Viagem e Aventuras

7 Impressionantes Maravilhas da Natureza na Ásia

É provável que, no fim, queira acrescentar algumas destas maravilhas à sua lista.

Por Jodi Ettenberg

18 janeiro 2017

A Ásia abrange uma grande variedade de países e culturas, e o que aqui não falta são cidades para visitar e excelentes iguarias para provar. Mas este continente inclui também locais de incrível beleza natural, alguns um pouco mais marcantes do que outros. Quer esteja à procura de um pequeno passeio por um monte cónico, de uma paisagem de calcário com as cores do arco-íris ou de uma caminhada de vários dias até aos lagos cintilantes do Himalaia, encontrá-lo-á numa destas maravilhas da natureza. Mergulhe e desfrute!

TRILHO GOKYO LAKES, NEPAL

Uma excelente alternativa à tradicional caminhada do Campo Base de Everest é escalar até ao topo da Gokyo Ri (mais de cinco mil metros) pelas águas turquesas dos lagos Gokyo. Alimentados pelo gigantesco glaciar Ngozumpa, os seis lagos surgem dispersos ao longo de praticamente dez quilómetros de terra e são o maior sistema de lagos de água doce do mundo. No topo de Gokyo Ri, poderá desfrutar de vistas sobre os gigantes dos Himalaias, como Lhotse, Nuptse, Makalu, Cho Oyu e Gyachung Kang, se as condições atmosféricas o permitirem. As esplêndidas vistas panorâmicas do Everest fazem parte do que torna esta caminhada atrativa — uma visão que surge sem sobrecarregar a infraestrutura limitada no próprio Campo Base do Everest.

Como chegar: Marque uma caminhada pelos lagos Gokyocom um operador turístico em Kathmandu, através de um curto voo até Lukla.

 

CHOCOLATE HILLS (Colinas de chocolate), FILIPINAS

Na estação chuvosa, estes montes cónicos têm uma cor mais próxima do verde do que do chocolate, mas assim que as chuvas param, as Colinas de Chocolate tornam-se novamente castanhas. Compostas por 1776 montes que se vão salientando desde a ilha de Bohol, as colinas são um monumento geológico natural das Filipinas. Segundo a teoria dos geólogos, as rochas cársicas sofreram erosão em conjunto e formaram as colinas, deixando para trás uma paisagem agora coberta de vegetação. Muitas lendas locais oferecem explicações mais interessantes. Entre elas: Dois gigantes lutaram, arremessando pedras e areia de um lado para o outro, até que ficaram muito cansados para continuar a lutar. Deixaram algum rasto? As Colinas de Chocolate criadas na perfeição.

Como lá chegar: Em Tagbilaran, a capital de Bohol, faça um tour pelas colinas, ou opte por chegar até lá por si mesmo por autocarro até Carmen, seguido de uma caminhada de dez minutos a partir da estrada principal.

 

MONTE KELIMUTU, INDONÉSIA

Apesar de se situar num local remoto, a paisagem lunar e as águas cintilantes do Monte Kelimutu justificam a realização desta caminhada. Localizado na Ilha das Flores, o motivo da fama do Kelimutu são os três lagos localizados no topo do vulcão, cada um de tonalidades diferentes. Os geólogos têm estudado a cratera ao longo do tempo pelas suas caraterísticas camaleónicas. Cada lago tem mudado a tonalidade da cor ao longo dos anos, quando entra em contacto com fumarolas submarinas ricas em minerais. O fator-surpresa de uma visita ao Kelimutu é que raramente saberá qual a cor com que será brindado quando chegar ao cimo do vulcão.

Como lá chegar: O Monte Kelimutu está localizado em Flores; a cidade mais próxima é Ende. A opção mais fácil é voar de Flores, zona oeste (Labuhanbajo), para Ende. Para os que viajam de autocarro, o ideal para chegarem mais perto do monte é apanhar um autocarro para a pequena localidade de Moni.

 

AS MONTANHAS COLORIDAS DE ZHANGYE DANXIA, CHINA

O termo "montanhas coloridas de Danxia" descreve não apenas as montanhas do Parque Geológico de Zhangye Danxia, perto de Zhangye, China, como também várias outras áreas da China. Cada montanha foi criada ao longo de milhões de anos, quando o movimento das placas tectónicas e o desgaste do arenito criaram este magnífico panorama. O estriamento dentro das rochas de Danxia resulta da destruição do calcário devido à compressão das rochas com o passar do tempo. Em 2010, a UNESCO reconheceu seis acidentes geográficos como a China Danxia. O Zhangye Danxia é o maior acidente geográfico, abrangendo uma área de aproximadamente 300 quilómetros quadrados. Várias plataformas panorâmicas proporcionam uma visão sobre as rochas da cor do arco-íris das redondezas.

Como chegar lá: Zhangye, na província de Gansu, na China, é a cidade mais próxima: O percurso de Zhangye para o parque pode ser feito de táxi. Estão também disponíveis tours diários a partir de Zhangye.

 

GRUTA DE HANG SON DOONG, Vietname

Localizada no parque nacional de Phong Nha-Ke Bang, esta é uma das maiores grutas do mundo, e a cavidade principal é tão grande que cabe lá dentro um Boeing 747. Um rio rápido e largo que abriu um túnel pela Terra ao longo dos tempos criou a Hang Son Doong, que significa "gruta do rio da montanha". Ho Khanh, que se refugiou nesta zona durante uma tempestade, descobriu Son Doong, em 1991. Novamente perdida até 2009, a gruta está agora aberta ao turismo. As construções propostas, incluindo a de um teleférico, suscitaram preocupações junto dos ambientalistas. Neste momento, o único operador autorizado para realizar visitas turísticas guiadas em Hang Son Doong é a Oxalis Tours.

Como chegar lá: A Oxalis disponibiliza expedições de vários dias por cerca de 2800 euros. Uma alternativa para os que estão naquela zona é a gruta de Thien Doung (gruta do paraíso), localizada dentro do mesmo parque nacional. Há autocarros para Phong Na a partir de Dong Hoi e Hanói.

 

CATARATAS BAN GIOC-DETIAN, FRONTEIRA DO VIETNAME COM A CHINA

À semelhança das Cataratas do Niágara, que ocupam parte do território do Canadá e parte dos Estados Unidos da América, as Cataratas Ban Gioc-Detian localizam-se numa fronteira, na Ásia: a do Vietnamecom a China. Rodeadas de rochas cársicas e floresta verde, as duas cataratas precipitam-se sobre os estratos para o rio Qauy Son. Enquanto a queda vertical da água é ligeira, a largura das cascatas provoca uma visão impressionante. É proibido nadar, mas pode levar pequenas jangadas de bambu até ao cimo das cataratas. Entre maio e setembro, durante a época quente e chuvosa, o Quay Son enche, o que aumenta o fluxo de água consideravelmente.

Como lá chegar: Do lado chinês, as quedas de água ficam a cerca de três, quatro horas de Nanning e há um autocarro com partidas diárias a partir de Langdong, a estação da cidade. É também possível adquirir tours diários em Nanning. Do lado vietnamita, as quedas de água ficam a cerca de 360 quilómetros de Hanou e os autocarros partem da estação de My Dihn em direção a à cidade de Cao Bang. Depois, um segundo autocarro levá-lo-á até às quedas de água.

 

VALE DE JIGOKU, JAPÃO

Localizado na ilha de Hokkaido, o Vale de Jigoku pertence ao Parque Nacional de Shikotsu-Toya, perto de Noboribetsu. A região é conhecida pelo Onsen, as termas japonesas com propriedades curativas, que podem ser apreciadas em spas nos hotéis da cidade ou nas piscinas de água mineral exteriores. Uma outra opção com mais enxofre é Jigokudani (Vale do Inferno), uma cratera geotérmica de 97 mil metros quadrados que se formou com a erupção do Monte Kuttara há milhares de anos. A cidade construiu passagens pedonais à volta do vale, permitindo que as pessoas percorram os meandros e descubram as várias grutas de vapor e geysers. Não perca a oportunidade de fazer o caminho pedonal natural de Oyunuma Brook, uma nascente com propriedades curativas.

Como chegar lá: Os comboios passam pela estação de Noboribetsu, na cidade, que fica a uma curta distância de autocarro da zona das termas.

Continuar a Ler