Viagem e Aventuras

Veneza Está Inundada de Turistas – Visite Outras Cidades Flutuantes

Estes portos históricos rivalizam com a "Cidade dos Canais" italiana. Veja como os pode visitar de forma responsável e sustentada.Monday, May 27

Por Caitlin Etherton
ver galeria

Veneza apaixona os viajantes há centenas de anos. Esta cidade marítima – uma obra-prima arquitetónica e artística – é o lar da icónica Ponte de Rialto, do Grande Canal e da Praça de São Marcos. Mas o que acontece quando as pessoas inundam os canais mais depressa que a subida das águas? Veneza acolhe cerca de 30 milhões de visitantes por ano, e o sobreturismo não afeta apenas a atmosfera romântica da cidade. O enorme tráfego de pedestres, barcos e cruzeiros está a poluir a sua delicada lagoa, e os habitantes locais estão a abandonar a cidade devido ao aumento dos valores imobiliários.

Veneza será sempre uma preciosidade no Adriático, mas os viajantes podem reduzir o seu impacto ambiental procurando destinos alternativos igualmente espetaculares. Da China à Bélgica, parta à aventura para descobrir estes portos maravilhosos.

ANNECY, FRANÇA
Apelidada de “Veneza dos Alpes franceses”, Annecy é um labirinto de castelos medievais, cisnes à deriva e charmosas pontes pedestres. Os seus canais cristalinos são alimentados pelo rio Thiou e pelo lago Annecy, considerado um dos lagos mais imaculados da Europa. Compre dióspiros locais, pão fresco e queijo fundido no mercado quinzenal de Annecy, ou alugue um barco e reme até ao medieval Palais de l’Ile. Visite a região em março para ver os elaborados desfiles de máscaras no Carnaval de Veneza, ou em agosto para ver o maior espetáculo pirotécnico da Europa no Festival anual do Lago Annecy. Dica de viagem sustentável: Mantenha o Lago Annecy intocado para as lontras e trutas que nele habitam, escolhendo um protetor solar ecológico para nadar nas praias da zona. Eis algumas alternativas para os protetores solares poluentes.

SUZHOU, CHINA
A antiga cidade chinesa de Suzhou, a cerca de uma hora e meia de Xangai, possui uma extensa rede de canais, jardins aquáticos e bairros com boas condições de navegação. Património Mundial da UNESCO, o Grande Canal Jing-Hang tem mais de 2000 anos e estende-se pelo Delta do Rio Yangtze ao longo de 1930 km, fazendo dele o maior e mais antigo canal do mundo. Passeie pelas antigas pontes de pedra até ao Templo de Hanshan, do século VI; faça uma viagem de gôndola pelos jardins Mudu; ou cruze as 49 pontes simbólicas de Tongli. Dica de viagem sustentável: Apoie a economia da comunidade local parando numa casa de chá à beira da água para se saciar com a comida tradicional da zona.

ESTOCOLMO, SUÉCIA
Conhecida como uma das cidades mais ecológicas da UE, a deslumbrante capital sueca é composta por 14 ilhas interligadas. Explore Estocolmo de ferry, caiaque ou em catamarãs movidos a energia solar. O Palácio Real, a cidade velha, o Museu Fotografiska, a Câmara Municipal e Södermalm podem ser acedidos a partir da água. Surpreendentemente, para uma cidade nórdica, a Suécia é um ótimo destino em qualquer época do ano. Ao contrário da sua congénere italiana, os canais desta “Veneza do Norte” podem ser apreciados em patins de gelo durante os meses mais frios. Dica de viagem sustentável: Numa cidade com eco-táxis, autocarros a biocombustível, comboios de alta velocidade e mais de 640 km de ciclovias é fácil tornarmo-nos “verdes”. Visite a região em abril para ver a Vintagemässa, a primeira e única feira de roupas vintage da Suécia, que também é uma forma inteligente de reduzir o desperdício da moda descartável.

BRUGES, BÉLGICA
Fundada pelos vikings, e depois desenvolvida num centro medieval de comércio de têxteis, Bruges, a capital da província da Flandres Ocidental, exportou cerveja belga, rendas delicadas e tecidos flamengos através dos seus canais românticos durante séculos. Os destaques nas margens do canal incluem a Basílica do Sangue Sagrado, Groeningemuseum e a cervejaria Huisbrouwerij De Halve Maan. A cada três anos, Bruges acolhe uma Trienal de dança, com música e instalações de arte colocadas ao longo das suas rotas navegáveis e das ruas de calçada da cidade. Dica de viagem sustentável: Durante o festival de 2018, foi feita uma baleia de cinco toneladas a partir de resíduos de plástico recuperados do oceano. Siga esta sugestão da cidade e aprenda como fazer a sua próxima viagem sem usar plásticos de uso único.

UDAIPUR, ÍNDIA
Envolvida pelas silhuetas nebulosas da cordilheira Aravalli, a cidade de Udaipur, no oeste da Índia, é um labirinto de palácios reais caiados de branco, fontes de banhos e lagos artificiais, sendo que o mais antigo, o Lago Pichola, foi construído em 1362. Não deixe de visitar o palácio citadino, o palácio Jag Mandir e o museu arqueológico Ahar. As acomodações variam de havelis locais à beira-mar até ao luxuoso Taj Lake Palace, um hotel flutuante de cinco estrelas e residência real. Dica de viagem sustentável: O atual maharana (guardião) de Udaipur, Shriji Arvind Singh Mewar, apoia ativamente as energias renováveis. Reduza a sua pegada ecológica alugando barcos movidos a energia solar e riquexós – consoante a sua disponibilidade.

TIGRE, ARGENTINA
Localizada entre Buenos Aires e o segundo maior delta de rios da América do Sul, Tigre começou com uma pequena igreja, em 1678, e desde então transformou-se numa cidade de iates, barcos a remos e infusão de chá-mate, onde as crianças são transportadas para a escola por ferry e os mantimentos são entregues por vias marítimas. Passeie de bicicleta pela esplanada do Paseo Victorica que passa por cafés, pelo Museu Naval, pelo Museu de Arte de Tigre e pelos clubes de remo locais. Dica de viagem sustentável: Passeie de caiaque pela Reserva Natural Delta Terra, uma forma ecológica de ver as lontras e melros-de-cabeça-escarlate.

GIETHOORN, HOLANDA
Os pântanos que cercam Giethoorn já foram fontes importantes de recolha de turfa e de juncos, e o seu sistema de canais foi originalmente usado para transportar os agricultores locais e as suas colheitas pela cidade. Atualmente, a “Veneza Holandesa” ainda preserva o seu charme de conto de fadas. Os canais desta vila – onde não são permitidos automóveis – estão rodeados por casas com tetos de palha, restaurantes à beira-mar e museus. Reserve algumas horas para visitar a peculiar coleção de conchas de caracol no Museu Gloria Maris. Dica de viagem sustentável: Preserve os canais paisagísticos de Giethoorn remando pela cidade ou alugando um “barco sussurrante” elétrico em vez de uma mota que consome muito combustível. Visite a região durante a época intermédia, entre abril e setembro, para evitar as multidões e tirar partido do bom tempo para navegar.

GOLD COAST, AUSTRÁLIA
Situada entre a Ilha Stradbroke Sul e um sedimento arenoso do Oceano Pacífico, a cidade de Gold Coast, na Austrália, envergonha Veneza com os seus 385 km de canais, rios, lagos e praias propícias para a prática de surf. Experimente fazer paddleboarding no estuário de Currumbin Creek para desfrutar de praias serenas e vistas desobstruídas do Pacífico. Tome o pequeno-almoço no Easy House Vegetarian, em Mermaid Waters, e depois siga de barco para a Praia Mermaid, para ter aulas de pilates ou fazer umas partidas de minigolfe. Visite a região em setembro para ver o Festival de Râguebi de Praia da Austrália, na praia de Kirra, em Coolangatta. Dica de viagem sustentável: A Plastic Free Gold Coast organiza limpezas locais na praia e promove negócios ecológicos, como os cafés livres de plástico Ocean 4218 e Water3, uma rede de alta tecnologia de estações de reabastecimento de água que se encontram por toda a cidade.
 

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler