México: Visite Uma Ilha Maravilhosa Sem Carros

Sinta a areia imaculada da Isla Holbox, o segredo mais bem guardado de Yucatán.segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Quando chegamos à Isla Holbox, a primeira coisa em que reparamos é no comité de boas vindas: flamingos que deambulam pela lagoa rasa, com cerca de 10 quilómetros, que separa a ilha do México continental.

A segunda coisa é a inexistência de estradas pavimentadas. Existem extensões da Península de Yucatán – que engloba os estados mexicanos de Yucatán, Quintana Roo e Campeche, para além de partes do Belize e da Guatemala – que estão repletas de estradas e tráfego congestionado. Mas a maioria dos habitantes de Holbox, ou holboxeños, percorre a ilha – que tem quase 42 km de comprimento – de bicicleta, e as praias de areias brancas são visitadas por uma pequena fração dos 6 milhões de turistas que se aglomeram em Cancun e Cozumel.

Eis como desfrutar de uma viagem até este paraíso.

Há quem diga que este refúgio de pescadores é a nova Tulum e, embora seja possível encontrar semelhanças com essa cidade (estúdios de ioga e meditação com tigelas de cristal de quartzo), os viajantes não vêm até aqui para dar nas vistas – mas sim para se perderem.

Holbox, que em Maia significa "buraco negro", começou a atrair turistas há cerca de uma década e, durante os últimos anos, os habitantes locais lutaram para impedir a construção de enormes empreendimentos turísticos. Não existem carros, correios, bancos e arranha-céus (os edifícios não podem ultrapassar os 12 metros de altura). A eletricidade só chegou à ilha em 1987 e, atualmente, os visitantes ainda têm problemas de rede nos telemóveis. O Google Maps não reconhece os caminhos de terra que funcionam como ruas informais, o que significa que devemos esquecer o telemóvel e viver o momento. (Descubra uma aldeia holandesa que também não tem carros.)

Mergulhar na natureza

A Isla Holbox faz parte de Yum Balam, a maior reserva ecológica do México; quase 75% da ilha é uma selva de pântanos e praias desertas. O mar que rodeia a ilha engoliu vários galeões espanhóis e diz-se que alguns piratas que procuravam água doce se estabeleceram mais tarde na ilha, que era habitada por algumas famílias Maias, escreve o Financial Times.

Na ilha, os dias giram em torno da água. Entre junho e setembro, os tubarões-baleia nadam nestas águas ricas em fitoplâncton, e os visitantes podem fazer um safari no mar para ver estas criaturas a alimentarem-se. Os operadores marítimos, incluindo a VIP Holbox Experience, oferecem sessões de mergulho com respirador (a uma distância segura dos tubarões-baleia), com dois convidados para cada guia. Navegue até à Isla Pájaros, nas proximidades, para ver as mais de 150 espécies de aves, incluindo fragatas e flamingos, que se aglomeram na região para nidificar.

Durante o pôr do sol, parece que toda a ilha se reúne no cais para assistir ao espetáculo de cores quentes. Nas noites sem lua, o fitoplâncton bioluminescente cobre as praias de pontos brilhantes e, quando os remos dos canoístas agitam as águas rasas, o brilho intensifica-se.

Desfrutar & Passear

As fachadas de madeira das lojas e restaurantes no centro, que é composto por alguns quarteirões de ruas de terra, estão cobertas de murais vibrantes. A rua principal – Calle Tiburón Ballena, ou Rua Tubarão-Baleia – divide a praia dos hotelitos com teto de palha e geridos familiarmente, e dos restaurantes ao ar livre alojados em quiosques com palmeiras. Só um pequeno trecho desta ilha estreita é realmente habitado e, sem a presença das grandes redes de hotelaria internacional, a ilha nunca está inundada de turistas.

Se nos esquecermos de levar o chapéu de palha, podemos visitar a melhor loja da ilha, La Bazaar, que fica dentro do Luuma, um bar fantástico ao ar livre. Depois de vermos as prateleiras repletas de biquínis e vestidos artesanais (que na ilha facilmente se assemelham a roupas de noite), podemos ficar numa das mesas colocadas na areia e desfrutar dos cocktails tropicais do bar.

Apesar de Holbox ter menos de 2000 habitantes, tem mais de 50 restaurantes e bares, conhecidos por duas especialidades em particular: pizza de lagosta e tacos. O Barba Negra serve alguns dos pratos mais criativos da ilha. E muitos dos estabelecimentos competem pelo estatuto de melhor pizza de lagosta, incluindo o descontraído Roots e a Edelyn Pizzeria, que afirma ser a criadora da pizza.

Planos de viagem

A ilha fica a duas horas de carro de Cancun (é possível reservar um serviço de transporte a partir do aeroporto, como o STP Caribe) até ao porto de Chiquilá, onde o ferry Holbox Express parte para uma viagem de 20 minutos até Holbox. Os lotes ao longo do porto oferecem estacionamento seguro por menos de 3 dólares por dia. Para quem não se importa de fazer uma viagem mais longa, os autocarros públicos partem do terminal central de Cancun e param no centro de Chiquilá.

Em Holbox, o cais tem vários carrinhos de golfe para levar os visitantes até aos seus hotéis. A viagem ao longo da rua principal, até à única aldeia da ilha, demora 10 minutos. As bicicletas e os carrinhos de golfe são os principais meios de transporte – na ilha existem vários pontos para alugar estes veículos e a maioria dos hotéis oferece viagens gratuitas até à praia – mas é possível visitar tudo a pé. Os hotéis ficam na costa noroeste da ilha, a 5 minutos a pé da aldeia.

Na Ser CasaSandra – um oásis de 18 quartos sonhado pela artista e colecionadora cubana Sandra Pérez Lozano – as antiguidades e obras de arte selecionadas à mão proporcionam uma atmosfera caseira. Nestas salas rústicas, mas chiques, não existem televisões, telemóveis, despertadores ou rádios, em vez disso, existe ioga. E no Ser Esencia, onde as refeições são feitas à luz de velas, também existe um menu à beira-mar – uma opção excelente.

Ao virar da esquina, o hotel familiar Punta Caliza é mais minimalista, mas muito elegante. Esta obra de design tem os quartos revestidos com cedro proveniente da quinta da família, em Tabasco, e os quartos estão ligados por uma piscina.

Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler