do Sabugal, de Quadrazais e de Foios.

Já no inverno, fuja ao reboliço citadino e suba até aos pontos mais altos da serra, deixando-se deslumbrar pelo contraste da paisagem verde coberta de branco, após nevar.

Para além dos passeios pedestres, pode aventurar-se na canoagem ou em BTT, explorando os diferentes percursos, entre os quais, o Caminho do Salgueirinho, o Caminho do Sobreiral, a Capela do Espírito Santo, o Caminho do Carvalhal, o Cabeço do Pisão ou, para os menos desportistas, a existe, ainda, um percurso para automóveis.

Reserva Natural da Serra da Malcata

COMO CHEGAR?
A Reserva Natural da Serra da Malcata situa-se no Distrito de Castelo Branco, entre Penamacor e Sabugal. Para chegar a este refúgio natural português, pode seguir pela A23 até Castelo Branco, que faz ligação com a A1 (Lisboa – Castelo Branco – Porto) e seguir na N242 até Penamacor.

Continuar a Ler