Viagem e Aventuras

Top 10: Bebidas de Praia

Por National Geographic Travel

8 julho 2010

Por Margaret Loftus

Piña Colada, Porto Rico
A bebida com ananás, coco e rum conhecida como piña colada já era popular nas Caraíbas pelo menos há centenas de anos antes de Ramon “Monchito” Marrero, um barman no Beachcomber Bar (agora chamado Oasis Bar) do Caribe Hilton, em San Juan, Porto Rico, o ter aprimorado na década de 1950 com creme de coco. Hoje em dia, a cocktail que é imagem de marca de San Juan é provado por todo o mundo, mas sabe melhor em Porto Rico, junto à praia ou à piscina.

Caipirinha, Brasil
Feito com açúcar, lima e cachaça – uma bebida espirituosa feita a partir do sumo da cana-de-açúcar – a caipirinha é omnipresente nos cafés costeiros do Brasil. Até os vendedores nas praias a fazem. Abundam variações, sendo que a mais popular é caipifrutas que adiciona uma ou mais variedades da grande gama de frutos da região como caju, maracujá, manga ou kiwi.

Mai-Tai, Polinésia
Ao provar este cocktail de rum, licor de curaçao, xarope de orchata (feito de amêndoas) e lima na sala ao estilo polinésio do Trader Vic (então chamada Hinky Dink) em Oakland, na Califórnia, no ano de 1944, um hóspede do Tahiti comentou “maita’i ro’a ‘ae”, significando “de outro mundo”. Daí o nome mai-tai, ou pelo menos, assim reza a história. A bebida teve um impulso com o famoso filme de Elvis, Blue Hawai (Feitiço Havaiano) e tornou-se desde aí uma marca dos bares tiki por todo o mundo.

Cerveja Red Stripe, Jamaica
A Red Stripe é tão identificada como parte da identidade nacional que, quando a ilha obteve a independência da Grã Bretanha em 1962, um colunista sugeriu que a data real da independência deveria ser 1928, quando a cerveja foi fabricada pela primeira vez na ilha, em Kingston. Depois de algumas tentativas de marketing falhadas no mercado dos Estados Unidos, esta lager é agora a mais popular de todas as cervejas do Caribe.

Daiquiri, Cuba
Graças à abundância de rum, lima e açúcar no Caribe, este trio tornou-se a base de muitos dos cocktails da região (para além do grogue dos marinheiros britânicos). Batizado com o nome de uma praia perto de Santiago, em Cuba, o primeiro daiquiri foi alegadamente inventado por um grupo de engenheiros americanos que trabalhavam na região e cujo abastecimento de gin tinha acabado. A bebida hoje em dia é mais comum para os americanos na forma congelada com sabor de frutas.

Margarita, México
Terá sido uma mulher da alta sociedade do Texas que, em Acapulco, procurava algo para refrescar os convidados da sua festa numa tarde quente ou um barman em Tijuana que tinha esperanças de impressionar Rita Hayworth (nascida Margarita Cansino) com uma bebida em seu nome? Independentemente de quem inventou a margarita – as histórias são imensas – a combinação ácida da tequilha, cointreau e sumo de lima num copo margeado com sal, tornou-se um sinónimo do México. É o cocktail de tequila mais vendido em todo o mundo.

Limoncello, Sul de Itália
Quando a vida dava um excedente de limões aos agricultores do sul de Itália, embebiam a casca em álcool de cereais e acrescentavam açúcar para fazer limoncello. Este digestivo ácido e adocicado é tradicionalmente bebido depois do jantar, mas tem ganho terreno como base de cocktails simples, como sendo deitado sobre gelo com um refrigerante ou água tónica, preferencialmente tomado enquanto se apreciam as vistas deslumbrantes da Costa de Amalfi.

Cape Codder, Massachusetts
Quando a Ocean Spray, o gigante de arandos, começou a promover os seus sumos como misturas para cocktails, caíram as sugestões de os misturar com whisky canadiano ou rum. No entanto, vodca e arando – apelidado de Cape Codder em honra da adorada península do Massachusetts onde os arandos abundam – acertou em cheio, reproduzindo-se em múltiplas variações, incluindo o híbrido de Martini da moda, o cosmopolitan.

Rosé, Costa Azul, França
Beber rosé começou agora a cativar os Estados Unidos, mas um copo gelado de rosé seco tem sido obrigatório nos cafés da zona costeira da Costa Azul francesa, acompanhado de sopa de peixe e lagostins. Tipicamente feito com a remoção das cascas das uvas vermelhas depois de esmagadas, o rosé é considerado o irmão menos sério dos vinhos branco e tinto, tornando-o numa bebida ideal nas praias de Saint Tropez.

Gin Tónico, Índia
O gin foi inicialmente adicionado à água tónica para neutralizar o seu sabor amargo para que os ingleses, então ocupantes da Índia, pudessem suportá-lo como um anti malária. Os ingleses acabaram por apreciar a combinação fresca, acrescentando uma fatia de lima, tornando-a numa base dos trópicos muito depois da queda do império. Experimente na praia de Goa enquanto vê o pôr-do-sol.

Continuar a Ler