A disseminação global do coronavírus está a afetar os viajantes. Mantenha-se atualizado sobre a explicação científica por trás do surto>>

Onde encontrar aventuras épicas nas aldeias mais espetaculares da Europa

Desde a Escócia à Suíça e mais além, descubra onde pode caminhar pela história, escalar uma montanha e deslizar por águas cristalinas.

Por Raphael Kadushin
Publicado 29/06/2022, 11:22
Cinque Terre, Itália

Oliveiras emolduram uma vista de Vernazza, uma das cinco aldeias costeiras ligadas por um trilho ao longo de penhascos no Parque Nacional de Cinque Terre, em Itália.

Fotografia por JC Milhet, Hans Lucas, Redux

Para os viajantes americanos, o levantamento neste verão do requisito de teste obrigatório para a COVID para reentrar nos Estados Unidos é uma notícia bem-vinda. Livres das preocupações de ficarem retidos ou de um dispendioso período de quarentena no estrangeiro, os viajantes estão a pensar em grande quando chega o momento de planear a sua primeira viagem internacional em anos.

Os “três grandes” da Europa – Londres, Paris e Roma – parecem estar tão sedutores como sempre. Mas a melhor forma de evitar as multidões de visitantes que estiveram privados de viajar é sair das cidades e ir para os campos e vilarejos que muitas vezes são negligenciados.

Isto não significa que os viajantes vão perder seja lá o que for. As localidades mais pequenas podem ser a melhor maneira de vislumbrar a alma e a beleza de um país – e viver uma aventura. Estas seis aldeias europeias captam a emoção de estar ao ar livre, quer seja a escalar uma montanha ou a dar um mergulho no oceano.

Vernazza, Itália

Melhor para: Obter vistas costeiras deslumbrantes a partir de terra e do mar.

Com vinhas em terraços, olivais com décadas de idade e vista para o Mar Mediterrâneo, a costa italiana da Ligúria é um paraíso para os caminhantes. Contudo, algumas secções do sistema de trilhos que ligam as cinco aldeias do Parque Nacional de Cinque Terre permanecem encerradas até 2024 – devido aos devastadores deslizamentos de terras que estão a ser exacerbados pelas alterações climáticas.

A aldeia de Vernazza, do século XI, sobreviveu a um deslizamento de terras em 2011 e a um sismo em 2012. Hoje, Vernazza encapsula novamente o fascínio mágico de Cinque Terre, com as suas ruínas de castelos medievais, casas que parecem torres em tons de pastel e uma baía isolada que remonta às suas origens enquanto porto defensivo contra os piratas sarracenos.

A secção do famoso Trilho Blue permanece aberta e é muito popular nos meses de verão. Se preferir um pouco mais de espaço para mexer os cotovelos, a água é o melhor lugar. Explorar o local de caiaque revela um lado de Vernazza que geralmente só é familiar para a meia dúzia de pescadores que continuam a trazer diariamente peixe fresco para os restaurantes locais.

Pode alugar caiaques ou inscrever-se para fazer um passeio guiado nas enseadas escondidas, cavernas secretas e praias protegidas que só podem ser alcançadas pelo mar. A charmosa praia da aldeia tem vários concessionários locais.

Com a sua praia principal isolada, casas em tons de pastel e igrejas medievais, Vernazza incorpora o melhor das aldeias italianas de Cinque Terre.

Fotografia por JILL SCHNEIDER, Nat Geo Image Collection

Deià, Maiorca, Espanha

Melhor para: Ciclismo de montanha em maravilhas naturais.

Construída num afloramento rochoso entre a imponente Serra de Tramuntana e o cintilante Mediterrâneo, Deià há muito que atrai pessoas criativas para as Ilhas Baleares espanholas.

Hoje, a beleza natural da aldeia inspira não apenas escritores e pintores, mas também aventureiros. A partir desta aldeia tranquila, os ciclistas podem pedalar através de uma rede de trilhos que atravessa a região montanhosa. As acomodações para ciclistas pontilham as rotas, oferecendo opções de armazenamento e as famosas tapas para reabastecer nos passeios particularmente extenuantes.

(Granada: uma antiga cidade de sultões e uma maravilha do século XXI.)

Na aldeia, ciclistas – e caminhantes – podem enfrentar a subida íngreme até ao cemitério onde está sepultado o poeta britânico Robert Graves (um habitante de longa data da aldeia). Depois de suar muito, desça até Cala Deià. Considerada a melhor praia de seixos de Maiorca, as águas cristalinas de Cala Deià são ideais para relaxar os músculos doridos através de um mergulho relaxante.

Localizada perto da cordilheira da Serra de Tramuntana, a aldeia de Deià, do século VIII, é a base ideal para os ciclistas começarem a explorar a montanha.

Fotografia por Heiner Müller-Elsner, Laif, Redux

Mürren, Suíça

Melhor para: Aventuras alpinas repletas de adrenalina.

Em Mürren, a diversão começa antes de chegar ao local. Esta pitoresca aldeia suíça na região de Oberland Bernês está localizada numa plataforma montanhosa tão alta que os viajantes só conseguem chegar ao local de teleférico.

Tal como acontece hoje em dia com muitas estâncias nas montanhas, Mürren também oferece atividades durante o ano inteiro. Para além do esqui alpino durante o inverno, os alpinistas mais ousados podem percorrer de junho até outubro uma via ferrata, com ou sem guia.

Com pouco menos de dois quilómetros, esta rota de escalada está protegida com degraus de metal e apresenta secções de corda, uma ponte suspensa e até uma tirolesa que passa a 400 metros de altura de um vale em Lauterbrunnen.

Quem preferir ficar em terra firme pode desfrutar de uma extensa rede de trilhos para ciclismo e caminhadas. Um pequeno exército de guias de montanha pode ajudar a determinar a melhor rota para o seu nível de experiência.

Esta vista de cabanas de madeira numa encosta recebe os visitantes em Mürren, uma aldeia alpina na Suíça com uma via ferrata, ou trajeto protegido de escalada reforçado com degraus de metal.

Fotografia por Janoka82, iStockphoto, Getty Images

Sloten, Países Baixos

Melhor para: Navegar por águas com paisagens cénicas e históricas.

Situada na província de Frísia, na região norte dos Países Baixos, a aldeia de Sloten, que parece ter a forma de uma cebola, é uma aldeia que tem um canal e é muito conhecida pela sua beleza clássica neerlandesa, incluindo um moinho de vento reconstruído de 1847, que era usado para moer milho.

As fileiras perfeitas de casas de empena refletem a riqueza do século XVII da aldeia, quando esta era um importante ponto de paragem e portagem em direção às cidades hanseáticas do norte. Uma marina construída na década de 1970 reflete este legado marítimo. A partir daqui, pode fazer passeios de barco a motor pelas memórias do passado de Sloten, ou pode içar as velas de um veleiro alugado e traçar a sua própria rota, ou experimentar paddle no porto.

Se não quiser molhar os pés, pode explorar as planícies circundantes da região de Frísia à boa maneira neerlandesa que, por excelência, é de bicicleta. O extenso sistema de ciclovias dos Países Baixos irradia em todas as direções. Se fizer uma paragem na aldeia de Makkum, a norte, pode ver trabalhos de cerâmica local que rivalizam com os da cidade de Delft.

Um canal ladeado por casas de empena atravessa a aldeia de Sloten, cuja história de navegação contribuiu para a prosperidade económica desta localidade neerlandesa.

Fotografia por Nisangha, iStock, Getty Images

Chipping Campden, Inglaterra

Melhor para: Caminhar por uma aldeia adorável na zona rural de Inglaterra.

Chipping Campden, em Inglaterra, é sem dúvida a aldeia mais adorável na cadeia de colinas de Cotswolds. Os edifícios de calcário dourado que datam dos séculos XIV a XVII adornam a sua longa rua principal, o legado da outrora próspera indústria de lã da região de Cotswolds. Quando anoitece, a aldeia parece que brilha devido à iluminação interior das suas casas cor de mel.

Batizada com a palavra do inglês antigo para “mercado”, Chipping Campden não é apenas o sonho de um fotógrafo. Também é uma aldeia que sabe uma coisa ou duas sobre festa e jogos. À medida que o verão se aproxima, os habitantes da aldeia participam nos Jogos Olympikos anuais, uma tradição com 410 anos inspirada nos Jogos Olímpicos reais. Em vez de esgrima, os concorrentes enfrentam-se no jogo da corda. Em vez de ginástica rítmica, bailarinos de Morris agitam lenços e o corpo. O grande destaque é o torneio de chutos nas canelas, uma adaptação da luta livre que felizmente nunca ganhou tração em qualquer outra parte do mundo.

Para além dos jogos, esta aldeia é o ponto de partida para uma caminhada na Cotswold Way, que tem a designação de Trilho Nacional do Reino Unido e serpenteia ao longo de 165 quilómetros na região a sul de Bath. Ao longo do caminho, os caminhantes passam por banhos termais romanos, uma câmara funerária neolítica, castelos românticos no topo de colinas e casas de campo acolhedoras.

Os ciclistas também podem pedalar ao longo da Costwold Way, mas existem outros trilhos que não exigem tanto tempo. O melhor trajeto para as bicicletas é uma viagem de 50 quilómetros (aproximadamente três horas) que serpenteia pela pitoresca Stow-on-the-Wold, antes de regressar para Chipping Campden, deixando bastante tempo para beber uma cerveja fresca antes do jantar.

Edifícios de calcário que datam dos séculos XIV a XVII adicionam um charme histórico à pitoresca aldeia de Chipping Campden, o ponto de partida para o cénico Trilho Nacional de Cotswold Way.

Fotografia por Realimage, Alamy Stock Photo

Braemar, Escócia

Melhor para: Fazer caminhadas nas montanhas, ver castelos históricos e praticar natação selvagem em rios cintilantes.

Escondida no interior das Terras Altas, a cerca de 95 km de Aberdeen, a aldeia de Braemar provavelmente é mais conhecida pelo Castelo de Balmoral, a casa escocesa da rainha Isabel II – e pelos anuais Jogos das Terras Altas de Braemar. Talvez menos conhecido seja o facto de Braemar ser o ponto de foco para as aventuras localizadas no coração do Parque Nacional de Cairngorms.

Abraçada por rios e florestas de pinheiros da Caledónia, Braemar está idealmente localizada para desfrutar da beleza exuberante das Terras Altas escocesas. E o que não falta são trilhos para caminhadas e ciclismo, locais para fazer observação de vida selvagem e oportunidades para praticar natação selvagem. Uma das caminhadas mais populares demora cerca de duas horas e sobe até à confluência de dois rios principais, o Dee e o seu afluente, Clunie Water, antes de ziguezaguear por florestas de bétula.

Há outros trilhos que vão dar a locais históricos, como ao Castelo de Braemar. Construído em 1628, este castelo foi alvo das revoltas jacobitas ao longo do século XVII. Os séculos de desgaste afetaram esta fortaleza, mas um projeto de restauração avaliado em 1.6 milhões de libras coloca a sua reabertura agendada para 2023.

Até lá, os caminhantes podem traçar o seu caminho até outras fortalezas reais, desde as ruínas que restam do Castelo de Kindrochit até Balmoral, onde o trilho de caminhada de três horas de Balmoral Cairns passa por 11 estruturas de pedra que marcam momentos significativos na vida dos membros da família real britânica.

Aninhada no Parque Nacional de Cairngorms, na Escócia, a aldeia de Braemar oferece acessos fáceis a muitas atividades ao ar livre, desde caminhadas a ciclismo e natação selvagem.

Fotografia por Iain Masterton, Alamy Stock Photo

 

Raphael Kadushin é um jornalista de gastronomia e viagens sediado no Wisconsin.

Anne Kim-Dannbale, editora da National Geographic Travel, contribuiu com investigação e na redação deste artigo


Este artigo foi publicado originalmente em inglês no site nationalgeographic.com

Continuar a Ler

Também lhe poderá interessar

Viagem e Aventuras
A Suécia abraça o lado selvagem com estas cabanas gratuitas
Viagem e Aventuras
10 Destinos para este verão onde pode deixar o carro de parte
Viagem e Aventuras
Astúrias: Um Dos Segredos Mais Bem Guardados de Espanha
Viagem e Aventuras
Um Trilho Que Passa Por Sete Países e Uma Viagem Inesquecível
Viagem e Aventuras
Explore 13 mil anos de história da humanidade nesta ilha remota da Califórnia

Descubra Nat Geo

  • Animais
  • Meio Ambiente
  • História
  • Ciência
  • Viagem e aventuras
  • Fotografia
  • Espaço
  • Vídeos

Sobre nós

Inscrição

  • Revista
  • Registar
  • Disney+

Siga-nos

Copyright © 1996-2015 National Geographic Society. Copyright © 2015-2021 National Geographic Partners, LLC. Todos os direitos reservados